Avaliação: Renault Logan 1.6 estreia motor inteligente e nota A

20803

Como dissemos na avaliação do Sandero 1.0 (leia aqui), a Renault decidiu usar algumas tecnologias da Fórmula 1 em seus carros de maior sucesso no Brasil. Assim como o tricilíndrico de 1 litro, o novo motor 4 cilindros 1.6 com tecnologia SCe (Smart Control efficiency) é mais eficiente do que o antigo bloco. Sorte do Sandero e do Logan, que avaliamos na versão Dynamique com câmbio manual de cinco marchas. Equipado com o novo motor 1.6 SCe, o Logan subiu da nota B para A no consumo geral do Inmetro e ultrapassou 14 versões de sedãs rivais na medição de autonomia urbana com gasolina. Antes, o Renault Logan fazia 11,8 km/l de gasolina na cidade; agora faz 13,0. Com etanol, a melhora também foi boa: passou de 7,9 para 8,8 km/l.

Além de se tornar mais econômico, o Logan 1.6 ficou mais agradável de dirigir, pois a potência subiu de 98/106 cv (gasolina/etanol) para 115/118 cv. Com gasolina, o ganho foi de 17% na potência e de 10% no torque. Com etanol, o ganho foi significado apenas na potência (11%). Mais econômico e mais ligeiro, o Logan pode melhorar sua posição no ranking de sedãs pequenos. Atualmente ele ocupa o sétimo lugar, com uma média de 1.914 vendas/mês. Não dá para pegar a dupla Chevrolet Prisma/Hyundai HB20S, mas dá para brigar com os rivais mais próximos (VW Voyage, Ford Ka+ e Toyota Etios Sedan), além de incomodar até o terceiro colocado (Fiat Siena).

Além de ganhar um sistema de gerenciamento da bateria, que regenera a energia gasta nas frenagens, o motor 1.6 SCe passou a ter os injetores posicionados no cabeçote e adotou uma polia tipo VVT no eixo comando de admissão. O bloco do motor, o pré-cárter e a tampa da corrente agora são em alumínio, o que tirou 30 kg do conjunto. É visível a melhora do carro, especialmente no trânsito urbano. O carro se tornou mais ágil. Sem contar que o conforto ao volante aumentou devido à assistência eletro-hidráulica na direção. Na estrada, as ultrapassagens foram favorecidas pela visível melhora nas retomadas de velocidade.

O Logan sempre foi um carro simples e honesto, especialmente na atual geração, lançada no Brasil no final de 2013. Alguns pontos do sedã, entretanto, incomodam. Um deles é a ausência de isofix para prender cadeirinhas infantis. Outro é a ausência de sensor de estacionamento. Na versão Dynamique, ele só está disponível no pacote Techno, que eleva o preço do carro a R$ 58.100 e inclui também ar-condicionado automático e Media Nav com tela de 7” e navegador por GPS. Os três itens fizeram falta durante nossa convivência com o Logan – portanto, vale a pena pagar os R$ 1.700 a mais.

Quanto ao sistema start-stop, que é um item interessante para poupar combustível, não caiu bem nesse Logan com transmissão manual. Como rodamos somente em cidades com trânsito pesado (São Paulo e Santos), foi freqüente o desligamento do motor em momentos errados, como lombadas ou cruzamento de vias preferenciais. Felizmente, basta apertar o botão que fica à esquerda do volante para desligá-lo. Mas a cada utilização ele ligava de novo, o que acabou sendo um estorvo. O Logan 1.6 SCe está disponível em duas versões com câmbio manual e duas com transmissão automatizada de embreagem simples: Expression (R$ 52.750), Dynamique (R$ 56.400), Expression Easy’R (R$ 57.350) e Dynamique Easy’R (R$ 61.400).

FICHA TÉCNICA

Renault Logan 1.6 16V SCe Dynamique

Preço básico: R$ 52.750
Carro avaliado: R$ 56.400
Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, start-stop
Cilindrada: 1597 cm3
Combustível: flex
Potência: 115 cv a 5.500 rpm  (g) e 118 cv a 5.500 rpm (e)
Torque: 16,0 kgfm a 4.000 rpm (g/e)
Câmbio: manual, cinco marchas
Direção: eletro-hidráulica
Suspensões: McPherson (d) eixo de torção (t)
Freios: disco sólido (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,349 m (c), 1,733 m (l), 1,529 m (a)
Entre-eixos: 2,635 m
Pneus: 185/65 R15
Porta-malas: 510 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.062 kg
0-100 km/h: 10s3 (g) e 9s9 (e)
Velocidade máxima: 184 km/h (g) e 186 km/h (e)
Consumo cidade: 13,0 km/l (g) e 8,8 km/l (e)
Consumo estrada: 13,8 km/l (g) e 9,5 km/l (e)
Emissão de CO2: 99 g/km
Nota do Inmetro: A
Classificação na categoria: A (Médio)

blog comments powered by Disqus