Avaliação: Fiat Mobi tem o tamanho certo para as cidades

Pedimos à repórter da revista IstoÉ, que é dona de um Uno Vivace, para avaliar o Fiat Mobi Like On, de proposta urbana, em seu dia a dia na cidade de São Paulo

Sempre gostei de carros pequenos. Compactos. Se forem coloridos, então, fazem meus olhos brilharem. Eu me lembro de quando as versões do novo Uno foram lançadas. Disse a mim mesma que compraria um Uno Vivace com a cor amarelo citrus – como diz o documento do veículo – e comprei. O grande lance do Uno é que ele é compacto por fora e espaçoso por dentro. É um carro para andar na cidade, mas é melhor ainda para viajar. Já viajei de São Paulo ao Rio de Janeiro com três amigas – e olha que o meu é duas portas – e as malas couberam no porta-malas. Melhor: viajamos confortavelmente.

O mais incrível é que por ser 1.0 flex, nós fomos com meio tanque de etanol e meio de gasolina e chegamos à cidade do Cristo Redentor sem precisar reabastecer. Ele também é delicioso de dirigir – leve, parece um carro de brinquedo. Todos os meus amigos que dirigiram me disseram o quanto é gostoso guiar o meu Uno. Conheci o Mobi e o achei lindo à primeira vista. As opções das cores me encantaram. Fiquei apaixonada. Quando entrei no carro, a primeira coisa que percebi foi o painel. Muito mais atual, prático e elegante do que o do Uno, que é praticamente todo analógico.

A sensação de dirigir é ainda mais leve e o carro responde mais na estrada. As trocas de marchas são mais macias e o volante também (ambos têm direção hidráulica). Mas, para quem pode ter apenas um carro na garagem, o Mobi deixa a desejar. O porta-malas é muito pequeno. Coloquei minha mochila de viagens curtas e não coube mais uma mala. A Fiat diz que é um carro para os centros urbanos e, de fato, é. É pequeno, fácil de manobrar. Mas para quem também usa o carro para outras finalidades, falha por não ter espaço. Além disso, não é tão econômico quanto o Uno. Em três dias que rodei na cidade precisei abastecer.

Com o Uno, abasteço uma vez por semana, fazendo os mesmos trajetos. Ouvi muitas pessoas nas ruas, quando eu estacionava, de que era apenas um modelo que copiava o novo Uno. E é mesmo! Ele copia o Uno, mas perde nas questões que eu citei. Como tenho apenas um carro na garagem para resolver todas as minhas questões e preciso de um veículo que seja econômico, eu não compraria um Mobi. Prefiro manter o meu Uno por mais um tempo. Agora, se você consegue ter um carro grande para viajar com a família e amigos e gosta de um menor para a correria do dia-a-dia, o Mobi é uma opção.

—–

Ficha técnica:

Fiat Mobi Like On 1.0

Preço básico: R$ 31.900
Carro avaliado: R$ 43.550
Motor: 4 cilindros em linha 1.0, 8V
Cilindrada: 999 cm3
Combustível: flex
Potência: 73 cv a 6.250 rpm (g) e 75 cv a 6.250 rpm (e)
Torque: 9,5 kgfm a 3.850 rpm (g) e 9,9 kgfm a 3.850 rpm (e)
Câmbio: manual, cinco marchas
Direção: hidráulica
Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco sólido (d)e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3,566 m (c), 1,633 m (l), 1,500 m (a)
Entre-eixos: 2,305 m
Pneus: 175/65 R14
Porta-malas: 215 litros (235 na versão Easy)
Tanque: 47 litros
Peso: 946 kg
0-100 km/h: 14s6 (g) e 13s8 (e)
Velocidade máxima: 153 km/h (g) e 154 km/h (e)
Consumo cidade: 11,9 km/l (g) e 8,4 km/l (e)
Consumo estrada: 13,3 km/l (g) e 9,2 km/l (e)
Consumo nota: B
Emissão de CO2: 107 g/km (com etanol = 0 g/km)
Nota do Inmetro: B Classificação na categoria: A (Micro Compacto)

—–

Contraponto

Por Sergio Quintanilha

Ao contrário da Ludmilla, eu não gosto muito de carros pequenos. Prefiro os maiores, pois não gosto de aperto no trânsito e muito menos nas minhas viagens. Mas, como ela, eu também gostaria de ver mais cores nas ruas. Uma vez me apaixonei por um Volkswagen New Beetle amarelo e só não comprei um porque o achava caro. Por culpa da área do jornalismo em que atuo, entretanto, não me empolgo demais com alguns carros. É o caso do Uno Vivace. E não fiquei nada empolgado quando conheci o Mobi.

O painel, ao invés de me atrair, me decepcionou, pois achei que tem excesso de elementos (e muitos deles aproveitados de outros modelos). Concordo que o porta-malas do Mobi é muito pequeno e que ele atende mais a quem usa o carro sozinho e só na cidade, mas ele não gasta muito mais combustível que o Uno. Mesmo com a redução do preço do Mobi em sua versão de entrada, eu também não o compraria, mesmo que fosse para usar só na cidade. Dentro da linha Fiat, como minha colega da IstoÉ, ainda prefiro o Uno.

COMPRE SE…
Você quer um carro ágil na cidade e fácil de estacionar, pois o Mobi se encaixa em qualquer buraquinho do trânsito e em pequenas vagas.
Quer um carro “descolado”, com opção de cores fortes e soluções inteligentes para um pequeno porta-malas, se não carrega bagagens.

NÃO COMPRE SE…
Viagens longas são uma de suas prioridades, pois o porta-malas muito pequeno atrapalha a vida quando se vai longe com os amigos.
A sua máxima prioridade é um carro eficiente e bastante econômico, pois o Mobi bebe mais do que devia, devido ao motor antigo.

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES

blog comments powered by Disqus