A nova onda coreana

Pobletepress 2

Apesar de atualmente estar sofrendo no Brasil com a alta do dólar e as restrições às importações, já que vender modelos importados e não tem (ainda) planos concretizados para inaugurar uma fábrica brasileira – ou mesmo produzir junto com a Hyundai, que é do mesmo grupo e já tem produção em Piracicaba – a Kia segue forte no mundo e prepara duas novidades importantíssimas no segmento de crossovers. O modelo que ilustramos aqui na cor vermelha é a nova geração do Sportage, crossover de maior sucesso da marca tanto aqui quanto na Europa.

A mecânica não deve sofrer mudanças consideráveis, mantendo o motor 2.0 que aqui já foi adaptado para usar também etanol, mas o design do modelo que chega ainda em 2016 seguirá a tendência apontada pelo conceito KX3 (uma outra versão da carroceria, ligeiramente menor e com design mais conservador, será usada para a configuração híbrida – que ilustramos aqui em azul). Mas uma novidade ainda mais interessante é a que nascerá mais diretamente do KX3. Basicamente, é uma versão do Hyundai ix25 (não vendido aqui) com a marca Kia. Do porte de EcoSport e cia. – os modelos da capa desta edição – ele chega em dois anos à Europa, e deve ser importado para cá. Futuramente, se a Kia conseguir uma fábrica brasileira, seria o carro perfeito para ser nacionalizado e vendido na faixa de preços de R$ 80.000 a R$ 90.000.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel