Audi A1 Sportback: pequeno carro, grandes emoções

3351

Há compras racionais e há compras emocionais. Esse Audi A1 Sportback, inegavelmente, é do segundo tipo. Afinal, racionalmente, por que alguém pagaria R$ 124.900 nessa versão topo de linha Ambition (sem opcionais) se por R$ 137.900 dá para levar um A3 Sedan Ambition – que, além de maior, é mais potente e completo? Emocionalmente, porém, o cliente comprará esse A1 porque gosta, porque quer. E se ele busca emoção ao volante, não se decepcionará. Ainda mais nessa linha 2016: além de ter sido reestilizada, ela ganhou novos recursos e um motor maior e (um pouco) mais potente.

No design, faróis com linhas mais retas, lanternas de LED e novas grades, para-choques e rodas atualizaram esse A1 com o resto da linha Audi. O comprimento cresceu tímidos 2 cm – exatamente a mesma medida que o separa do Honda Fit. E não parece, pois o A1 é apertadinho, com portas traseiras pequenas, onde mal passa uma cadeirinha infantil (o porta-malas, por outro lado, não é tão pequeno assim: leva bons 270 litros, 10 a mais que o Jeep Renegade). Na mecânica, a maior novidade é a troca do bom mas complicado 1.4 com dupla sobrealimentação (turbo e compressor) por um 1.8 turbo que combina injeção direta e indireta.

A potência foi de 185 para 192 cv e o torque se manteve em 25,5 kgfm. No desempenho, ganhou só 1 décimo no 0-100 km/h (leva os mesmos 6s9 do A3 Sedan 2.0) e 7 km/h na máxima. O carro ficou um pouco mais gastão e, em certas situações, com a ausência do compressor, a demora nas respostas aumentou. Mesmo assim, a mudança foi positiva, principalmente nas retomadas. A transmissão segue a rapidíssima dupla embreagem S tronic (abandonada nos A3 nacionais). Um conjunto que garante diversão, com tocada bem similar à do novo Mini Cooper S. A direção elétrica também é nova.

Não perdeu sensibilidade, mas podia ter mais peso – algo que não ganha nem mesmo quando no modo Dynamic do Audi Drive Select (outra boa novidade, exclusiva desse Ambition). Nesse modo esportivo, o sistema melhora as respostas do motor e deixa o controle de estabilidade mais permissivo, mas não altera nem a direção nem as suspensões. Falando nelas, o A1 tem eixo de torção atrás, e por isso mesmo com ajuste bem duro (evite ruas esburacadas!), a carroceria rola acima do esperado nas curvas rápidas. Nada, porém, que prejudique sensivelmente a ótima tocada. Em casos extremos, o novo sistema de vetorização de torque atua nos freios e mantém o carro na pista.

Voltando ao Audi Drive Select, há ainda os modos Auto e Efficiency: o primeiro se adapta ao modo de guiar do motorista, o segundo deixa o hatch um pouco mais econômico, adiantando as subidas de marcha e fazendo “banguela” automática (desacopla a transmissão ao se aliviar o pé direito). O A1 Sportback também é vendido na opção Attraction 1.4 (R$ 106.990). Ela recebeu as mesmas mudanças visuais e direção elétrica. Ainda ganhou um tiquinho de potência (de 122 para 125 cv). Esse motor menor já garante boa desenvoltura ao compacto, mas se é para fazer uma compra emocional, que ela venha com a dose máxima de emoção, não?

—–

Ficha técnica

Audi A1 Sportback Ambition 1.8 TFSI

Preço básico: R$ 124.990
Carro avaliado: R$ 139.990
Motor: 4 cilindros em linha 1.8, 16V, duplo comando variável, válvulas com variação de abertura (Valvelift), turbo, injeção direta e indireta, start-stop
Cilindrada: 1798 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 192 cv a 5.400 rpm
Torque: 25,5 kgfm de 1.250 a 5.300 rpm
Câmbio: automatizado, sete marchas, dupla embreagem
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: dianteira, bloqueio eletrônico do diferencial
Dimensões: 3,973 m (c), 1,746 m (l), 1,422 m (a)
Entre-eixos: 2,469 m
Pneus: 215/40 R17
Porta-malas: 270 litros (920 com banco rebatido)
Tanque: 45 litros
Peso: 1.205 kg
0-100 km/h: 6s9
Velocidade máxima: 234 km/h
Consumo cidade: 12,6 km/l
Consumo estrada: 15,2 km/l
Emissão de CO2: 114 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: C (Médio)

blog comments powered by Disqus