Analisamos 11 carros aventureiros do mercado

Você sonha em adquirir um SUV, mas ainda está longe de concretizar seu desejo? Então um “aventureiro light” pode ser a sua opção

Não tem como negar: os SUVs, atualmente, são os modelos preferidos pela maioria dos consumidores – e não só no Brasil, mas em todo o mundo. Por isso, todos os fabricantes se esforçam para ter seus representantes em várias faixas de preço. Mesmo assim, existe uma quantidade considerável de consumidores que, por diversos motivos, ainda não pode (ou não quer) adquirir seu primeiro utilitário agora.

De olho nesse filão de mercado, algumas montadoras oferecem os chamados “aventureiros light”, versões de automóveis urbanos com visual modificado para conferir um aspecto mais robusto e diferenciado. E alguns casos, até mesmo com mudanças mecânicas – principalmente na suspensão. Essa estratégia não é novidade e teve no Fiat Palio Adventure (1999)o seu precursor. A partir dele, surgiram vários modelos, como VW CrossFox, Peugeot Escapade, Citroën C3 XTR e Toyota Etios Cross, por exemplo.

Atualmente, embora o segmento não conte com o mesmo número de opções de alguns anos atrás, ainda existem diversos modelos voltados a quem procura um carro apenas com visual mais próximo ao de um off-road. Não se pode esquecer que, para muitos consumidores, essa diferenciação é o que basta. O importante é o automóvel transmitir a impressão de valentia e robustez. Escolha o seu!

Chevrolet Onix Activ

Visual que se destaca no trânsito

A versão aventureira do hatch compacto mais vendido do País possui desenho que agrada bastante aos consumidores jovens e àqueles que buscam um automóvel com aparência mais ousada. Para-choques com desenho exclusivo, faróis com máscara negra, rodas de liga leve de 15 polegadas e rack de teto (com capacidade para 50 kg) compõem o pacote estético externo do Onix Activ. O motor 1.4 desenvolve 106 cv e 13,9 kgfm com etanol e 98 cv e 13 kgfm com gasolina e, junto com o câmbio manual de seis marchas, confere bom desempenho ao modelo. Ar-condicionado, direção com assistência elétrica progressiva, câmera e sensores de ré, computador de bordo e sensor de chuva são alguns dos itens de série. Para quem aprecia o estilo do hatch, mas deseja um modelo com mais personalidade, o Chevrolet Onix Activ pode ser a opção perfeita, devido a sua versatilidade.

Chevrolet Spin Activ

A maior opção para as famílias

Quem deseja um veículo espaçoso, capaz de acomodar toda a família e que ainda possua porta-malas para 710 litros de bagagem (até o teto), tem no Chevrolet Spin Activ a melhor opção. A versão aventureira traz ainda visual exclusivo, que se destaca pelos faróis e lanternas com lentes escurecidas, para-choques com acabamento diferenciado, rodas de liga leve de 16 polegadas e o estepe na traseira, além dos adesivos que identificam a versão. Curiosamente, uma das novidades da linha 2018 do aventureiro familiar foi a adoção da nova suspensão, que é 10 mm mais baixa que a anterior. Embora possa parecer contraditório, a medida justifica-se pela maior sensação de segurança transmitida, especialmente nas curvas, já que agora a carroceria apresenta menor inclinação. O conjunto motriz é formado pelo conhecido motor 1.8 flex, com 111 cv e 16,8 kgfm com etanol e 106 cv e 16,8 kgfm com gasolina, acoplado ao bom câmbio automático de seis marchas – não há opção de câmbio manual nessa versão, nem de bancos adicionais, como na versão LTZ para sete passageiros.

Citroën Aircross

Completo no estilo e no visual

Embora já não faça tanto sucesso quanto em 2011, quando foi lançado, o Citroën Aircross se destaca por onde passa, graças ao seu design ousado (que estreou há dois anos, na reestilização do modelo). Com estilo único, o aventureiro produzido em Porto Real, RJ, é identificado rapidamente de longe, sendo ideal para quem gosta de se destacar no trânsito. Disponível em três versões (Start, Live e Shine), o modelo parte de R$ 62.990 e pode chegar a R$ 75.700 na configuração completa, com direito a ar-condicionado automático, câmera de ré e bancos de couro, entre outros itens de série. Todas as versões contam com motor 4 cilindros flex de 1.6 litro. O câmbio pode ser manual de cinco marchas ou automático de seis. Apesar do apelo aventureiro, só a versão Shine conta com pneus de uso misto e estepe na tampa traseira.

Fiat Mobi Way

Pequeno, valente e fácil de estacionar

Como diz o ditado, “tamanho não é documento”. E essa máxima serve para descrever o Fiat Mobi Way. Com dimensões supercompactas (3,596 m de comprimento, 1,685 m de largura e 1,550 m de altura), o menor modelo da Fiat no Brasil exibe muita agilidade para enfrentar os obstáculos do trânsito urbano. Além disso, ainda tem suspensão elevada (15 mm em relação às demais versões) que o ajuda a superar a buraqueira tão comum em nossas ruas e avenidas. O motor 1.0 flex entrega 75 cv e 9,9 kgfm com etanol e 73 cv e 9,5 kgfm com gasolina e, associado ao câmbio manual de cinco marchas e à carroceria leve (940 kg), garante desempenho satisfatório ao modelo. No quesito equipamentos de série, o pequeno Fiat oferece um pacote razoável – considerando-se o segmento em que atua: ar-condicionado, direção com assistência hidráulica, computador de bordo, vidros dianteiros e travas com acionamento elétrico, banco traseiro bipartido e rebatível e barras longitudinais no teto são os itens principais. Para quem deseja um compacto urbano robusto para o uso diário, fácil de estacionar, o Fiat Mobi Way é uma alternativa bastante interessante.

Fiat Uno Way

Discreto, mas ainda muito eficiente

(NOTA DA REDAÇÃO: Após a publicação desta reportagem, a Fiat anunciou o fim da versão Way na linha 2019 do Uno) É fato que o Uno não atrai mais tanta atenção quanto em 2010, na época do seu lançamento. Isso, contudo, não significa que o compacto tenha perdido suas qualidades. Pelo contrário, seja na versão com motor 1.0, ou na 1.3, o compacto apresenta boa dirigibilidade e se sai muito bem no trânsito urbano. O Uno Way de entrada conta com o moderno 1.0 flex tricilíndrico, com 77 cv e 10,9 kgfm com etanol e 72 cv e 10,4 kgfm com gasolina, que obteve nota A no Programa de Etiquetagem Veicular. Já a configuração mais cara traz um 4-cilindros flex, com comando de válvulas simples no cabeçote, variável na abertura e no escapamento. Esse motor pode desenvolver 109 cv e 14,2 kgfm com etanol e 101 cv e 13,7 kgfm com gasolina. O câmbio pode ser manual de cinco marchas ou robotizado (GSR), também com cinco marchas. O Uno Way 1.3 ainda traz start-stop.

Ford Ka Trail

Atraente no visual e suspensão elevada

Um dos modelos mais recentes no segmento, o Ford Ka Trail tem no visual um de seus principais argumentos para conquistar os consumidores. Além do desenho, que ainda agrada muita gente, a versão traz rodas de liga leve de 15 polegadas, faróis auxiliares de neblina, lanternas com lentes escurecidas e pneus de uso misto como itens de série, além da suspensão elevada na comparação com os demais modelos da linha. Por dentro, ar-condicionado, revestimento parcial de couro sintético, direção com assistência elétrica, travas e vidros (dianteiros) com acionamento elétrico e rádio com conexão bluetooth e suporte para celular são os destaques. Possui versões com motor 1.0 flex tricilíndrico, com 85 cv e 10,7 kgfm com etanol ou 80 cv e 10,2 kgfm com gasolina, e 1.5 capaz de produzir 110 cv e 14,9 kgfm (etanol) ou 105 cv e 14,6 kgfm (gasolina). O câmbio é sempre manual de cinco marchas e o conjunto proporciona bom comportamento dinâmico. Preços sugeridos: R$ 49.390 (motor 1.0) e R$ 53.590 (motor 1.5).

Hyundai HB20X

Aventureiro, sim, mas sem perder o requinte

Um dos modelos mais vendidos no país, o Hyundai HB20 também tem a sua versão destinada a quem aprecia o estilo fora-de-estrada, o HB20X. A suspensão é elevada e o hatch ainda conta com pneus maiores, de 16 polegadas, em relação aos dos demais HB20. Na parte interna, aposta no requinte. Bancos com revestimento exclusivo, pedais com acabamento de alumínio e quadro de instrumentos com iluminação azul e monitor digital conferem aspecto requintado à cabine, que ainda tem ar, vidros, travas e retrovisores elétricos, computador de bordo, volante com ajustes de altura e distância e tela multimídia de 7 polegadas, compatível com Android Auto e Apple CarPlay. O motor 1.6 tem comando variável na admissão, com 128 cv e 16,5 kgfm. O câmbio pode ser manual ou automático, sempre com seis marchas. O Hyundai HB20X é indicado para quem está mais interessado em um hatch que ofereça conforto e desempenho.

Renault Sandero Stepway

Apostando alto no espaço interno

Ele surgiu como versão do Sandero, mas hoje a Renault o considera um modelo à parte, tanto que prefere chamá-lo apenas de Stepway nos anúncios. Estratégia de marketing à parte, o hatch aventureiro – assim como o veículo do qual deriva – tem no espaço interno o seu principal atrativo. E não é para menos, já que poucos automóveis da categoria conseguem oferecer tanta área para pernas e cabeça dos ocupantes, seja nos bancos dianteiros ou na traseira. Como se não bastasse, o porta-malas também conta com boa capacidade (320 litros). Possui duas versões de acabamento, mas o desempenho é garantido sempre pelo moderno e eficiente motor 1.6 SCe flex, um 4 cilindros 16V com duplo comando no cabeçote variável na admissão e capaz de entregar 118 cv quando abastecido com etanol e 115 cv com gasolina. O torque de 16 kgfm independe do combustível e o câmbio pode ser manual ou robotizado (Easy R), ambos de cinco marchas. Preço sugerido: R$ 59.050 a R$ 65.700.

Volkswagen Fox Xtreme

Topo de linha com preço atraente

Ninguém pode negar que o Fox já não atrai mais os olhares por onde passa. Mesmo assim, também não se pode dizer que o hatch da Volkswagen (projetado originalmente para ser vendido em vários mercados) tenha estilo ultrapassado. A carroceria alta, com posição de dirigir elevada ainda agrada a muitos consumidores e a versão Xtreme aproveita essa característica para atrair aqueles que desejam um modelo com essas características e que ficaram “órfãos” do CrossFox. Esteticamente, o Xtreme – que é o modelo mais sofisticado da gama atualmente – se destaca pela grade com formato de colmeia, pelo para-choque frontal exclusivo e pelas luzes auxiliares. Molduras nas caixas de roda e saias laterais em preto fosco conferem aspecto de robustez ao veículo, que ainda conta com rodas de liga leve de 16 polegadas. Por dentro, ar-condicionado, volante multifunção, sistema de áudio Composition Touch com tela de 6,5 polegadas e comando por voz, travas, vidros e retrovisores com acionamento elétrico e computador de bordo são alguns dos destaques entre os itens de série. O modelo não tem opcionais. Sob o capô, motor 1.6 de 104 cv e 15,6 kgfm.

Volkswagen Cross Up

Aventureiro no nome, empolgante na prática

Omenor modelo da Volks tem visual agradável, com destaque para as molduras nas caixas de roda, as barras longitudinais no teto e o para-choque exclusivo. Só que, apesar do nome, o Cross Up não tem nenhum item específico que o torne apto para enfrentar estradas de terra ou obstáculos. Mesmo os pneus são para uso sobre asfalto. Na parte interna, é a mesma coisa: a versão é baseada na configuração Move e oferece uma extensa lista de itens de série. A maior atração, porém, é o motor 1.0 turbo tricilíndrico flex, capaz de gerar ótimos 105 cv com etanol e 101 cv com gasolina (o torque é sempre 16,8 kgfm). Combinado com o câmbio manual de cinco marchas, ele faz com que o compacto exiba desempenho empolgante, capaz de agradar até os fãs de esportivos. Então, se você busca um carrinho ágil na cidade e com ótimo desempenho na estrada – mesmo quando carregado – o VW Cross Up é uma grande pedida.

Volvo V40 Cross Country

Para aventuras com muita sofisticação

Se alguém por aí achava que os aventureiros se restringiam a modelos mais simples e despojados, pode começar a rever os conceitos. Afinal, o Volvo V40 Cross Country segue a mesma receita dos demais veículos relacionados nesta reportagem. A diferença, claro, está no fato de se tratar de um automóvel premium importado, com acabamento luxuoso e muita tecnologia. Esse Volvo, por exemplo, conta com sistema de frenagem autônomo, que para o carro automaticamente ao detectar que outro veículo à frente freou abruptamente. Bancos de couro, faróis de LED, quadro de instrumentos digital personalizável e ar-condicionado de duas zonas são outros itens de série que se destacam. O motor é um 4 cilindros turbo com injeção direta de gasolina, duplo comando variável no cabeçote, capaz de produzir ótimos 190 cv e 30,6 kgfm. Acoplado a ele está o câmbio automático de seis marchas e, juntos, garantem ótimo desempenho ao aventureiro sueco. Quem faz questão de um automóvel importado premium, mas também quer impressionar com um visual diferenciado encontra no Volvo V40 Cross Country uma excelente opção.