Avaliação: o novo BMW M3 é um trovão turbinado

17655

M3. Esta é uma sigla unânime entre os fãs de esportivos desde o primeiro modelo (E30) de 1988. Essa nova geração (F80) do BMW está tão agressiva quanto os rivais Audi RS5 e Mercedes-AMG C63 S. Embora menos potente que o C63 S (510 cv), o M3 continua sedutor e com respostas ríspidas. Afinal, ele abriu mão do motor aspirado V8 4.0 por um 6 cilindros 3.0 turbinado. Com essa troca, a potência cresceu de 420 cv para 436 cv, enquanto o torque saltou para 56 kgfm já a partir de 1.800 rpm – era de 40 kgfm nos modelos 8 cilindros (feitos de 2007 a 2013).

É preciso conter os ânimos ao volante, pois mesmo com todos os controles eletrônicos ligados, ao afundar o pé no pedal do acelerador você sentirá os pneus lixando no asfalto e a traseira querendo escapar – a tração, graças a Deus, continua traseira. Esse novo bloco “seis bocas” também equipa o irmão M4 Coupé e, à medida que o giro sobe, assim como nas reduções, a sonoridade fica mais aguda. É uma pena que toda essa “sinfonia” seja orquestrada por um emulador de som. Para compensar, ao esticar e fazer as trocas de marchas nos giros mais altos, elas vêm acompanhadas de instigantes “estouros” vindos das quatro saídas de escapamento.

O câmbio é de dupla embreagem e sete velocidades, com trocas ou reduções bem rápidas – como deve ser em um carro da linhagem M Power, divisão esportiva da BMW. Dependendo da situação, essa caixa consegue reduzir até quatro marchas de uma vez. Para deixar tudo melhor, há os modos de condução Efficiency, Comfort, Sport e Sport Plus. Eles alteram alguns parâmetros do carro, como as respostas da caixa de direção, do pedal do acelerador, do câmbio e das suspensões. É possível ainda configurar individualmente o motor, a suspensão e a direção.

O M3 é um carro orgânico, que transmite todas as suas reações. Pode ser usado no dia a dia, mas com certa disciplina. As suspensões sofrem com o asfalto brasileiro. Se mesmo assim você quiser se divertir com ele na cidade, sugerimos duas combinações: 1) motor no Sport Plus, suspensão no Sport e direção no Comfort; 2) motor no Sport, suspensão no Comfort e direção no Sport. Vai de cada um! A carroceria sedã é exclusiva do M3 – a coupé, do M4 – e ela já apareceu nos modelos E 36 e E 90. Se por fora essa cor Yas Marina já seduz, ao abrir a porta não há como ficar indiferente ao uso extensivo de fibra de carbono no acabamento.

Os bancos esportivos, além de abraçarem o corpo, trazem o logotipo M Power ao centro, que se ilumina ao abrir as portas. Além de exalar esportividade por todos os cantos, a segurança do M3 é garantida pelos assistentes de faixa, pela frenagem de emergência, pela visão noturna e pelo head-up display, que projeta no para-brisas informações como a velocidade e dados do GPS e do rádio, entre outros. Uma pena que o BMW M3 seja para poucos. Aliás, ele custa R$ 437.950.

—–

Ficha técnica:

BMW M3 3.0

Preço básico: R$ 437.950
Carro avaliado: R$ 437.950
Motor: 6 cilindros em linha 3.0, 24V, biturbo, injeção direta, duplo comando variável, start-stop
Cilindrada: 2979 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 436 cv de 5.500 a 7.300 rpm
Torque: 56 kgfm de 1.850 a 5.500 rpm
Câmbio: automatizado de dupla embreagem, sete marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e multi-link (t)
Freios: disco ventilado (d/t)
Tração: traseira
Dimensões: 4,671 m (c), 1,877 m (l), 1,424m (a)
Entre-eixos: 2,812 m
Pneus: 255/40 R18 (d) / 275/40 R18 (t)
Porta-malas: 480 litros
Tanque: 60 litros
Peso: 1.560 kg
0-100 km/h: 4s1
Velocidade máxima: 250 km/h (280 km/h opcional)
Consumo cidade: 15,9 km/l
Consumo estrada: 9,6 km/l
Nota do Inmetro: E
Emissão de CO2: 195 g/km
Classificação na categoria: C (esportivo)

blog comments powered by Disqus