Avaliação: VW Golf Highline manual se destaca pelo desempenho

O VW Golf Highline manual é um hot hatch disfarçado. Mas o preço desanima qualquer fã não endinheirado

14265

Não quero parecer empolgado e prometo ser imparcial, porém, falando de Volkswagen Golf é difícil. Minha admiração por ele é de longa data, e só aumentou após guiar o GTI de primeira geração e o radical R, em Wolfsburg, na Alemanha. Esse Highline é um legítimo Save The Manuals e sua mística está no câmbio manual de seis marchas e no motor 1.4 turbo TSI.

Que carro, que carro, meus amigos! O torque de 25,5 kgfm a partir de baixíssimas 1.500 rpm coopera em rápidas acelerações e retomadas vigorosas – a pressão de trabalho do turbo é de 1,2 bar. E a cada pisada no pedal do acelerador eu sentia meu corpo ser pressionado contra o encosto do assento. Esse Golfão não se cansa de acelerar.

O que já estava bom ficou ainda melhor ao pressionar o botão Mode e selecionar um dos quatro modos de condução: Eco, Normal, Sport e Individual. Embora seja um opcional, eles mudam alguns parâmetros do carro, privilegiando a economia de combustível ou o desempenho. Um carro (bem) divertido e quanto mais o guiava, mais queria estar atrás do volante. Tanto que ele me fez acordar cedo em um domingo só para dar mais uma voltinha.

Não só fiquei impressionado com o fôlego do motor 1.4 TSI (EA211), como em nenhum momento senti falta de uma transmissão automática – ah, eu mesmo quero fazer as trocas de marchas! Afinal, os engates curtos e precisos do câmbio manual (MQ250-6F) junto da embreagem macia não cansa no anda-e-para dos congestionamentos. Segundo o fabricante, essa caixa é diferente das utilizadas no Golf Comfortline 1.0 TSI e no Fox Highline 1.6 MPI.

Alguns podem ter torcido o nariz para a suspensão traseira, agora por eixo de torção – era independente no modelo importado. Mas só percebi essa mudança nas curvas rápidas. Mesmo assim, o Volks continua bom de chão, enquanto a direção é rápida ao esterço e o volante de aro fino proporciona uma empunhadura perfeita. Já em segurança, são sete airbags de série.

É um tremendo hatch. O único problema é o preço. O Golf Highline manual custa R$ 101.960. Com todos os opcionais, vai a R$ 126.436. Um pouco salgado para esse mortal que vos escreve. Pensei e pensei mil vezes e seu valor seria o único empecilho que barraria uma compra. Se tivesse essa grana… seria meu! Ao fim de sete dias de convivência cheguei uma conclusão: não é à toa que o Golf tem uma legião de fãs espalhada ao redor do mundo.


Ficha técnica:

Volkswagen Golf Highline 1.4

Preço básico: R$ 101.960
Carro avaliado: R$ 126.436
Motor: 4 cilindros em linha 1.4, 16V, turbo, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 1395 cm3
Combustível: flex
Potência: 150 cv a 4.500 rpm (g/e)
Torque: 25,5 kgfm a 1.500 rpm (g/e)
Câmbio: manual, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,255 m (c), 1,799 m (l), 1,468 m (a)
Entre-eixos: 2,638 m
Pneus: 205/55 R16 (225/45 R17 opcionais)
Porta-malas: 313 litros
Tanque: 51 litros
Peso: 1.252 kg
0-100 km/h: 8s3 (g/e)
Velocidade máxima: 209 km/h (g/e)
Consumo cidade: 11,6 km/l (g) e 7,9 km/l (e)
Consumo estrada: 13,6 km/l (g) e 9,5 km/l (g)
Emissão de CO2: 107 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (Médio)


Contraponto

Por Flavio Silveira

Assim como o Rafael e como a enorme maioria dos jornalistas automotivos, também sou fã do Golf. Ele é referência em dirigibilidade há décadas, e segue afiado. De fato, tem um chassi tão bem acertado e prazeroso de guiar que desperta essa paixão por estar ao volante, a mesma paixão que “pede” o câmbio manual para uma relação ainda mais estreita entre homem e máquina. Mas ela tem também seus poréns. Não saí com ele domingo pela manhã, como o Rafael, mas sempre na hora do rush.

Nessa situação, frequente na minha vida, comecei a achar a embreagem e os engates meio pesados. Senti falta do automático, mesmo que não seja o DSG. No mundo real, talvez preferisse não trocar marchas. Mas se fosse para comprar um Golf manual, por bem menos – cerca de R$ 80.000 – levaria o 1.0 TSI, que tem apenas esse câmbio e, com seus 125 cv, anda quase o mesmo que esses 1.4, e consumindo ainda menos. Claro que deveria abrir mão de várias coisas, como o seletor de condução – mas não do acabamento acima da média, da central multimídia maravilhosa e do pacote de segurança.

COMPRE SE…
Você é um consumidor querendo um hatch com pegada esportiva. O Golf é imbatível nesse quesito, com dinâmica apurada.
Você gosta de imprimir a sua tocada e não faz questão de câmbio automático. Esse Volks é divertido e viciante ao volante.

NÃO COMPRE SE…
Você prefere uma transmissão automática por conta do conforto nos congestionamentos ou não sabe dirigir um carro manual.
Você está preocupado na hora da revenda, pois carros manuais desse valor costumam ter um público restrito.

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES

blog comments powered by Disqus