Avaliação: aceleramos o BMW Série 8 em Interlagos

Série 8
Divulgação

Icônico é a palavra certa para definir o Série 8 de primeira geração (E31). Um legítimo GT – Gran Tourer – de quatro lugares, este BMW foi fabricado de 1989 a 1999, à época com motores V8 e V12 de até 380 cv.

Mantendo os atributos de GT, chega ao Brasil a segunda geração do Série 8, mítico clássico da Bayerische Motoren Werke. Construído sobre a plataforma modular CLAR (Cluster Architecture), compartilhada com o Z4, o Série 3 e o X7, ele se diferencia do antecessor da década de 1990 por alguns centímetros (e muita tecnologia).

Série 8 contra Série 8, este M850i (G15) esbanja 4,851 m de comprimento e 2,822 m de entre-eixos, enquanto o antigo 850i CSi tinha 4,780 m e 2,685 m, respectivamente. A cabine combina luxo e esportividade, com tudo voltado para o motorista e o prazer de dirigir.

Grande, mas com pouco espaço

No banco de trás do Série 8, porém, só pessoas de baixa estatura viajam confortavelmente, pois falta espaço para pernas e cabeça. Destaque para a alavanca de câmbio transparente com o número oito dentro do acrílico, os bancos com tramas exclusivas, o quadro de instrumentos digital e o sistema multimídia de 10,2”.

Outros itens de série do Série 8 são faróis de laser, head-up display colorido, som Bowers & Wilkins com 16 alto falantes e 1.400W, além do Driving Assistant Professional, que auxilia o condutor por meio de alertas visuais e sonoros sobre o tráfego cruzado, iminência de colisão traseira e saída involuntária de faixa.

Mecânica poderosa

À frente do motorista, o longo capô do Série 8 esconde o motor V8 4.4 (código N63) com um par de turbos montados bem no meio do “V” do bloco. São 530 cv de potência e torque de 76,5 kgfm entregue na totalidade de 1.800 a 4.600 rpm, permitindo acelerar de 0-100 km/h em ínfimos 3,7 segundos.

Todo esse poderio do Série 8 é comandado pela transmissão automática ZF de oito marchas e pela tração integral XDrive. Com relação peso/potência de 3,56 kg/cv, o M850i é mais rápido que o BMW M3 (4s1) e chega aos 250 km/h de velocidade máxima (limitada eletronicamente).

Condução equilibrada

O M850i não é o mais nervoso dos Série 8: o M8, com 625 cv, chegará ao Brasil no ano que vem. Mesmo assim, fez bonito no Autódromo José Carlos Pace – mais conhecido como Autódromo de Interlagos (SP).

De início, seu ronco embaralhado do Série 8 estremece o motorista-piloto dos pés à cabeça, e este “canhão bávaro” parece desconhecer tanto as suas dimensões avantajadas quanto o peso de 1.890 kg.

O Série 8 é um verdadeiro parque de diversões sobre rodas, capaz de oferecer uma condução afiada e que impressiona pelas acelerações intempestivas com mínimo turbo lag (tempo do turbocompressor encher) e equilíbrio impressionante.

Saindo da subida da Junção, chego ao final da reta dos boxes acima dos 200 km/h, e o enorme cupê demonstra uma incrível capacidade de frenagem, sem nenhuma tendência de escapar de frente ou de traseira. Os discos ventilados nas quatro rodas com pinças de quatro pistões na dianteira e de um pistão atrás ajudam bem.

Papo reto

A transmissão automática de oito velocidades do Serie 8 trabalha de maneira magnífica, e, no modo Sport, as subidas e reduções de marcha são acompanhadas de “patadas” e pipocos emitidos pelas generosas saídas de escape. Além dele, estão disponíveis os modos ECOPro, Comfort e o ainda mais radical Sport+.

O M850i também surpreendeu nas partes mais travadas do circuito, como o Pinheirinho” e o Bico de Pato. O eixo traseiro “dinâmico” coopera ao esterçar as rodas de trás no sentido contrário das dianteiras (em baixa velocidade) ou no mesmo sentido delas (em velocidades altas), diminuindo o raio de giro e ajudando na estabilidade.

Elogios também para a comunicabilidade da caixa de direção, com peso bastante correto e muita agilidade no esterço. O conjunto de suspensões se encarrega de manter o Série 8 grudado ao chão, além de também ajudar a garantir mudanças de trajetórias bastante ágeis. Nem parece um carro com quase cinco metros de comprimento. O contato com o asfalto é responsabilidade dos pneus 245/35 R20 à frente e 275/30 R20 na traseira.

Conclusão

Sem dúvida este Série 8 de hoje, como o antecessor, é um carro para poucos. Afinal, custa R$ 799.990, ou R$ 100 mil a mais que um M5 de 600 cv, que vai de 0-100 km/h ainda mais rápido, em 3,5 segundos. O principal rival é o magnífico Mercedes-Benz Classe S Coupé, que a Mercedes não importa mais. Pelo mesmo preço, você não acha nada igual — mas pode comprar um Porsche 911 4S Cabriolet (R$ 769.000).

Falando nisso, lá fora o Série 8 é comercializado também com as carrocerias conversível, além da Gran Coupé (quatro portas). O M850i resgata um importante número da história da BMW, que, se no passado já batizou outro mito, o Z8, agora, em uma nova era, se junta ao elétrico i8.

Ficha técnica:

BMW M850I XDRIVE COUPÉ

Preço básico: R$ 349.990
Preço avaliado:
R$ 349.990
Motor:
oito cilindros em V 4.4, 32V, injeção direta, turbo, variador de fase na admissão e escape
Cilindrada: 4395 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 530 cv de 5.500 a 6.000 rpm
Torque: 76,5 kgfm entre 1.800 a 4.600 rpm
Câmbio: automático, oito marchas
Direção: elétrica
Suspensões: independentes (d) e multilink (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: integral
Dimensões: 4,851 m (c), 1,902 m (l), 1,346 m (a)
Entre-eixos: 2,822 m
Pneus: 245/35 R20 (d) e 275/30 R20 (t)
Porta-malas: 420 litros
Tanque: 68 litros
Peso: 1.890 kg 0-100 km/h: 3s7
Velocidade máxima: 250 km/h (limitada eletronicamente)
Consumo cidade: 7,5 km/l*
Consumo estrada: 10,8 km/*
Emissão de co2: 184g/km*
Nota do Inmetro: E*
Classificação na categoria: E (Extra grande)*