Avaliação: ao volante do Jeep Compass Limited T270 2022

Depois de avaliar as versões Sport, Longitude T270 e TD350, além do Compass ainda encarar um comparativo, agora experimentamos a configuração Limited T270

0
25
Jeep Compass Limited T270
Foto: Divulgação

O Jeep Compass é produzido na fábrica de Goiana (PE) desde 2016, no entanto, a primeira geração esteve à venda no Brasil a partir de 2012, importado dos Estados Unidos em versão única e sem grande apelo de mercado.

Após ganhar vida nova e virar um case de sucesso, agora a linha 2022 trouxe importantes mudanças ao SUV. A bola da vez é a configuração Limited T270, a qual pode vir equipada com o novíssimo propulsor 1.3 16V turbo flex (T270) ou o 2.0 16V turbo diesel (TD350). Os valores iniciais são de R$ 185.990 (R$ 192.178 para São Paulo) ou R$ 232.990 (R$ 240.844 em SP), respectivamente.

Sem perder a personalidade, o facelift atribuiu um novo para-choque frontal, que melhorou o ângulo de ataque de 16,2º para 20,6º, os faróis Full Led para toda a gama, assim como promoveu mudanças no arranjo interno das lanternas e nas rodas de 19” calçadas por pneus Pirelli Scorpion All Season de medidas 235/45.

+ Avaliação: Jeep Compass Longitude TD350 4×4 é SUV para aventuras longe do shopping
+ Comparativo de SUVs: Jeep Compass vs. VW Taos e Toyota Corolla Cross
+ Avaliação: Jeep Compass Sport 2022 e a relação custo-benefício
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?


Uma grande novidade está ao abrir a porta, pois o habitáculo está (bem) mudado comparado ao do antecessor. Foram redesenhados o painel, as laterais de portas e o volante revestido em couro. Aliás, com três raios e oferecendo uma ótima empunhadura.

Outros destaques da cabine aparecem nos comandos reposicionados, no banco do motorista ajustável eletricamente, no multimídia de 10,1” com plataforma Adventure Intelligence Plus e conectividade Android Auto/Apple CarPlay, no quadro de instrumentos 100% digital de 10,25”, no sistema de áudio composto por seis alto-falantes e no carregador de smartphone por indução, para citar.

A habitabilidade do utilitário esportivo da Jeep é cooperada pelo bom espaço interno promovido pela plataforma global Small Wide (compartilhada com a picape monobloco Toro). São 4,404 m de comprimento, 1,819 m de largura e 1,625 m de altura, mas o entre-eixos de 2,636 m é inferior ao dos oponentes Toyota Corolla Cross (2,640 m) e Volkswagen Taos (2,680 m). O porta-malas do Jeep Compass acomoda 476 litros, enquanto no Corolla Cross são 440 litros e no Taos, 498.


Motor alfanumérico

Conforme falamos anteriormente, são duas opções de propulsores na versão Limited. Para a nossa avaliação escolhemos o motor 1.3 16V turbo flex (T270) capaz de entregar até 185 cv de potência e 27,53 kgfm de torque (270 Nm), quando abastecido com etanol. Ele trabalha conjuntamente ao câmbio automático de seis marchas trazendo opção de mudanças sequenciais tanto pela alavanca quanto pelas borboletas atrás do volante.

É um conjunto que fez bem ao Jeep Compass pelas respostas a partir dos baixos giros e o comportamento progressivo. Na prática, o SUV passou a acordar mais cedo e enviando maior disposição frente o antigo 2.0 Tigershark de 166 cv e 20,5 kgfm (etanol).

A transmissão automática realiza boas trocas/reduções, enquanto a dirigibilidade ainda é evidenciada pela direção assistida eletricamente rápida/precisa ao esterço. Já o modo Sport aumenta a diversão ao volante ao realizar as mudanças em giros mais altos dando um tempero a mais no comportamento do Compass. Além dele, há também a função Hold, que mantém o veículo parado sem a necessidade de ficar pressionando o pedal do freio.

Jeep Compass Limited T270
Foto: Divulgação

Para ajudar no consumo há o Start-Stop, que desliga o motor durante breves paradas, como nos semáforos. O sistema atua de maneira suave tanto ao desativar quanto ou religar o bloco 1.3 16V. Apesar disso, durante nossa avaliação o computador de bordo registrou médias urbanas entre 5,6 km/l e 7,3 km/l rodando com etanol no tanque.

Em contrapartida, seja na cidade ou na estrada, um atributo aparece no isolamento acústico do interior e também no trabalho das suspensões, pois elas filtram/absorvem muito bem as irregularidades do asfalto da mesma forma que não deixam a carroceria rolar nas curvas contornadas mais apressadamente. Já os freios eficientes empregam discos ventilados de 305 mm no eixo dianteiro e sólidos de 278 mm atrás.

Ainda falando sobre segurança, o Jeep Compass Limited T270 brinda os ocupantes com sete airbags (frontais, laterais, de cortina e de joelhos para o motorista), assistente de partida em rampas, controles eletrônicos de tração/estabilidade/anti capotamento, sensor de chuva, Isofix para fixação de bancos infantis, monitoramento de pontos cegos/pressão dos pneus, sistema de estacionamento semiautônomo e sensores de estacionamento frontal/traseiro.

Três opcionais disponíveis

Quem desejar um Jeep Compass Limited T270 mais completo pode escolher o pacote opcional Pack High Tech 2022 (R$ 9.900 ou R$ 10.229 para São Paulo), o qual inclui inclui abertura eletrônica do porta-malas com sensor de presença, aviso de colisão frontal com frenagem de emergência com detecção de pedestres e ciclistas, aviso de mudança de faixas, banco regulável eletricamente para o passageiro, comutação automática de faróis, controlador de velocidade adaptativo, detector de fadiga do motorista, reconhecimento de placas de trânsito e som Premium Beats de 506w de potência (oito alto falantes mais subwoofer).

Dois outros itens cobrados à parte são o teto solar panorâmico Command View (R$ 8.900 ou R$ 9.196 em São Paulo) e o revestimento dos bancos em couro marrom Arizona (R$ 1.600 ou R$ 1.653 para SP). Ou seja, oferecendo todos os opcionais um Jeep Compass Limited T270 sai por R$ 208.790 ou R$ 215.736 para SP. 


FICHA TÉCNICA

JEEP COMPASS LIMITED T270 TURBO FLEX AT6
Preço básico: R$ 185.990 (R$ 192.178 para São Paulo)
Carro avaliado: R$ 208.790 (R$ 215.736 para São Paulo)
Emissão de CO2: 124 g/km
Com etanol: zero
Nota do Inmetro: B

Jeep Compass Limited T270 Turbo Flex AT6
Motor: quatro cilindros em linha 1.3, 16V, comando continuamente variável de tempo e abertura (MultiAir), injeção direta, turbo
Cilindrada: 1332 cm3
Combustível: flex
Potência: 180 cv (g) e 185 cv a 3.750 rpm (e)
Torque: 270 Nm a 1.750 rpm (g/e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores com geometria triangular e barra estabilizadora (d) e MacPherson com rodas independentes, links transversais/laterais e barra estabilizadora (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,404 m (c), 1,819 m (l), 1,625 m (a)
Entre-eixos: 2,636 m
Pneus: 235/45 R19
Porta-malas: 476 litros
Tanque: 60 litros
Peso: 1.589 kg
0-100 km/h: 9s8 (g) e 9s4 (e)
Velocidade máxima: 203,5 km/h (g) e 206 km/h (e)
Consumo cidade: 10,2 km/l (g) e 7,2 km/l (e)
Consumo estrada: 11,7 km/l (g) e 8,3 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: B (Utilitário esportivo grande)

 

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Range Rover Evoque volta a ser produzido no Brasil; veja os preços
+ Veja como verificar a pintura de um seminovo na hora da compra
+ Eletricz lança bike elétrica no Brasil com até 160 km de autonomia
+ Kombi de 1987 é transformada em camper como presente para esposa
+ Avaliação: Com motor 1.6 e câmbio manual, Peugeot 208 Like tem preço atraente e boa dirigibilidade
+ Conheça o museu de micro carros inaugurado no Brasil
+ Avaliação: Jeep Commander é, sim, um Compass aumentado (e não há problema nenhum nisso)
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ Nova lei entra em vigor e tem alterações para motoristas de transportes
+ IPVA zero para motos até 150 cc é aprovado em Comissão
+ App 99 oferece aluguel do kit de conversão de gás (GNV) para motoristas; veja como se inscrever
+ Shineray lança 3 scooters elétricas no Brasil com autonomia de até 80 km