Peugeot 2008 Griffe THP: crossover temperamental

20680
Preço do modelo parte de R$ 67.190

Não é a primeira vez que dirijo o Peugeot 2008 Griffe THP. Contudo, sempre é uma experiência divertida. Porquê? Tudo culpa do seu motor 1.6 THP (Turbo High Pressure) de 173 cv de potência quando abastecido com etanol. Mamma Mia… como esse crossover é divertido de guiar! Sua unidade 1.6 THP flex oferece um desempenho empolgante e o torque disponível em uma ampla faixa de rotação garante boas respostas logo após a marcha lenta. O temperamento do 2008 é moldado pelo câmbio manual de seis marchas, com engates precisos. Em relação ao Peugeot 208, o curso da alavanca foi reduzido e privilegiou a minha condução esportiva.


A beleza e a esportividade do 2008 se revelam por fora e por dentro. O volante é pequeno e mais baixo do que o padrão. A alavanca de câmbio tem o curso pequeno. Um botão no console ajusta para o fora-de-estrada e a tela multimídia é boa, mas seu sistema é lento

O 2008 é picante e também são elogiáveis suas suspensões firmes e bem calibradas, que garantem uma dirigibilidade precisa tanto no asfalto quanto em pisos não pavimentados. Posso não ser um consumidor aventureiro, mas decidi encarar um fora-de-estrada para testar o Grip Control. Esse sistema permite ao condutor escolher o controle de tração para barro, areia, nave, normal ou ser desligado. E fiquei surpreso com as aptidões “lameiras” do Peugeot. Ele enfrentou com desenvoltura os obstáculos pelo caminho – graças ao ângulo de entrada de 22° e o vão livre em relação do solo de 20 cm.

Igualmente digna de aplausos é a cabine. Ela oferece ótima posição de dirigir e ergonomia adequada, além de um volante com raio reduzido de boa pegada. A direção tem assistência elétrica, com respostas diretas ao esterço. Gostei do teto solar panorâmico e do ar-condicionado de duas zonas – este último encontrado em todas as versões. Entretanto, fiquei um tanto incomodado com o pedal do acelerador leve demais e o acionamento pesado do freio de estacionamento. A central multimídia tem tela de 7 polegadas sensível ao toque e interface intuitiva de operar.


As bonitas rodas de liga são aro 16. Os bancos não são de couro, mas agradam pelo conforto. Atrás, o assento é baixo

Porém, tentei conectar (sem sucesso) o meu smartphone por bluetooth. Tirando estes pequenos deslizes, o Peugeot 2008 me conquistou também por seu porta-malas espaçoso, que acomodou todas as minhas compras do supermercado e as tralhas do final de semana. Ainda não sou um consumidor de crossovers, mas estou quase me decidindo pela compra de um. Quem sabe não seja um 2008 THP. Para mim, ele é uma compra que vale a pena.

—–

Ficha técnica:
 

Peugeot 2008 Griffe THP
 

Motor: 4 cilindros em linha, 16V, duplo comando variável, turbo, injeção direta
Cilindrada: 1598 cm3
Combustível: flex
Potência: 165 cv a 6.000 rpm (g) e 173 cv a 6.000 rpm (e)
Torque: 24,5 kgfm a 1.750 rpm (g/e)
Câmbio: manual, seis marchas
Tração: dianteira (modos neve, barro e areia)
Direção: elétrica
Dimensões: 4,159 m (c), 1,739 m (l), 1,583 m (a)
Entre-eixos: 2,542 m
Pneus: 205/60 R16
Porta malas: 355 a 1.172 litros
Tanque: 55 litros
Peso: 1.231 kg 0-100 km/h:8,3 segundos (g) e 8,1 segundos (e)
Velocidade máxima: 206 km/h (g) e 209 km/h (e)
Consumo cidade: 10,7 km/l (g) e 7,1 km/l (e)
Consumo estrada: 12,4 km/l (g) e 8,5 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Classificaçnao na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

—–

Contraponto

Por Sergio Quintanilha | Redator-Chefe

Minha expectativa ao comprar um 2008 seria a de estar adquirindo um carro mais alto e robusto. E este Peugeot não me mostrou isso. Trata-se, claro, de um ótimo automóvel, com um motor turbo potente, elástico e econômico, excelente acabamento interno, design irretocável, boa posição de dirigir e espaço interno agradável. Mas tudo isso eu posso achar em outros carros, inclusive da própria Peugeot, como o 3008. Fui surpreendido, durante a avaliação, ao ficar perto de uma antiga perua Peugeot 207 SW Escapade, em um congestionamento nas ruas de São Paulo.

Até a cor era vermelha. Achei os dois carros tão parecidos, especialmente a altura do banco do motorista, que decidi verificar alguns dados nas fichas técnicas. O 2008 é ligeiramente maior, mais largo e mais alto do que a Escapade, mas seu vão livre do solo é 40 mm menor (200 mm contra 240 mm). E foi isso mesmo que eu senti nos dias em que convivi com o 2008: que estava dirigindo uma perua e não um crossover como eu entendo que deva ser um. Só por esse motivo eu já não o compraria.

blog comments powered by Disqus