Automóvel elétrico é 10 vezes mais eficiente que a gasolina, diz pesquisa

A conta leva em consideração a média de eficiência energética dos automóveis comercializados no país e participantes do programa de etiquetagem veicular do Inmetro

0
3
Chevrolet Bolt EUV - Foto: Divulgação

Para alguns especialistas, a melhor maneira de calcular a emissão de um automóvel é somando os gases que o veículo emite pelo escapamento mais o impacto que a produção do seu combustível provoca no meio ambiente. A equação é denominada de “do poço à roda”.

Outro ponto é que um mesmo modelo de carro pode apresentar resultados diferentes dependendo do mercado. Esta oscilação ocorre devido a variações, entre elas a da matriz energética daquele país.

No Brasil, por exemplo, a gasolina conta com até 27% de etanol em sua composição e existem carros que podem rodar apenas com o combustível vegetal.


Outro fato é que 84% da energia elétrica vem de fontes renováveis, como a hídrica, a solar e a eólica. Tudo isso cria perspectivas diferentes para cada tecnologia de propulsão.

+ VW muda lideranças, relança a marca Scout e terá 25 novos elétricos
+ Confirmado: Chevrolet Blazer elétrico vai desembarcar no Brasil
+ Mini Cooper SE conversível acelera no verão do hemisfério norte; conheça

Cálculo

No mercado nacional, o carro elétrico é a opção mais sustentável. Mais que o carro híbrido e mais que o flex, como mostra tabela abaixo, que considera o percentual médio de emissão de CO2 equivalente por tipo de propulsão em comparação com carros puramente a gasolina:

Gasolina 100%
Flex 79%
Híbrido Flex 57%
Elétrico 10%

Os cálculos foram realizados de acordo com uma metodologia elaborada pela Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), que aplica a intensidade de carbono da matriz energética local.

A conta leva em consideração a média de eficiência energética dos automóveis comercializados no país e participantes do programa de etiquetagem veicular do Inmetro, tendo os resultados comparados com um carro puramente a gasolina.

“Dentro do conceito do poço à roda, tanto um veículo Flex quanto um híbrido trazem ganhos ambientais importantes em relação a um movido puramente a gasolina. Já um carro elétrico é cerca de 10 vezes mais eficiente, em média, até porque é o único que consegue conciliar a eficiência do motor elétrico com a matriz energética predominantemente limpa do Brasil. Tudo isso porque o EV roda em tempo integral no modo zero emissão – nem escapamento tem”, explica Luiz Gustavo Moraes, gerente de regulamentações da GM América do Sul, em nota divulgada.

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Novo Honda CR-V: confirmado para 2023 no Brasil, SUV estreia nos EUA
+ Mini promete condições especiais de venda para o Cooper elétrico
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens
+ Licenciamento de veículos: saiba o valor e como pagar em SP
+ Avaliação: Chevrolet Spin 2023 é a opção de sete lugares mais barata, e uma boa alternativa aos SUVs
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe
+ Comparativo: Jeep Commander vs. Caoa Chery Tiggo 8
+ Volkswagen inaugura eletropostos e testa família ID no Brasil
+ Fórmula 1 segue a temporada com o GP da França; veja datas e horários
+ Veja qual é o significado dos códigos de erro nos painéis dos Chevrolet
+ Novo Honda HR-V: concessionária revela preço de lançamento do SUV