Avaliação: Lifan X60 ganha câmbio automático CVT e novo visual

Com uma relação rara de encontrar entre tamanho e preço, o SUV Lifan X60, apesar de algumas falhas, tem ótima relação custo-benefício. Isso já mostramos na última avaliação que fizemos do SUV, que você pode conferir aqui.

Modelo chinês mais vendido no Brasil no ano passado, o X60 chega às concessionárias brasileiras com boas novas em setembro ou outubro deste ano para  se segurar na liderança mesmo com a chegada de outros crossovers interessantes, como os também chineses JAC T5 e T6.

Mais importante que o visual atualizado, com frente bem diferente e outras mudanças estéticas externas e internas (como a saída de escape dupla, apenas estética, os novos retrovisores e os comando do ar-condicionado redesenhados), o X60 finalmente vai ganhar uma transmissão automática, item cada vez mais desejado pelos consumidores e quase essencial nessa faixa de preço. A marca pretende também alterar detalhes de acabamento e colocar uma central multimídia maior e mais completa, com tela de 8 polegadas.

Esse visual renovado e o novo câmbio servirão para manter as vendas do crossover em alta até a chegada de sua nova geração, que deve ocorrer ainda em 2017, como ano-modelo 2018 (e a marca tem muitas outras novidades em estudo para o mercado brasileiro, além do X50 que já mostramos aqui; falaremos delas muito em breve).

Fomos até a sede da marca em Chongqing, na China, conferir como anda o X60 com essa nova e aguardada transmissão. Não se trata de uma caixa automática convencional, mas um moderno câmbio continuamente variável (CVT), como os usados nos Honda HR-V e Fit, além do Toyota Corolla, entre outros modelos.

O test drive foi bastante curto, mas deu para ver que o motor 1.8 de 128 cv casou bem com a transmissão CVT. Acelerando com calma, as saídas são bastante suaves e o carro deslancha bem sem passar das 2.500 rpm. Pisando fundo, no entanto, ele demora um pouco mais a responder — mesmo problema que encontra nas retomadas. Nada anormal para esse tipo de transmissão, que prioriza o consumo e a suavidade ao rodar. De qualquer forma, em caso de pressa o modo Sport mantém os giros do motor sempre giros mais altos, melhorando as acelerações. E há ainda o modo manual, que simula cinco marchas, mas não há borboletas no volante (as trocas são feitas na alavanca mesmo).

Não deu para avaliar o consumo, mas deve ser contido, já que o motor 1.8 com comando variável (só a gasolina por enquanto) já se mostrava pouco beberrão na versão manual. Falando nisso, a versão com pedal da embreagem e caixa de cinco marchas não deve ter mudanças, seguindo com o escalonamento ruim, que deixa quarta e quinta muito próximas, fazendo rotações e ruído ficarem um tanto altos na estrada. Segundo a marca, também houve melhora na vibração e ruído, mas o curto test-drive não nos permitiu perceber esse aprimoramento.

No mais, é o mesmo X60 de sempre, com uma macia suspensão traseira independente, freios a disco nas quatro rodas, espaço de sobra no banco traseiro, porta-malas amplo e acabamento razoável. Uma boa lista de equipamentos, com central multimídia na versão VIP e bancos de couro, entre outros itens, completam o atraente conjunto. Que ficou ainda melhor com a caixa automática, que os JAC ainda não oferecem (o Chery Tiggo, outro rival direto, tem uma ultrapassada transmissão de quatro marchas).

Ainda é cedo para falar em preços, mas eles devem subir um pouco.Afinal, a Lifan está há tempos segurando seus valores. Imaginando um dólar estável, as versões manuais devem passar dos atuais R$ 61.990 e R$ 65.990 (Talent S/Vip) para R$ 63.990 e R$ 67.990, enquanto as automáticas custar automáticas devem custar R$ 67.990 a Talent S e R$ 71.990 a topo de linha VIP.

FICHA TÉCNICA
LIFAN X60 2017
Preço básico: R$ 63.990 (estimado)
Carro avaliado: R$ 67.990 (estimado)

Lifan X60
Motor: 4 cilindros em linha, 16V, DOHC, comando de admissão variável
Cilindrada: 1794 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 128 cv a 6.000 rpm
Torque: 17,1 kgfm a 4.200 rpm
Câmbio: automático CVT, modo sport com cinco marchas simuladas
Direção: hidráulica
Suspensão: MacPherson (d) e multi-link (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,325 m (c), 1,790 m (l), 1,690 m (a)
Entre-eixos: 2,600 m
Pneus: 215/65 R17 (VIP: 215/65 R18)
Porta-malas: 405 litros
Tanque: 55 litros
Peso: 1.330 kg
0-100 km/h: 11s7 (estimado)
Velocidade máxima: 170 km/h
Consumo: 12 km/l, média estimada (padrão chinês: 12,2 km/l na versão manual)
Emissão de CO2: não divulgada
Nota do Inmetro: não participa