Agora vai?

Untitled Document

AUDI A6 R$ 280.000 estimado

Emissão de Co2 190 g/km Média alta


Não se pode acusar a Audi de não tentar brigar por esse segmento de mercado. Mas, verdade seja dita, enfrentar concorrentes como Mercedes-Benz Classe E e BMW Serie 5 não é tarefa fácil. Agora, nesta sétima geração, parece que, finalmente, a montadora de Ingolstadt tem um modelo à altura de seu intento. O novo A6 chega ao Brasil no segundo semestre com a missão de se tornar líder na categoria.

MOTOR SHOW avaliou o sedã na região de Munique, na Alemanha. Externamente, a primeira coisa que se destaca é sua frente imponente, ainda mais quando se ligam as luzes de LEDs. Ele ficou a “cara“ do A8, só que em menores dimensões. Isso, obviamente, é uma grande vantagem. Ser confundido com o irmão maior e mais caro lhe confere um status inegável. O sedã mede quase cinco metros de comprimento (exatos 4,92 m) e 1,87 metro de largura. Em compensação, ele é relativamente baixo, com apenas 1,46 metro, o que lhe dá um ar ainda mais esportivo. A distância entre-eixos é de generosos 2,912 metros, proporcionando ao motorista e aos passageiros um excelente espaço interno.

Os engenheiros conseguiram diminuir em até 80 kg (dependendo da versão) o peso do carro. Isso graças à utilização de diversos componentes em alumínio de altíssima resistência. Na estrada, o sedã é fácil de conduzir e, ao mesmo tempo, potente nas acelerações e ultrapassagens. Mesmo estando a 200 km/h nas estradas sem limite da Alemanha, o silêncio no interior do veículo só é quebrado pelo sistema de som de alta fidelidade da marca dinamarquesa Bang&Olufsen, um opcional do modelo.

Na Europa, o veículo está disponível com motores a diesel e a gasolina. Para o Brasil, a Audi trará a versão com o motor de três litros TFSI, que gera 300 cv e 44,9 kgfm entre 2.900 e 4.500 rpm. O câmbio é o Stronic de dupla embreagem com sete marchas e a tração nas quatro rodas está presente em todas as versões do modelo.

Os números falam por si. O novo A6 acelera de zero a 100 km/h em 5,5 segundos e a velocidade máxima e limitada eletronicamente é de 250 km/h. O sistema Drive Select é um “brinquedinho” a mais para o motorista. Com ele, dá para variar a configuração do carro em relação à calibragem da suspensão, respostas do câmbio, peso do volante, entre outros. Dependendo do tipo de comportamento que o piloto espera do carro. Segundo a marca, o consumo médio combinado entre estrada e cidade é de 12,2 km/l, uma melhora de 13% em relação à versão anterior, que tinha um motor com 10 cv a menos. Com essa economia, a Audi pôde diminuir o tamanho do tanque de combustível de 80 litros para 75 litros sem que se alterasse a autonomia do veículo.

Por dentro, o quadro de instrumentos é elegante e funcional. Se o comprador quiser, pode encomendar ainda o headup display, um sistema que projeta as informações de bordo no para-brisa e os bancos podem ser equipados com ventilação e massagem. O valor para o Brasil ainda não está definido, mas é provável que ele se mantenha próximo ao da versão atual.

Audi A6

Motor seis cilindros em V, 3,0 litros, 24V, injeção direta, DOHC, turbo com intercoolers Transmissão manual automatizada, sete marchas, tração integral Dimensões comp.: 4,92 m larg.: 1,87 m alt.: 1,46 m Entre-eixos 2,912 m Porta-malas 530 litros Pneus 225/55 R17 Peso 1.815 kg • Gasolina Potência 300 cv de 5.250 a 6.500 rpm Torque 44,9 kgfm de 2.900 a 4.500 rpm Velocidade máxima 250 km/h (limitada) 0 100 km/h 5,5 segundos Consumo cidade: 9,3 km/l estrada: 15,2 km/l Consumo real não disponível

– O Audi A6 nunca teve tantos atributos para enfrentar a concorrência como nesta sétima geração

O Audi A6 nunca teve tantos atributos para enfrentar a concorrência como nesta sétima geração

SHARE
Artigo anteriorFeliz carro novo
Próximo artigoMercado