A quadratura do círculo

(Nota da Redação: Reportagem publicada originalmente na edição de fevereiro da Motor Show, antes do Salão de Genebra)

Carro que mudou a história da marca – quando surgiu como uma ninivan compacta, que chegou a ser feito no Brasil –, o Mercedes-Benz Classe A (leia mais aqui) chega à quarta geração com um enorme salto de qualidade. Terá mais espaço sem abrir mão da imagem (e da substância) esportiva.

1 – DESENHO SUAVIZADO
Superfícies uniformes e poucas linhas: assim será o Classe A. E as mudanças na carroceria serão um pouco menos perceptíveis do que as do interior (leia abaixo).

2- DOIS CENTÍMETROS
O hatch da Mercedes manterá sua pegada esportiva mesmo com o aumento de 2 cm na distância entre-eixos – feita para melhorar a habitabilidade e a acessibilidade, mas também para permitir um aumento na largura.

O hatch vai ganhar mais espaço sem abrir mão da boa pegada (Ilustração: Marcelo Poblete (Quattroruote) )

3- MAIS DE 400 CAVALOS
A parceria com a Renault no motor 1.5 a diesel deve se repetir para o propulsor gasolina. Deve haver, também, um híbrido “suave” com rede de 48V, um híbrido plug-in e, claro, o A45 AMG 4Matic, que chega ainda em 2019 com mais de 400 cv.

4 – NOVAS FORMAS
As linhas do teto e da coluna C lembram a da geração atual, de 2012. A traseira muda mais, ganhando forma mais envolvente. Uma versão três volumes se somará à gama, hoje formada por Classe A, CLA, CLA Shooting Brake e GLA.

5 – MAIS BAGAGEM
Os designers da marca de Stuttgart também trabalharam para oferecer um porta-malas mais fácil de carregar, com maior abertura, e também mais espaçoso – com 370 litros, 29 a mais do que no modelo vendido hoje.

Cabine: voz inteligente

Raras apresentações de um interior de um modelo compacto-médio foram acompanhadas de tantos elogios. O carro só deve ser mostrado em março, no Salão de Genebra, mas o interior foi adiantado oficialmente na CES 2018 (feira de tecnologia nos EUA). Com tela de alta resolução e, pela primeira vez, sensível ao toque, a central multimídia terá o assistente de voz “inteligente”, que obedece ao comando “Hey Mercedes” e é capaz de ainda atender a comandos fora do padrão: para solicitar o aumento da temperatura do ar-condicionado, por exemplo, o motorista pode dizer só “Estou com frio”.