Avaliação: Lexus RX 350 quer roubar clientes de sueco e alemães

Completamente renovado, o RX 350 quer chamar para si a atenção dos consumidores de Mercedes, BMW e Volvo. Será que ele conseguirá?

4175

A vida da quarta geração do Lexus RX 350 não será fácil. Ele disputará as atenções com Mercedes-Benz GLE, BMW X5 e Volvo XC90. O crossover de luxo japonês é oferecido nas configurações Luxury (R$ 337.950) e F-Sport (R$ 352.950), que avaliamos na Ilhabela (SP). Esses valores são menores que os dos rivais alemães, porém o RX 350 custa mais que o preço inicial do sueco XC90 Momentum (R$ 334.950), que já vem equipado de série com sistemas anti-atropelamento, anticolisão, de estacionamento automático e de direção semi-autonôma (funciona até 50 km/h; em congestionamentos, acelera, freia e até contorna as curvas sozinho).

O preço e a diminuta rede de concessionárias no Brasil são os pontos negativos do Lexus, que seduz por outros atributos. O irmão maior do NX 200t seguiu os mesmos passos do sedã IS 250, ou seja, abandonou o design conservador por linhas vincadas e agressivas.
A versão F-Sport se diferencia da Luxury pelo visual mais incrementado, exibindo rodas aro 20 (também presentes na Luxury) com desenho exclusivo, para-choque dianteiro com spoiler e protetor inferior cromado, grade colmeia e capa dos retrovisores pintados de preto.
Construído sobre a base do sedã ES, o RX 350 está maior em relação ao modelo anterior.

Agora, mede 4,890 m de comprimento (cresceu 12 cm) e 1,895 m de largura (diminuiu 1 cm), com entre-eixos de 2,790 m (aumentou 5 cm) permitindo bom espaço para as pernas e os joelhos dos ocupantes traseiros. O porta-malas foi a 521 litros (61 litros a mais que no antecessor). Suas dimensões são inferiores às do Volvo XC90, que pode levar até sete passageiros (o RX 350 carrega cinco). A cabine está renovada e a ergonomia foi melhorada. A alavanca de câmbio não está mais em posição elevada e o quadro de instrumentos é digital na versão F-Sport e analógico na Luxury.

A tela da central multimídia possui 12,3”, com interface pouco intuitiva. Também incomoda a alta sensibildade do joystick para acessar o navegador e a TV digital, entre outras funções. Os materiais têm alta qualidade. O coração do RX 350 é um motor V6 3.5 a gasolina, agora atualizado com injeção direta e 305 cv e 38 kgfm nas duas versões – antes tinha 277 cv. A nova transmissão do Lexus é de oito marchas, permitindo trocas sequenciais pelas borboletas atrás do volante na versão F-Sport. Embora menos potente, o RX 350 tem bom desempenho e há os modos de condução Eco, Normal, Sport e Sport +.

Nesse último, na F-Sport, além das respostas mais rápidas do motor e do câmbio, o volante e as suspensões adaptativas ficam mais rígidos. Apesar de seu porte, o modelo transmite boa estabilidade nas curvas, auxiliado pela tração integral. A segurança do Lexus é garantida pelos oito airbags (dianteiros, laterais, de cortina e de joelhos para motorista e carona), mas faltam alguns sistemas presentes em carrões desse naipe, como piloto automático adaptativo, assistentes de ponto cego e de faixa. A Lexus considera o RX 350 o “primeiro dos modelos de luxo desse segmento”. Por isso, ele poderia ter preço mais competitivo para efetivamente fazer frente à concorrência e ganhar os olhares dos consumidores.

—–

Ficha técnica:

Lexus RX 350 F-Sport

Preço básico: R$ 352.950
Carro avaliado: R$ 352.950
Motor: 6 cilindros em V 3.5, 24V, duplo comando variável, injeção direta
Cilindrada: 3456 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 305 cv a 6.300 rpm
Torque: 38 kgfm a 4.700 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) multi-link (t)
Freios: disco ventilado (d/t)
Tração: integral
Dimensões: 4,890 m (c), 1,895 m (l), 1,710 m (a)
Entre-eixos: 2,790 m
Pneus: 235/55 R20
Porta-malas: 521 litros (1.621 litros com o banco rebatido)
Tanque: 72 litros
Peso: 2.575 kg
0-100 km/h: 7s1
Velocidade máxima: 241 km/h
Consumo cidade: 7,2 km/l
Consumo estrada: 9,7 km/l
Consumo nota: D
Emissão de CO2: 168 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: A (Fora de Estrada)

blog comments powered by Disqus