Autônomo, mas não muito: Alemanha proíbe propaganda de “Autopilot” da Tesla

Musk afirmou que versão compacta do Cybertruck está no horizonte
Musk afirmou que versão compacta do Cybertruck está no horizonte

O polêmico Autopilot da Tesla não “colou” na Alemanha. Um juiz de Munique proibiu a Tesla de divulgar fazer propaganda no país dos sistemas de assistência ao motorista e sobre as funções do Autopilot (o “piloto automático” que assume o controle volante).

O pedido foi feito pelo Wettbewerbszentrale, uma instituição mantida pela indústria alemã responsável por monitorar questões relacionadas à concorrência. A ordem exige que a Tesla não inclua referências como “condução autônoma em seu potencial máximo ” em seus materiais publicitários.

Tais declarações, de acordo com o tribunal da Baviera, são equivalentes a práticas comerciais enganosas, porque o comprador médio poderia ter a impressão de que o carro é capaz de dirigir sem qualquer intervenção humana ou sugerir como esses sistemas são legais nas estradas alemãs. Leia aqui nossa avaliação do Tesla Model 3.

A intervenção do tribunal alemão representa mais uma crítica feita por instituições ou autoridades de controle aos sistemas de direção assistida (não autônomos, pelo menos no momento) desenvolvidos por Tesla, que surgiram principalmente após alguns acidentes.

+Avaliação: ao volante, VW Nivus Comfortline é mais cupê do que SUV
+Ford lança novo Bronco; veja preço, versões e fotos
+Avaliação: SUV com caçamba, Fiat Toro Ranch desafia picapes médias

A medida faz todo sentido, e não se trata de protecionismo. Várias marcas alemãs já têm exatamente a mesma tecnologia da Tesla, e há tempos. Leia aqui sobre os seis níveis de automação dos automóveis. Mas, por questões legais — uma maior responsabilidade sobre as vidas humanas, basicamente — tais sistemas ainda não são liberados no País como 100% autônomos. Leia aqui sobre porque é tão difícil fazer carros autônomos conviverem com os humanos.

Tesla Cybertruck

Enquanto isso, continuam chegando detalhes dos Estados Unidos sobre a disputa entre alguns lugares no Texas e Oklahoma para sediar a próxima fábrica de Cybertruck. O Condado de Travis, que inclui a cidade de Austin, aprovou um pacote de benefícios fiscais no valor de pelo menos US $ 14,7 milhões para convencer a Câmara a investir na área de US $ 1,1 bilhão: em essência, foi aceito a solicitação feita pela Tesla para obter um corte de 80% no imposto imobiliário por 10 anos e 65% na década seguinte.

Assim, os incentivos concedidos pelas várias instituições envolvidas no projeto da segunda fábrica americana em Elon Musk aumentam para US$ 65 milhões: o distrito escolar de Del Valle, proprietário de parte da terra em questão, já autorizou créditos tributários US$ 50 milhões.

+Carros autônomos e o desafio de conviver com os humanos
+Carros autônomos: conheça os seis níveis de automação

A fábrica de Berlim

Se nos Estados Unidos a nova fábrica ainda está longe de ser construída, o trabalho continua na primeira fábrica europeia na Alemanha. Musk, através de sua conta no Twitter, publicou sua primeira foto do projeto alemão: sua fábrica, resultado de um investimento de 4 bilhões de euros, caracteriza-se por uma arquitetura futurista, muito diferente da dos sites. já operando entre Califórnia, Nevada e Xangai. A estrutura é totalmente cercada por árvores e canteiros de flores e o teto é quase completamente coberto por painéis fotovoltaicos.

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar