Os campeões das 20 marcas que mais vendem

Saiba quais são os best-sellers das principais montadoras, conheça suas faixas de preço e veja como cada modelo se posiciona no fator custobenefício e no fator mercado

423

Esta é a lista ideal para quem está procurando um carro para comprar, mas tem receio sobre seu posicionamento no mercado. Para comemorar 20 anos na estrada e atender a expectativa desse público, MOTOR SHOW destaca somente os carros campeões de venda das 20 principais marcas de automóveis do País.

Mercedes Classe C

Ao longo dos anos a Mercedes vem tentando deixar os modelos da Classe C mais esportivos. Por isso, acaba de trazer uma nova geração. No Brasil, o Classe C é vendido nas versões Sedan, Coupé e AMG. Mas só a Sedan já chegou na nova geração: C 180 Avantgarde, C 180 Exclusive (ambas com motor 1.6 turbo de 156 cv), C 200 Avantgarde (2.0 turbo de 184 cv) e C 250 Sport (2.0 turbo de 211 cv). No total, são oito versões, inclusive duas AMG com motor 6.2 V8 de 457 cv. A carroceria Touring não está no catálogo atual do Mercedes-Benz Classe C. 

Volkswagen Gol

O Gol é o carro mais vendido do Brasil há 27 anos, mas nem por isso é barato. Com a saída de linha da geração G4, o Gol G5 – que tem um design perfeito para seu porte – é vendido em 14 versões. São quatro 
com motor 1.0 de 72/76 cv (gasolina/etanol) e dez com motor 1.6 de 101/104 cv. Dessas, seis utilizam o câmbio automatizado I-Motion, inclusive a versão mais cara da linha (Rallye). O Gol mais barato, versão
Trendline 1.0, passa de R$ 32.490 para R$ 35.240 se for equipado com ar-condicionado e direção hidráulica.

Citroën C3

Dez posições separam o Citroën do campeão mais próximo no ranking (o Civic, da Honda, em 13º). A explicação é que o C3 posiciona-se como um compacto premium. Ele tem quatro versões 1.5 de
89/93 cv com câmbio manual de cinco marchas (até R$ 49.990) e duas 1.6 de 115/122 cv com câmbio automático de quatro (a partir de R$ 50.990). Os dois motores são ex. Como compacto premium, o C3 é
um pouco mais caro que a média, mas faz sucesso. Um de seus diferenciais é o para-brisa panorâmico Zenith, que avança sobre uma parte do teto. 

Chery QQ

O pequenino QQ disputa com o Celer a primazia de ser o carro-chefe da Chery. Suas vendas são bem próximas, mas o QQ tem um atrativo extra: é o carro mais barato do Brasil. Importado da China, o QQ
utiliza motor 1.1 de 68 cv, tem quatro portas e procura atrair o público jovem que busca seu primeiro carro. Ele vem equipado com ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, rádio/CD player e faróis
de neblina. Custando menos de R$ 24.000, o QQ é vendido nas cores cinza, vermelha, branca e preta. 

Hyundai HB20

Este compacto coreano representou uma transformação no segmento. Antes dele, os carros nacionais dessa categoria não tinham um padrão de qualidade superior. O HB20 não é barato, mas faz sucesso desde
seu lançamento. O motor 3 cilindros 1.0 ex é uma de suas inovações. São quatro versões 1.0 de 75/80 cv até R$ 40.900, quatro 1.6 manual de 122/128 cv entre R$ 43.375 e R$ 51.575 e quatro 1.6 automática a partir de R$ 46.675. Todas as versões vêm com ar-condicionado, direção elétrica e computador de bordo. 

Suzuki Grand Vitara

O Grand Vitara caiu no gosto dos brasileiros desde sua chegada ao País, no começo dos anos 1990. Atualmente ele é produzido no Japão e importado para o Brasil em seis versões: três 4×2 e três 4×4. 
Existe uma versão manual de cinco marchas com tração 4×2 e outra 4×4; todas as demais são automáticas de seis velocidades. O motor é um só: 2.0 a gasolina de 140 cv. Os proprietários podem participar do   Suzuki Adventure, que tem três categorias – uma delas bem leve, para disputar com a família.

BMW Série 3

O brasileiro sempre foi apaixonado pelo BMW Série 3. Desde a abertura das importações, nos anos 1990, esse carro faz sucesso. Atualmente, a BMW vende oito versões de seu mais famoso sedã: 316i, 320i, 320i GP, 320i Sport GP, 328i, 328i Sport GP, 335i e 335i M Sport. São quatro motores: 1.6 de 136 cv (versão 316), 2.0 de 184 cv (versões 320), 2.0 de 245 cv (versões 328) e 3.0 de 306 cv (versão 335). 
Este último é o único seis cilindros da linha. Todas as versões têm apelo esportivo e tração traseira, que dá mais prazer na direção. 

Renault Sandero

O Sandero está em nono lugar no ranking. A nova geração oferece duas versões 1.0 ex de 77/80 cv e duas 1.6 de 98/106 cv. A mais cara é a Dynamique, que custa R$ 42.390. Mas o Sandero antigo ainda continua à venda em quatro versões Stepway (mais aventureira), todas com motor 1.6 ex até 106 cv, sendo duas automáticas. Mas elas serão substituídas em breve. No Salão de São Paulo chegam o novo Sandero Stepway e a versão automatizada de cinco marchas. O atrativo do Sandero é o seu grande espaço interno. 

Audi A3

O Audi A3 está retornando aos bons tempos. Em 2015 ele voltará a ser fabricado no Paraná, mas só na carroceria sedã. O excelente motor 1.4 turbo de 122 cv, com injeção direta de combustível, equipa as versões mais baratas do A3 Sport, do A3 Sportback e do A3 Sedan. As mais caras vêm com bloco1.8 TSFI de 180 cv. Os dois motores turbinados trabalham com o câmbio S tronic de sete velocidades. São quatro versões do A3 Sportback, quatro do A3 Sedan e uma do A3 Sport (com motor 1.8). 

Toyota Corolla

O sedã médio mais vendido do Brasil acabou de ganhar uma nova geração e tem quatro versões. Com motor 1.8 ex de 139/144 cv são duas opções – uma manual e outra CVT “multidrive”. Ambas cam
abaixo de R$ 70.000. As duas versões 2.0 ex de 143/154 cv também usam câmbio CVT, mas chamado de “multidrive S”, com shift paddles, e custam mais de R$ 80.000. O Corolla é um sedã extremamente
bem construído e sua história no Brasil é marcada pelo sucesso desde o lançamento do modelo nacional, em 1998. 

Ford New Fiesta

O catálogo do Ford mais vendido no Brasil inclui o antigo Fiesta Rocam (1.0 e 1.6) e o New Fiesta (1.5 e 1.6). São quatro motores diferentes para duas carrocerias. As duas versões do Fiesta Rocam (1.0 de 69/73 cv e 1.6 de 101/107 cv) deixaram de ser produzidas, mas podem ser encontradas em estoques de concessionárias. Já o moderno New Fiesta tem duas versões 1.5 de 107/111 cv (a partir de R$ 42.890) e três 1.6 de ótimos 125/130 cv (a partir de R$ 55.090) para brigar numa faixa mais cara. 

Land Rover Evoque

O Evoque foi o grande lançamento da Land Rover neste século. Na verdade, o nome o cial do carro é Range Rover Evoque, pois ele faz parte da família super premium da marca. No Brasil, o Evoque está 
disponível em sete versões com dois motores. Cinco usam o 2.0 a gasolina de 240 cv; duas utilizam o 2.2 a diesel de 190 cv. Desse total, três têm carroceria cupê de duas portas. Todas as versões estão equipadas com câmbio de nove marchas. O Evoque é uma releitura do visual de outro mito inglês: o Mini Cooper.

Ford New Fiesta

O catálogo do Ford mais vendido no Brasil inclui o antigo Fiesta Rocam (1.0 e 1.6) e o New Fiesta (1.5 e 1.6). São quatro motores diferentes para duas carrocerias. As duas versões do Fiesta Rocam (1.0 de 69/73 cv e 1.6 de 101/107 cv) deixaram de ser produzidas, mas podem ser encontradas em estoques de concessionárias. Já o moderno New Fiesta tem duas versões 1.5 de 107/111 cv (a partir de R$ 42.890) e três 1.6 de ótimos 125/130 cv (a partir de R$ 55.090) para brigar numa faixa mais cara.

Mitsubishi L200

A picape L200, produzida em Catalão (GO), tem um apelo esportivo muito forte, tanto que superou o Pajero como modelo mais vendido da marca. Ela tem sete versões e usa três motores: 3.2 diesel de 180 cv,
3.5 ex de 200/205 cv (g/e) e 2.4 ex de 138/142 cv. A versão mais barata é a HLS 2.4 e a mais cara é a HPE diesel automática. O motor 3.5 ex é usado pela versão HPE Flex AT (R$ 106.990). O 3.2 a diesel equipa cinco versões. A caçamba da L200 tem 1,325 m de comprimento e 1,470 m de largura. Leva 1.095 quilos. 

Honda Civic

O sedã Civic, carro-chefe da montadora japonesa, é produzido no Brasil desde 1997, com excelente histórico. Ele utiliza dois motores e três versões. O motor 1.8 ex de 139/140 cv está disponível na versão manual de cinco marchas (preço de entrada) e na automática de seis (R$ 68.890). Já o 2.0 de 150/155 cv só pode ser comprado na versão automática com shift paddles, que é a mais cara da linha. Os motores
são construídos em alumínio. Seu porta-malas tem capacidade para 449 litros. A versão topo de linha EXR chega no Salão de São Paulo. 

Peugeot 208

O compacto 208 é seguramente um dos melhores carros de sua categoria. Ele é vendido em seis versões, todas com motor 1.5 ex de 89/93 cv (g/e). Trata-se do mesmo motor usado no Citroën C3, com 
1449 cm3 de cilindrada. Todas as versões do 208 vêm equipadas com ar-condicionado, direção elétrica e rádio/ MP3. O grande diferencial do Peugeot 208 é a sua dirigibilidade. Com o volante em posição mais baixa em relação ao quadro de instrumentos, ele dá prazer na condução e conquista quem o experimenta.

Chevrolet Onix

Apresentado no Salão de São Paulo de 2012, o Onix está ganhando cada vez mais mercado. Ao contrário de seus concorrentes da Fiat e da Volkswagen, o Onix tem apenas quatro versões: duas 1.0 de 78/80
cv (gasolina/etanol) e duas 1.4 de 98/106 cv. O carro tem um belo visual e o ar-condicionado da única versão sem esse equipamento (LS 1.0) custa R$ 1.700. O interessante sistema multimídia My Link, da Chevrolet, faz parte de um pacote que custa R$ 1.400 no Onix 1.0 (R7I) e R$ 1.300 no Onix 1.4 (R7N).

Fiat Palio

Com duas carrocerias, três motores e sete versões que abrangem uma faixa de R$ 20.000, o Palio é o carro-chefe da Fiat. Devido à sua ampla oferta, ele atende desde os frotistas que compram carro “pelado”
até o consumidor que busca um carro mais potente e equipado, como o Palio Sporting 1.6. As três versões mais baratas são chamadas de Palio Fire e usam motor 1.0 de 73/75 cv na carroceria da terceira geração. Já o “novo” Palio tem uma versão 1.0, uma 1.4 de 85/88 cv e duas 1.6 de 115/117 cv. Todos os motores são ex. 

JAC J3

Considerando as vendas do J3 hatch e sedã separadamente, o J2 é o carro mais vendido da JAC Motors, com 1.641 emplacamentos. Mas a soma das duas carrocerias faz do J3 o carro-chefe da marca chinesa
no Brasil. São quatro versões: duas com motor 1.3 a gasolina de 108 cv e duas com motor 1.5 ex de 125/127 cv. Os J3 mais potentes ganham a letra S para indicar sua maior esportividade. Os hatches somaram
1.391 emplacamentos, contra 1.238 dos sedãs. Todas as versões têm ar-condicionado e direção hidráulica.

Nissan New March

Com a chegada do New March nacional, o antigo March fabricado no México terá apenas uma versão 1.0 básica. Mas, enquanto houver estoque, a Nissan vende o modelo em três versões 1.0 (até R$ 33.990) e duas 1.6 (até R$ 36.590). O New March tem três versões 1.0 (a partir de R$ 32.990) e três com motor 1.6 (a partir de R$ 37.490). Os dois motores são ex. O 1.0 tem 74 cv de potência e o 1.6 entrega bons 111 cv. Tanto o March quanto o New March são ótimos negócios, pois os carros estão bem posicionados em relação à concorrência. 

Kia Sportage

O Sportage é um dos melhores SUVs do País, mas suas vendas são limitadas pelo programa InovarAuto, que restringe o volume de importação da Kia Motors. Ele é vendido em três versões com motor 2.0 ex
de 169/178 cv (g/e). A mais barata e a mais cara têm câmbio automático sequencial de seis marchas e tração 4×2. A intermediária (R$ 99.900) tem tração integral e a mesma transmissão das outras duas. A versão manual não estava à venda durante nossa pesquisa. O Sportage automático tem nota A no Inmetro.

 

 

blog comments powered by Disqus