Avaliação: Audi Q7

4067

Já passaram mais de dez anos do lançamento do primeiro Audi Q7. Enfim, a segunda geração chegou ao País, em versão única, por R$ 399.900. Ele adotou a plataforma modular MLBEvo, que permitiu uma redução de 325 quilos. A carroceria diminuiu 37 mm no comprimento e 15 mm na largura. O Audi Q7 e seu rival Volvo XC90 (que custa R$ 80.000 a menos) possuem aproximadamente as mesmas medidas. Talvez a Audi tenha exagerado no preço, pois o novo Q7 também é quase R$ 20.000 mais caro que outro competidor, o Porsche Cayenne. O Q7 ganhou 21 mm entre a primeira e a segunda fileiras de bancos, além de 41 mm de espaço para a cabeça dos ocupantes dianteiros e 23 mm para os traseiros.

Ele pode levar até sete ocupantes, mas os bancos suplementares com rebatimento elétrico são opcionais e custam mais R$ 20.000 (são de série no XC90). O quadro de instrumentos 100% digital tem tela de alta definição de 12,3”(estreou no Audi TT). Pela primeira vez, o Q7 traz o head-up display, que projeta no para-brisa a velocidade e dados de navegação. O touchpad maior facilitou tarefas, como digitar um endereço no navegador, por exemplo. Há conectividade com smartphones Apple (iOS 7.1 ou superior) e Android (5.0 ou superior), enquanto o áudio Bose têm 19 alto-falantes e 585 watts.

Para abrir tampa do porta-malas basta passar o pé sob o para-choque traseiro. O motor V6 3.0 com compressor oferece 333 cv e 44,9 kgfm e o câmbio é automático de oito marchas. Devido à sua agilidade, fica a falsa impressão de que o Q7 não é grandalhão com seus mais de 5 m de comprimento. Aliás, com um 4 cilindros 2.0, o Volvo XC90 desenvolve quase a mesma potência (320 cv). O Audi Drive Select oferece seis modos – um deles para o fora de estrada. A dinâmica é bem acertada; a tração integral Quattro aumenta o controle e seu diferencial autoblocante pode distribuir até 70% à frente e 85% atrás. A confortável suspensão a ar é outro opcional (mais R$ 30.000).

O eixo traseiro dinâmico é uma novidade que o novo Porsche 911 e o Renault Talismã já possuem – em velocidades menores, as rodas traseiras esterçam no sentido oposto das dianteiras; em velocidades maiores, os eixos viram no mesmo sentido. Isso auxilia na dirigibilidade e na manobrabilidade e faz parte de um pacote opcional (outros R$ 32.000), que inclui o assistente de visão noturna e os faróis Full LED. O Q7 também pode vir com novos sistemas de segurança, também cobrados à parte. Devido à sua lista de opcionais, o Audi Q7 completo custa a fortuna de R$ 489.900.

—–

Ficha técnica:

Audi Q7 Ambition 3.0

Preço básico: R$ 399.990
Carro avaliado: R$ 489.900
Motor: 6 cilindros em V 3.0, 24V, duplo comando variável, injeção direta, turbo, intercooler, start-stop
Cilindrada: 2995 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 333 cv de 5.500 a 6.500 rpm
Torque: 45,9 kgfm de 2.900 a 5.300 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Direção: hidráulica
Suspensões: duplo triângulo (d/t), a ar, com altura ajustável
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: integral
Dimensões: 5,089 m (c), 1,983 m (l), 1,737 m (a)
Entre-eixos: 3,002 m
Pneus: 275/45 R20
Porta-malas: 890 litros
Tanque: 100 litros
Peso: 2.240 kg
0-100 km/h: 6s9
Velocidade máxima: 243 km/h
Consumo cidade: 6,7 km/l
Consumo estrada: 7,9 km/l
Nota do Inmetro: E
Emissão de CO2: 192 g/km
Classificação na categoria: E (Extra Grande)

blog comments powered by Disqus