Avaliação: Peugeot 2008 investe em versão aventureira

10907

O Peugeot 2008 é um carro injustiçado em termos de vendas. Ocupa apenas o oitavo lugar na categoria de SUV/Crossover, com venda média de 876 carros/mês. Três fatores prejudicam as vendas deste excelente carro, atual detentor do título de Compra do Ano da MOTOR SHOW: o histórico de mau atendimento da rede de concessionários, o mito da desvalorização da marca e a ausência de câmbio automático na versão topo de linha (THP).

Os dois primeiros problemas já foram resolvidos com a renovação de 80% da rede e o lançamento do programa Renova Peugeot – o consumidor dá 30% de entrada e depois de 30 meses de financiamento tem a garantia de recompra do concessionário por 85% da Tabela Fipe (o mercado paga 80% ou menos em algumas marcas). Já o terceiro problema só será resolvido na próxima geração, quando a Peugeot terá um câmbio automático de menores proporções para atender aos 173 cv do motor turbo.

Fora isso, o 2008 é um carro excelente em muitos sentidos. É bonito, é compacto, tem uma posição de dirigir surpreendente (i-Cockpit) e já vem de fábrica mais equipado do que todos os seus concorrentes desde a versão mais barata.Isso significa que tem de série seis airbags, tela multimídia de 7” e navegador por GPS. Na versão THP, também tem Grip Control, com cinco modos de tração. A novíssima versão Crossway, que avaliamos, entra como a segunda mais bem equipada na linha do 2008, por preço de R$ 84.690. Limitada a 500 unidades, a série Crossway tem alterações estéticas que deixaram o carro mais bonito, e com mais cara de SUV do que a versão original do 2008.

As caixas de roda em plástico preto, ligadas por faixas laterais, passam a impressão de que o carro é mais alto e robusto. Outras diferenças estão nos retrovisores cromados, nas rodas aro 16 pretas, nos bancos com o logo Crossway e nos tapetes exclusivos. O motor é o 1.6 flex aspirado de 115/122 cv com câmbio automático de quatro marchas. Ele tem opção de trocas nas borboletas do volante. A única cor disponível é a blanc nacré. Não há equipamentos extras em relação à versão Griffe na qual se baseia – com ar digital bizone, GPS, airbags de cortina e teto panorâmico. Os R$ 3.000 extras pagam apenas pelo visual diferente.

—–

Ficha técnica:

Peugeot 2008 Crossway

Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V
Cilindrada: 1587 cm3
Combustível: flex
Potência: 115 cv a 6.000 rpm (g) e 122 cv a 5.800 rpm (e)
Torque: 15,5 kgfm a 4.000 rpm (g) e 16,4 kgfm a 4.000 rpm (e)
Câmbio: automático, quatro marchas, sequencial
Direção: elétrica
Suspensões: Pseudo McPherson (d) eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,159 (c), 1,739 m (l), 1,583 m (a)
Entre-eixos: 2,542 m
Pneus: 225/60 R16
Porta-malas: 355 litros
Tanque: 55 litros
Peso: 1.236 kg
0-100 km/h: 13s2 (g) e 11s9 (e)
Velocidade máxima: 171 km/h (g) e 177 km/h (e)
Consumo cidade: 11,0 km/l (g) e 7,4 km/l (e)
Consumo estrada: 12,2 km/l (g) e 8,6 km/l (e)
Nota do Inmetro: B
Emissão de CO2: 116 g/km
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

blog comments powered by Disqus