Avaliação: Jeep Compass Diesel na rua, na chuva e na fazenda

Saiba como o Jeep Compass Diesel se saiu numa viagem de 405 km entre São Paulo e Monte Verde (MG)

37718

A estratégia da Jeep para o novo Compass Diesel é simples. Se você gosta do Renegade, mas acha seu porta-malas pequeno, o Compass é o seu SUV. Tem as boas características do Renegade (estilo, robustez, suspensão e segurança) e mais duas vantagens: bagageiro de 410 litros e maior espaço interno. O motor e o câmbio são idênticos: 2.0 de 170 cv e automático de nove marchas. Porém, se você gosta do Jeep Grand Cherokee (que é maior), mas o acha muito caro (R$ 289.900 na versão Turbodiesel), o Compass também é uma boa pedida. Mas vale a pena comprar um? Para tirar a dúvida, fiz uma viagem de São Paulo a Monte Verde (MG), acompanhado de minha esposa, Cristiane.

O Compass tem um GPS muito bom. Nem precisei usar Waze ou Google Maps. Ele me ofereceu três opções de caminho: o mais rápido, o mais curto e o mais econômico. Mesmo com o navegador ligado, pudemos utilizar o bluetooth para ouvir nossas músicas preferidas por streaming de áudio. Foi uma viagem tranquila, pois os bancos são confortáveis, a posição de dirigir é alta, o ar tem duas zonas e o câmbio AT9 proporciona baixo nível de ruído.

Cris “descobriu” um compartimento debaixo do banco. Dá pra guardar bolsa ou algo que não se quer deixar à vista. Ela reclamou, porém, do tamanho dos porta-trecos do console. Eu dirigi na estrada e ela na cidade. Eis o depoimento feminino: “O carro é alto, mas não exagerado, então é fácil de dirigir e de estacionar. O volante e os bancos são bem macios. Também achei o motor silencioso e gostei do painel, que mostrava a velocidade em números grandes. Sem contar que coube tudo no porta-malas!” Nas subidas íngremes em piso de terra com pedras soltas, comuns em Monte Verde, bastou apertar o botão “4WDLock” para que o Compass desse um show em todos os outros carros que patinavam na rua.

Na chuva, o sistema 4×4 também deu mais segurança. Rodamos 405 km com o Compass Trailhawk. Ele fez 11,5 km/l na média geral e e 13,3 na estrada. Esses números são melhores do que os do Inmetro, onde só perde para dois SUVs 2.0 a diesel: o Range Rover Evoque e o Land Rover Discovery Sport. O Jeep Compass tem duas versões a diesel: Longitude (R$ 132.990) e Trailhawk (R$ 149.990). Os valores são muito bons comparados aos quatro concorrentes a diesel mais baratos do mercado. Portanto, se o carro é bom, bonito e tem preço competitivo, eu o compraria, com certeza.

—–

Contraponto

Por Rafael Poci Déa

Confesso que achava o Compass antigo sem sal e pouco cativante. Agora, mudado radicalmente e assumindo ares de mini Grand Cherokee, até cogitaria a sua compra. Entretanto, com algumas ressalvas. Uma delas é seu porta-malas menor que o dos alemães BMW X1 (505 litros) e Audi Q3 (460), ambos com preço próximo dessa versão Trailhawk. Vou concordar com o casal Quinta e Cris quanto à posição de dirigir agradável e o acabamento de qualidade. E tive um déjà-vu com os comandos de áudio atrás do volante semelhantes aos do meu Fiat 500.

Graças ao bom isolamento acústico da cabine, o ruído do motor só aparece nos giros mais altos. E o assobio do turbocompressor mexeu com os meus sentidos – coisa de quem curte carro preparado. A transmissão engata a nona marcha a 115 km/h e minha melhor média foi de 22 km/l no trecho de descida de serra, indo para a Baixada Santista (SP). Também merecem destaque as suspensões, que impedem a carroceria de rolar e permite “brincar” nas curvas. Mesmo com algumas críticas, eu teria um Compass a diesel.

COMPRE SE…
Quer um SUV a diesel com bom porta-malas, ótima dirigibilidade, bom nível de equipamentos e excelente relação custo/benefício.
É fã da capacidade off-road dos SUVs da Jeep, mas acha o Renegade muito pequeno e o Grand Cherokee exageradamente caro.

NÃO COMPRE SE…
Busca um utilitário esportivo gigante e muito sofisticado, pois o Compass tem porte médio e sóbrio no que diz respeito ao luxo.
Quer combinar trilhas com um porta-malas enorme, pois a versão Trailhawk comporta 388 litros de bagagens (a Limited leva 410).

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES

—–

Ficha técnica:

Jeep Compass Trailhawk 2.0 AT9 4×4 Diesel

Preço básico: R$ 132.990
Carro avaliado: R$ 149.990
Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V, turbo, injeção direta
Cilindrada: 1956 cm3
Combustível: diesel
Potência: 170 cv a 3.750 rpm
Torque: 35,7 kgfm a 1.750 rpm
Câmbio: automático sequencial, nove marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) multilink (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: 4WD (integral com opcão de bloqueio do diferencial)
Dimensões: 4,416 (c), 1,819 m (l), 1,654 m (a)
Entre-eixos: 2,636 m
Pneus: 225/60 R17 (off-road)
Porta-malas: 388 litros (410 litros na versão Longitude)
Tanque: 60 litros
Peso: 1.751 kg
0-100 km/h: 10s0
Velocidade máxima: 194 km/h
Consumo cidade: 9,8 km/l
Consumo estrada: 11,4 km/l
Nota do Inmetro: D
Emissão de CO2: 191 g/km
Classificação na categoria: A (Fora-de-Estrada)

blog comments powered by Disqus