A fórmula do sucesso

Renault Sandero está de cara nova. Lançado em 2007, o hatch ganhou sua primeira reestilização. Na edição passada, mostramos sua versão aventureira, a Stepway (que aparece novamente nesta edição em um comparativo com o CrossFox). Agora é hora de conferir em detalhes a configuração de maior volume de vendas, a 1.0 Expression.

Para-choque dianteiro, capô, grade e lanternas, entre outros detalhes, são as mais notáveis novidades visuais. Mas, se o desenhou mudou, a mecânica não. O motor 1.0 com 16 válvulas gera 77 cv de potência e 10,1 kgfm a altas 5.850 rpm (com etanol) e garante boas respostas, apesar de precisar girar alto. O câmbio manual de cinco marchas tem engates macios e precisos. As suspensões do tipo MacPherson na dianteira com eixo de torção na traseira transmitem conforto aos ocupantes e cooperam para o rodar macio. Na versão avaliada, Expression (R$ 31.300), as rodas de ferro com calotas de aro 14 usam pneus 185/70, mas podem ser substituídas (opcionalmente) por um conjunto mais esportivo de 15 polegadas, com “borrachudos” pneus 185/65.

Se no conjunto mecânico o Sandero preservou suas boas qualidades para enfrentar o anda e para dos grandes centros urbanos, a ergonomia e a qualidade dos materiais empregados no interior, fontes de muitas críticas na geração anterior, foram aprimorados. Finalmente os botões dos vidros elétricos deixaram o console central, pintado na elegante cor cinza, e foram instalados nas portas. Além disso, o Sandero 2012 mantém a posição elevada de dirigir, que agrada a muitos, e os novos tecidos dos bancos são mais macios ao toque. O painel de instrumentos teve a grafia renovada e o rádio CD/MP3 opcional tem entradas USB e para iPod, conectividade bluetooth e alavanca de comandos junto do volante (com regulagem só de altura). E para aqueles que esquecem de abastecer o reservatório da partida a frio foi providenciado um alerta que avisa para o baixo nível de combustível no sistema. Faltou apenas a abertura interna do porta-malas.

O hatch da Renault, apesar do preço de compacto, tem espaço quase de hatch médio – e porta-malas também: são 320 litros de capacidade. Com os atrativos da manutenção barata, robustez e durabilidade, no ano passado o Sandero respondeu por 43% das vendas da Renault no Brasil. Renovado, ganha fôlego extra para continuar no páreo contra seus principais alvos: Ford Fiesta, Chevrolet Agile, Volkswagen Fox e o chinês JAC J3.

A CD player é melhor que o anterior, o acabamento evoluiu e os botões dos vidros migraram para as portas

Renault Sandero Expression

MOTOR quatro cilindros em linha, 1,0 litro, 16V

TRANSMISSÃO manual, cinco marchas, tração dianteira

DIMENSÕES comp.: 4,02 m – larg.: 1,76 m – alt.: 1,52 m

ENTRE-EIXOS 2,591 m

PORTA-MALAS 320 litros

PNEUS 185/70 R14

PESO 1.025 kg

• GASOLINA

POTÊNCIA 76 cv a 5.850 rpm

TORQUE 9,9 kgfm a 4.350 rpm

VELOCIDADE MÁXIMA 160 km/h 0 – 100 km/h 14,2 segundos

CONSUMO não disponível

CONSUMO REAL não disponível

• ETANOL

POTÊNCIA 77 cv a 5.850 rpm

TORQUE 10,1 kgfm a 4.350 rpm

VELOCIDADE MÁXIMA 161 km/h 0 – 100 km/h 14,2 segundos

CONSUMO não disponível

CONSUMO REAL não disponível

COMPARTILHAR
Notícia anteriorC3 Picasso o Aircross urbano
Próxima notíciaBeleza americana