A batalha dos esportivados

Roberto Assunção

Faz tempo que as montadoras pararam de investir em modelos esportivos produzidos no Brasil. Mas o desejo por esse tipo de carro continua presente no público jovem. Por isso, a Volkswagen e a Ford começaram a vender duas versões “esportivadas” mostradas no Salão de São Paulo de 2014: o Fox Pepper e o New Fiesta Sport. O termo esportivado é mais justo para definir esses carros, pois eles são, respectivamente, o Fox Highline e o New Fiesta SE com vários adereços esportivos. Tecnicamente, nada foi mudado em ambos. Embora tenham uma diferença de R$ 5.080 no preço – o Fox Pepper custa R$ 53.910 e o New Fiesta Sport sai por R$ 58.990 –, a equiparação de equipamentos pode deixá-los no mesmo patamar.

O New Fiesta Sport vem com rodas de liga leve pretas aro 16, faróis com máscara negra, aerofólio no teto, saias laterais, spoiler no para-choque dianteiro, controle de estabilidade e tração, sistema multimídia Sync com assistente de emergência e logotipo Sport na soleira das portas. Na cor preta, o carro aumenta R$ 1.270. Não há opcionais. Na concessionária, o cliente pode escolher os bancos vinil/couro (80%/20%) por R$ 1.250 ou os bancos couro/vinil (70%/30%) por R$ 1.750. O Fox Pepper vem com sensores de estacionamento, aerofólio no teto, faróis escurecidos, molduras nas caixas de rodas, pedais com apliques de alumínio, ponteira dupla do escapamento, bancos e volante de couro, spoiler no para-choque dianteiro, rodas de liga leve diamantadas aro 15, logotipo Fox Pepper na soleira das portas e sistema de som com bluetooth.

Na cor prata (metálica), ele aumenta R$ 1.178. Sua lista de opcionais é grande. Para se equiparar ao New Fiesta Sport, o Fox Pepper teria que incluir rodas aro 16 (R$ 322) e controle de estabilidade (R$ 1.209). E a esportividade? O Fox Pepper traz o novo motor 1.6 MSI, que elevou a potência para 120 cv. Já o New Fiesta Sport usa o bloco 1.6 Sigma TiVCT de 128 cv. A relação peso-potência do Fox é de 9,2 kg/cv, contra 8,8 kg/cv do Fiesta. Mas o Pepper faz 0-100 km/h em 9,8 segundos e o Sport leva 11,7 segundos. O “milagre” desses quase 2 segundos a favor do Fox está na relação de marchas mais curta (e são seis marchas contra cinco) e no torque maior em baixa (16,8 kgfm a 4.000 giros contra 16,0 a 5.000).

Em termos de consumo, os carros gastam praticamente a mesma coisa na cidade. Na estrada, porém, o New Fiesta conseguiu fazer 13,4 km/l com gasolina e 9,4 km/l com etanol. O Fox faz 12,0 km/l com gasolina e 8,4 km/l com etanol. Daí porque tem a nota C do Inmetro, apesar do câmbio de seis marchas, contra a nota B do rival. Mas dirigindo é que são elas! Considerando que a maioria dos consumidores desses carros esportivados seja jovem, é razoável supor que essas pessoas não compram um esportivo de verdade por questão de oferta e/ou preço.


O VW Fox Pepper tem molduras pretas nas caixas de rodas, interior com vários detalhes em vermelho, volante e bancos de couro, quadro de instrumentos do Fox Highline e rodas aro 16 diamantadas (opcionais)

Portanto, mesmo sem esperar um grande desempenho nesse momento, elas devem gostar de algumas características que futuramente, em outra compra, encontrarão em verdadeiros esportivos, tais como: a direção precisa e direta, os engates de marcha justos, a estabilidade nas curvas, a pegada do volante, a sensibilidade do pedal do acelerador, a proximidade dos pedais para eventuais punta-tacos e, claro, a posição de dirigir. Nesses itens o New Fiesta Sport mostra-se um carro superior ao Fox Pepper.

Maior, mais largo e mais baixo, o Ford acomoda melhor o motorista, com o volante na altura do peito, e rola menos em curvas de alta. Ele fica mais à mão do condutor, embora sua aceleração a partir da imobilidade seja decepcionante. Na estrada, em velocidade, o New Fiesta Sport mostra-se muito mais prazeroso de guiar. O Pepper, embora tenha o mérito de ser a primeira versão com apelo esportivo da linha Fox, é um carro notadamente urbano. Sua posição de dirigir é extremamente alta, pois sua proposta nunca foi a do Pepper.


O Ford New Fiesta Sport tem boa aerodinâmica, volante de plástico com pegada fina, interior e quadro de instrumentos iguais aos do Fiesta SE, rodas de liga leve aro 16 pintadas de preto e bancos esportivos de vinil ou couro (opcionais)

Essa ergonomia a favor de pernas compridas faz com que a parte logo abaixo do joelho direito fique batendo na lateral do console central – uma situação que incomoda bastante. Além disso, o pedal do acelerador encosta no batente a qualquer pisada, passando a impressão de que o carro não tem nada a oferecer quando solicitado pelo pé direito. E o imaginário do consumidor do Fox Pepper deve ser bem diferente do de um fã do CrossFox – esse sim coerente com a altura do carro.

Em compensação, o volante de couro e com pegada grossa do Pepper dá um banho no volante de plástico, fino e sem graça do Sport. Sem considerar as versões 1.0 do Fox, o New Fiesta vende um pouco mais. No primeiro trimestre foram 12,4 mil vendas do Fiesta 1.5/1.6 contra 11,7 mil do Fox 1.6. O New Fiesta Sport só pode ser encontrado com câmbio manual. Já o Fox Pepper pode ser comprado também na versão automatizada I-Motion, por R$ 57.290. Quem ganhará a briga pelo consumidor jovem? Não sabemos. Mas em nosso comparativo o New Fiesta Sport foi o vencedor.