Chevrolet começa 2017 dando um banho na concorrência

Onix e Prisma vendem quase o dobro dos rivais mais próximos e puxam a GM para o alto. Briga deixa de ser entre marcas e passa a ser entre montadoras

19221
Chevrolet Spin: praticamente sozinho em seu nicho, é preferido por 39 a cada 40 comprovadores de minivans.

O ano mal começou e já parece claro que a Chevrolet não tem mais concorrentes no Brasil. Arrancou tranquilamente para o terceiro título consecutivo. Quem puxou a marca para o alto foi a dupla Onix/Prisma, que vendeu quase o dobro dos concorrentes mais próximos.

O Chevrolet Onix emplacou 13.900 unidades em janeiro, contra 7.362 do Hyundai HB20. Este, terá de lutar para não perder o segundo lugar de hatch mais vendido para o Ford Ka, que estreou muito bem, emplacando 7.079 carros. O Onix tem robustos 41,1% de vendas em sua categoria.

Entre os sedãs, o Chevrolet Prisma vendeu 4.064 unidades, enquanto o Hyundai HB20S ficou em 2.646. Na divisão do bolo da categoria, 23,6% para o Prisma e 15,3% para o HB20S.

Mas não foi só a campeoníssima dupla Onix/Prisma que levou a Chevrolet para o alto. Sua outra dupla de grande volume, Cobalt/Spin, também fez sua parte. O Cobalt vendeu 1.633 unidades e lidera sua categoria com 58,6%, seguido pelo Honda City, que vendeu 1.048 e detém 37,6% do bolo.

Quanto ao Spin, que é o carro preferido por 39 a cada 40 compradores de minivans, emplacou 2.061 unidades. Só perde para o Honda Fit, que vendeu 2.271, mas é um monovolume pequeno e, portanto, não concorre diretamente com o Chevrolet.

Nessa toada, a Chevrolet acumulou 20% de todas as vendas de automóveis de passeio no primeiro mês de 2017. São 8 pontos percentuais de diferença sobre a Volkswagen, a segunda colocada, e o dobro de pontos obtidos pela Ford, que aparece em terceiro.

Mas isso tem uma explicação. E ela se chama Fiat. Ou melhor: Fiat Chrysler Automobiles (FCA). Com a chegada da Jeep ao Brasil, a marca Fiat direcionou suas forças para os comerciais leves, onde é líder disparada, com 37,6%. Na briga dos automóveis, quem puxa a FCA é a Jeep. Portanto, Fiat e Jeep dividem suas vendas como marca no Brasil, enquanto a Chevrolet é a única marca da General Motors (GM).

Para além disso, a Fiat sofre com a retração nas vendas dos carros de entrada, onde era fortíssima. Tanto que entre os três modelos mais vendidos da FCA em janeiro, dois foram hatches da Fiat (Palio e Mobi) e um foi o novo SUV da Jeep (Compass).

Para se ter uma ideia de como o mercado mudou, os números de vendas dos três foram parecidíssimos: 3.171 (Palio), 3.169 (Mobi) e 3.093 (Compass). Já a diferença de preços entre eles é gritante: vai dos R$ 33.030 do Mobi aos R$ 101.990 do Compass. O Palio parte de R$ 43.910.

Com isso, a Fiat despencou para a quinta posição na venda de automóveis de passeio, com apenas 9,5% de participação no mercado. Mesmo somando as vendas dos comerciais leves da Fiat (Strada, Toro, Fiorino, Ducato e Doblò) e da Chevrolet (S10 e Montana), a marca da FCA fica atrás da marca da GM: 19.851 vendas contra 27.643.

Porém, quando esquecemos a marcas e analisamos os fabricantes, aí sim a situação volta a ficar competitiva. No mercado de carros de passeios, a GM tem 20% e a FCA tem 14,4%. Nos comerciais leves, a FCA ganha de goleada por 37,6% a 14,9%. Finalmente, na soma geral de veículos leves (carros, picapes, vans e furgões), temos uma disputa no Brasil: a GM vendeu os já citados 27.643 (19,2%), enquanto a FCA vendeu  25.778 (18%).

São apenas 1.865 carros de diferença e ainda temos 11 meses pela frente. Conseguirá a FCA recuperar a liderança e manter-se à frente da GM, como ocorre há dois anos? O tempo dirá. Mas é nessa disputa que temos de ficar de olho, pois na briga das marcas dificilmente alguma conseguirá impedir o tricampeonato da Chevrolet.

blog comments powered by Disqus