Avaliação: Chevrolet Onix Activ chega em ritmo de aventura

16065

A General Motors guardou uma surpresa para a linha 2017 do Onix: a estreia da versão Activ. Portanto, a série especial Effect deixa de existir e o Onix Activ passa a compor o catálogo de versões oficiais do Chevrolet de maior sucesso neste século no mercado brasileiro. Se já estava difícil concorrer com o hatch em suas versões normais, o reforço do Onix Activ deve garantir à Chevrolet o bicampeonato na disputa pelo título de carro mais vendido do País. Afinal, segundo Hermann Mahnke, do marketing da GM, o Onix Activ chega com o objetivo declarado de ser o novo líder no nicho de modelos aventureiros.

Bonito, o carro é. Ele tem molduras pretas em todo o seu entorno. As peças de plástico pretas envolvem as quatro caixas de rodas, passam sob as duas portas e estão presentes também nos para-choques dianteiro e traseiro. O para-choque da frente é exclusivo e também tem a grade preta (as versões normais possuem a grade cromada). Os cromados estão presentes no Onix Activ, mas estão localizados nas soleiras das portas e na parte inferior dos para-choques. As rodas são exclusivas, bem desenhadas, e usam pneus maiores (195/65).

A confiança da GM na conquista da liderança desse nicho baseia-se no design ousado, mas também na praticidade. O Onix Activ pretende ser um pouco mais do que um carro com visual aventureiro. Ele quer ser prático. Por isso, o rack de teto, por exemplo, tem formato em “U”, o que facilita a amarração de bagagens (ele suporta 50 kg de carga). Da mesma forma, os para-choques foram redesenhados para melhorar os ângulos de entrada e saída do carro – assim, ele transpõe com mais facilidade os obstáculos e as saliências de ruas, portões, pontes e estradas.

Visualmente, o novo Chevrolet é mais agressivo do que o Hyundai HB20X, que este ano tomou a liderança do Renault Sandeiro Stepway (o mais vendido do nicho em 2015). A pintura externa é cor-de-abóbora metálica. Por dentro, ele é dividido em preto e abóbora. O logotipo Activ aparece no porta-luvas, nos bancos e no conta-giros (e também na tampa do porta-malas). Mas talvez a GM se surpreenda com a quantidade de consumidores que buscam um visual aventureiro discreto. Se isso acontecer, o HB20X continuará reinando – afinal, o Onix Activ é muito mais parecido com o Sandero Stepway, cujas vendas caíram.

O estreante será vendido com motor 1.4 flex de 96/104 cv, o mesmo que equipa as versões mais caras do Onix e do Prisma. Por ser mais pesado e mais alto, seu desempenho é um pouco pior e o consumo é maior. Mas o carro é bem agradável de guiar, conforme pudemos conferir em Indaiatuba (SP). Principalmente nos pisos ruins, o Onix Activ se saiu bem. Isso porque ele é 30 mm mais alto (23 mm na suspensão e 7 mm nos pneus). O carro é silencioso, tem bom acabamento e bancos confortáveis. Ele conta com sensor de chuva e pode ser comprado com câmbio automático ou manual, com piloto automático. Hermann Mahnke estima que o Onix Activ representará 10% das vendas do modelo. “Nossa proposta tem um apelo visual mais contundente que o HB20X e um apelo de funcionalidade com o rack de teto”.

Segundo a GM, as vendas das versões aventureiras cresceram de 5,9 mil/mês (2010) para 7,9 mil/mês (2015). No ano passado, os três mais vendidos foram: Sandero Stepway (14.357), HB20X (10.217) e VW CrossFox (8.340). De janeiro a maio deste ano, a ordem mudou: HB20X (4.952), Sandero Stepway (3.411) e CrossFox (2.069). Outro fator que pode turbinar as vendas do Onix Activ é a própria liderança da GM no mercado: “À parte da indústria, que está em queda, este é o melhor momento da Chevrolet no Brasil, não só em participação de mercado como também na oferta de produtos”, diz Mahnke.

—–

Ficha técnica:

Chevrolet Onix 1.4 Activ

Motor: 4 cilindros em linha 1.4, 8V
Cilindrada: 1389 cm3
Combustível: flex
Potência: 98 cv a 6.000 rpm (g) e 106 cv a 6.000 rpm (e)
Torque: 13,0 kgfm a 4.800 rpm (g) e 13,9 kgfm a 4.800 rpm (e)
Câmbio: manual, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3,958m (c), 1,737 m (l), 1,554 m (a)
Entre-eixos: 2,528 m
Pneus: 195/65 R15
Porta-malas: 280 litros
Tanque: 54 litros
Peso: 1.092 kg
0-100 km/h: 11s5 (g) e 10s9 (e)
Velocidade máxima: 170 km/h (g) e 172 km/h (e)
Consumo cidade: 12,3 km/l (g) e 8,4 km/l (e)
Consumo estrada: 13,8 km/l (g) e 9,4 km/l (e)
Consumo nota: B
Emissão de CO2: 105 g/km (com etanol = 0 g/km)
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

blog comments powered by Disqus