Agora Nacional

FRONTIER LE 4X4 R$ 116.810

A nova Nissan Frontier é uma das poucas picapes que fogem da regra de seu segmento, conseguindo aliar conforto, valentia e uma pitada de status. Antes a versão SEL, top de linha, era importada da Tailândia. Agora além de ganhar nacionalidade brasileira, por ser produzido na fábrica de São José dos Pinhais (PR), o modelo ganhou novas versões que começam em R$ 82.990. Avaliamos aqui a configuração mais completa, LE, com câmbio manual e preço sugerido de R$ 116.810. Além do conforto e do baixo ruído, o que impressiona é seu desempenho. O propulsor 2.5 16V turbodiesel com intercooler gera 172 cv de potência e 41,1 kgfm de torque. O resultado é nítido ao comando do pé direito.

Ao acelerar, a reação do carro não é agressiva de imediato, porém, depois que o turbo entra em ação, a rotação do propulsor cresce gradativamente, sem precisar que o motorista aumente a aceleração para ir passando as marchas. Aí, no caso da versão manual, é só usufruir das seis marchas. A sexta caiu muito bem no modelo, pois, além de otimizar seu desempenho na estrada, principalmente quando se passa dos 90 km/h, garante boas marcas de consumo e aumenta a comodidade dos passageiros, por deixar o motor em baixa rotação.


Falando nisso, é possível viajar com motorista e mais quatro pessoas com bastante conforto. Ao contrário de muitas das picapes de cabine dupla, o banco traseiro não decepciona, garantindo um espaço bastante satisfatório para as pernas dos passageiros.

Uma ótima compra para quem gosta de picapes, mas não abre mão do luxo e de um pouco de status. O único equipamento que a Frontier fica devendo, mesmo nesta versão mais cara, é o ar-condicionado com regulagem digital. O consumidor que desembolsa mais de R$ 115 mil numa picape pode sentir falta de um item como este. Mas isso não é motivo para deixar de comprá-la.

Valente no off-road, a Frontier tem bom acabamento e espaço interno, mas, por este preço, ela deveria oferecer ar-condicionado digital

 

SHARE
Artigo anteriorMercado
Próximo artigoA Picape do 207