Mercedes-Benz C 180 Estate rema contra a maré de SUVs

Em um mundo dominado por SUVs e crossovers, dirigir peruas como a Mercedes-Benz C 180 Estate é um alento. Uma opção a se considerar

9566

Cada vez mais raras, as peruas hoje à venda no Brasil se contam nos dedos da mão. Isso porque a indústria criou os tais SUVs e crossovers, o consumidor gostou e agora ninguém mais quer saber delas. Uma pena, pois para o uso da família, station-wagons como essa Mercedes-Benz C 180 Estate são bem mais interessantes. Nadando contra a corrente do mercado, acham poucos – porém sábios – compradores. Eu seria um deles. E nem preciso mudar de marca para expôr meus motivos. Essa C 180 custa apenas R$ 1.000 a mais que um GLA 200 Enduro, versão similarmente equipada do “SUV” do Classe A (que está mais para um hatch anabolizado).

Analisando bem os dois, não vejo por que não escolher a perua. Pra começo de conversa, acho-a mais bonita do que o espalhafatoso GLA. Essa é uma questão de gosto, claro – mas independentemente disso, é na construção e ao volante que ela mostra toda a sua superioridade. Sua plataforma tem entre-eixos 14 cm maior que a do GLA, resultando em mais espaço, e o porta-malas é maior. Mas as maiores vantagens estão na dinâmica: a tração traseira garante dirigibilidade mais afiada e, na serra, a menor altura e as suspensões mais sofisticadas não fizeram o pequeno Mathias enjoar como ocorre nos crossovers (nem minha esposa reclamar nas curvas).

E a aerodinâmica melhor da perua faz com que seu consumo seja mais contido, superando na prática 11 km/l na cidade e 17 km/l na estrada (é nota B no PBEV e o GLA, C). Para completar, o acabamento é melhor do que no crossover. De negativo, a Estate tem acerto um pouco pesado da direção nas manobras – mas compensa com enorme precisão em alta velocidade – e a lista de equipamentos deveria incluir itens mais sofisticados como piloto automático adaptativo, park assist ou outras tecnologias de ponta.

Destaque negativo também para os pneus run-flat, que podem rodar com limitações mesmo furados, mas ao custo de um alto ruído no asfalto irregular. De qualquer forma, boa parte desses problemas é compartilhada com o GLA, e para mim não há nada (fora modismo ou gosto) que justifique optar pelo crossover. Se eu compraria essa Estate? Ficaria na dúvida, pois o sedã C 200 Avantgarde custa exatamente o mesmo, e apesar de ficar devendo parte da praticidade e versatilidade, traz um 2.0 mais forte e mais potente (e quase tão econômico). Como opção ao GLA, porém, sem dúvida nenhuma eu seria um daqueles poucos consumidores nadando contra a corrente.

—–

Ficha técnica:

Mercedes-Benz C 180 Estate Avantgarde

Preço básico: R$ 175.900
Carro avaliado: R$ 175.900
Motor: 4 cilindros em linha, 16V, duplo comando variável, injeção direta, turbo
Cilindrada: 1595 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 156 cv a 5.300 rpm
Torque: 25,5 kgfm de 1.200 a 4.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, sete marchas, modo Sport
Direção: elétrica
Suspensões: multi-link (d/t)
Freios: discos ventilados (d) e discos sólidos (t)
Tração: traseira
Dimensões: 4,702 m(c), 1,810 m (l), 1,457 m (a)
Entre-eixos: 2,840 m
Pneus: 225/50 R17 (run-flat)
Porta-malas: 490 litros (até 1.510 litros c/ banco rebatido)
Tanque: 66 litros
Peso: 1.500 kg
0-100 km/h: 8s7
Velocidade máxima: 221 km/h (limitada)
Consumo cidade: 10 km/l
Consumo estrada: 13,6 km/l
Nota do Inmetro: B
Emissão de CO2: 119 g/km
Classificação na categoria: A (Extra-grande)

—–

Contraponto

Por Rafael Poci Déa

Eu não compraria a C 180 Estate. Por quê? Bem, eu olharia com carinho para o Volkswagen Golf Variant Highline (iniciais R$ 105.990), como já citada pelo meu colega Flavio. Ou seja, economizaria R$ 70.000 e levaria um pacote de série semelhante. Com essa diferença ainda posso comprar um Citroën C4 Lounge 2.0 Auto Origine (R$ 69.990) para os dias de rodízio de placas. A perua da Volks oferece opcionalmente o piloto automático adaptativo (não disponível no Mercedes-Benz). Mesmo completo, o Golf Variant tem um preço inferior ao da C 180.

Perua por perua, a da Volks possui dimensões inferiores, contudo, compensa pelo porta-malas maior (605 litros). Embora seu motor 1.4 turbo seja menos potente, ela traz um rápido câmbio de dupla embreagem DSG de sete marchas, que transmite algumas pitadas extras de esportividade. Ainda não preciso de uma station wagon, mas se fosse o caso escolheria investir o meu dinheiro na perua da Volkswagen. Embora a C 180 Estate também seja uma ótima perua, no meu caso ainda gosto mais de economizar.

COMPRE SE…
Você não liga para modismos do mercado e quer apenas um carro que seja prático e espaçoso para o uso da sua família.
Consumo de combustível contido e uma dinâmica afiada estão entre suas principais prioridades ao escolher um carro.

NÃO COMPRE SE…
Você gosta de ver o mundo do alto, e busca um carro com posição de dirigir elevada para se destacar no trânsito.
Suas viagens costumam incluir estradinhas de terra que exigem um maior vão livre do solo para evitar raspadas em pedras e valetas.

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES
blog comments powered by Disqus