Avaliação: Ford EcoSport foi pioneiro, mas ficou para trás

Lançado em 2003, ele lançou tendência e foi líder de vendas por nove anos seguidos. Agora, enfrenta a concorrência renovada

5431

O EcoSport é o maior fenômeno do mercado automotivo brasileiro nesse milênio. Lançado em 2003, ele criou a categoria de SUVs compactos. A genial ideia de usar o Fiesta de base para um “jipinho de verdade” rendeu frutos: a marca liderou o segmento com folga por nove anos seguidos, até 2011. Em 2012, perdeu para o Renault Duster, que copiou sua fórmula. Em 2013 e 2014, já nessa segunda geração, voltou à liderança. Desde 2015, porém, foi superado pelos novos Jeep Renegade e Honda HR-V.

Essa geração já reagiu à concorrência e ganhou melhorias mecânicas e nos equipamentos (nos EUA, acaba de ganhar uma reestilização externa e interna, que deve chegar aqui em breve para aguentar até 2020, quando será lançada sua terceira geração). No ano passado, o motor 1.6 ganhou comando variável (foi a respeitáveis 131 cv) e passou a ser associado ao câmbio automatizado de dupla embreagem. A dirigibilidade agrada: as respostas são rápidas e o consumo é baixo – pontos positivos que se somam à direção bem calibrada e às suspensões robustas.

Essa é a mecânica que mais vale a pena, disponível na versão mais vendida, a Freestyle AT (das fotos), e na SE AT. É essa última que recomendamos: você economiza R$ 6.500 em relação à Freestyle, abrindo mão de detalhes externos em cinza, sensor de estacionamento e alarme, e trocando as rodas aro 16 por 15 (mas ainda tem um carro equipado, com controle de estabilidade, volante multifuncional etc.). Mas se quiser bancos em couro, tem que levar a Freestyle Plus, que também soma airbags extras.

Ainda há o motor 2.0 de 147 cv na versão Titanium ou na interessante 4WD – para quem curte off-road de verdade. Apesar das dimensões menores que a média, o EcoSport tem espaço adequado e porta-malas igual ao do HR-V (e bem maior que o do Renegade). Seu maior problema, em tempos de conectividade, está na central multimídia muito básica. O acabamento é outro ponto fraco, com muitos plásticos, e de aspecto simples. Dois pontos que têm levado parte dos clientes a migrar para a concorrência.

—–

Ficha técnica:

Ford EcoSport Freestyle 1.6 AT

Preço básico: R$ 71.650
Carro avaliado: R$ 71.650
Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, comando variável
Cilindrada: 1596 cm3
Combustível: flex
Potência: 126 cv a 6.500 rpm (g) e 131 a 6.500 rpm (e)
Torque: 15,4 kgfm a 4.250 rpm (g) e 16,1 kgfm a 5.000 rpm (e)
Câmbio: automatizado, seis marchas, dupla embreagem
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,241 m (c), 1,765 m (l), 1,696 m (a)
Entre-eixos: 2,521 m
Pneus: 205/65 R15
Porta-malas: 427 litros
Tanque: 52 litros
Peso: 1.274 kg
0-100 km/h: 11s6*
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo cidade: 9,7 km/l (g) e 6,6 km/l (e)
Consumo estrada: 11,5 km/l (g) e 8 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Emissão de CO2: 124 g/km
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

blog comments powered by Disqus