Carro Usado: escolha sempre pelo pedigree

Na hora de escolher um bom carro para compra, dê preferência àqueles com um histórico impecável (e documentado) de manutenção

2268
Reprodução

Na hora de escolher um bom carro usado para compra, dê preferência àquele que tenha melhor pedigree. Mas o que quer dizer pedigree quando nos referimos a carros? Na realidade, pedigree significa tudo o que aconteceu com o automóvel em sua vida pregressa. Além do aspecto geral de um usado, como a pintura de cor homogênea, sem riscos ou retoques aparentes, é importantíssimo saber como o proprietário anterior cuidou daquele veículo. Rodas que não estejam raspadas e pneus com desgaste por igual também são ótimas referências de uma manutenção preventiva feita nesse carro.

Mas o verdadeiro pedigree está mesmo no manual de manutenção, que todo carro decentemente cuidado tem no porta-luvas ou sob a guarda de seu dono. Uma breve examinada neste documento trará importantes informações de tudo que já foi feito em termos de manutenção preventiva. E isso, certamente, livrará o novo proprietário de uma série de dores de cabeça futuras.

Lembre-se de que quanto mais caro o veículo, maior deverá ser o seu custo de manutenção e o preço de suas peças de reposição. Assim, nesse caso, fique ainda mais atento às revisões feitas pelo proprietário anterior nas concessionárias, que estarão registradas no manual de serviços do carro.

Não acredite muito na conversa de que a revisão foi feita fora da concessionária por um mecânico de confiança. Ainda mais se o carro de interesse for um daqueles de marcas premium. Além de dificilmente ter a garantia da realização do serviço ou do uso de peças originais, poucos são os profissionais independentes que têm um curso específico para a manutenção desses veículos ou as ferramentas necessárias.

Ou você acredita que o carro terá a mesma performance ou que os componentes trocados terão a mesma durabilidade? Eu não, afinal de contas, as marcas gastam muito dinheiro para treinar os profissionais que trabalham em sua rede de concessionárias, e, além disso, desenvolvem ferramentas especiais que permitirão ao profissional treinado trabalhar com mais precisão. É por isso que a revisão feita na concessionária, apesar de mais cara, garante a utilização de peças originais e a mão de obra de profissionais que sabem o que estão fazendo. Esse fato por si só garante um veículo de durabilidade maior e sem dores de cabeça para o seu novo proprietário.

Assim, se você estiver em dúvida entre um carro com, por exemplo, 30 ou 40 mil quilômetros rodados, que fez suas revisões no mecânico de confiança, ou um outro com 50 ou 60 mil quilômetros em que todas as revisões foram feitas na rede de concessionárias da marca, opte pelo carro que rodou mais.

Esse carro, futuramente, trará ao seu novo proprietário menos problemas, porque tudo aquilo que se desgasta e poderia quebrar a fábrica já previu e colocou no plano de manutenção e o concessionário já substituiu. O mecânico de confiança, só vai trocar as peças que quebrarem, e você pode ser o azarado proprietário que tudo quebra na sua mão.

Por isso mesmo, escolha sempre aquele que fez a manutenção preventiva nos concessionários, o tal carro com pedigree. Você nunca será surpreendido.

blog comments powered by Disqus