Conceito no Salão, Gol GT retorna com motor 1.0 TSI do Golf

18903

Aqueles que estiveram no Salão do Automóvel ou puderam ler sobre as inúmeras novidades da mostra, certamente se viram atraídos pelo Gol GT, um dos conceitos mostrados pela Volkswagen. Na realidade, esse carro conceito estava lá com uma função maior do que apenas enfeitar o estande da marca: a de testar a reação do público diante do possível retorno da versão esportiva do hatch compacto. E ele está mais perto de se tornar realidade do que se imagina.

Comenta-se dentro da fabrica que a Volkswagen prepara para 2018 o relançamento do ícone Gol GTI, em uma histórica edição comemorativa dos 30 anos de lançamento do primeiro carro brasileiro com injeção eletrônica. E a base do novo Gol esportivo seria justamente o conceito do Salão, inclusive com a combinação de cores prata e azul. Uma clara alusão ao carro de 1988.

Na mecânica, o motor deverá ser o 3 cilindros 1.0 turbo de injeção direta e 125 cv, que atualmente equipa o Golf Comfortline TSI. Curiosamente, é a mesma potência que (extraoficialmente) desenvolvia o GTI de 1988. Mas, claro, com muito mais tecnologia e um consumo de combustível bem inferior. O cambio será de seis marchas manual e os freios serão a disco nas quatro rodas de grande capacidade. A direção terá assistência elétrica. E vamos aos números. A expectativa é de que o novo GTI acelere de 0 a 100 km/h abaixo da casa dos 8 segundos e sua velocidade máxima atinja a casa dos 210 km/h. Um pequeno foguete.

O acabamento interno deverá seguir a tendência do conceito apresentado no Salão, com detalhes de acabamento que remetam ao GTI original. Fala-se que esse carro poderia ser produzido em uma escala reduzida de apenas 1000 carros, que seriam vendidos a felizes e sortudos proprietários.

Já trabalhava há alguns anos no setor quando a Volkswagen anunciou, em 1984, o lançamento do valente Gol GT 1.8. E posso dizer que, na época, o carro deixou os fãs de esportivos boquiabertos. Em 1987, com algumas alterações no design e levando consigo o enorme sucesso da primeira geração, o GTS chegou com motor AP 1.8S, uma evolução do antigo MD que equipava os primeiros Gol GT.

Mas o ápice da linha esportiva do Gol chegou com o GTI no segundo semestre de 1988. O mais esportivo dos Gol arrebatou o coração de todos. Foi uma verdadeira comoção por todos aqueles que admiravam os carros, de uma maneira geral. Debaixo do capô, um poderoso motor AP 2000 com injeção eletrônica mostrava-se ao mesmo tempo potente e econômico para os padrões da época.

O carro já estava disponível nas concessionarias da marca no final de 1988 como modelo 1989. E chamava a atenção pelo visual. Na ocasião, era oferecido apenas na cor Azul Mônaco — um azul marinho metálico — com seus adereços aerodinâmicos inferiores e parachoques pintados na cor prata. E ainda haviam rodas esportivas de 14 polegadas, faróis de milha com a carcaça pintada na cor da carroceria e o aerofólio na traseira.