Avaliação: Argo Drive 1.0 quer recolocar a Fiat entre os líderes

17735

Houve um tempo em que o Fiat Palio era o líder incontestável do mercado brasileiro. Mas ai chegaram os americanos com o Chevrolet Onix e os coreanos com o Hyundai HB20 e mandaram os italianos para bem longe do topo. Hoje, o carro mais bem colocado da Fiat no ranking da Fenabrave é o Mobi, com 19.056 unidades emplacadas entre janeiro e maio. Bem menos do que o Onix, que lidera no período com 68.318 unidades. E é de olho em recuperar o espaço perdido entre os hatches com motor de 1.000 cilindradas que a Fiat aposta no novo Argo Drive 1.0, que avaliamos nas próximas linhas. (confira aqui a avaliação da versão de topo HGT 1.8)

A Drive 1.0 é a versão de entrada do Argo (confira aqui as outras versões e preços do Argo). De acordo com a Fiat, esta configuração deve contribuir com 1/3 do mix total de vendas do modelo. Com preço inicial de R$ 46.800, o Argo Drive 1.0 concorre na mesma faixa de preços do Onix 1.0 LT (R$ 46.150) e do HB20 1.0 Comfort Plus (R$ 45.830). E a Fiat parece ter feito mesmo a lição de casa.

Com 3,998 metros de comprimentos, 1,724 m de largura e 2,521 m de entre-eixos, o Argo tem medidas superiores às do concorrente HB20 (3,920 m, 1,680 m e 2,500 m, respectivamente), o que se reflete em uma cabine ampla, com bom espaço para pernas, ombros e cabeça para quem viaja no banco traseiro, uma boa posição de dirigir para o condutor e o porta-malas com 300 litros de capacidade. E por falar em interior, outro destaque positivo deste Argo 1.0 é no acabamento interno, que apesar dos plásticos típicos para um compacto, surpreende com a montagem precisa das peças, boa variação de texturas e até mimos muitas vezes vistos apenas em carros mais caros, como os tapetinhos de borracha nos porta-objetos.

O motor é o mesmo 1.0 Firefly de três cilindros e 72/77 cv (gasolina/etanol) utilizado no Mobi e no Uno, mas o câmbio manual de cinco marchas teve relações encurtadas para lidar com os 95 kg a mais de peso em relação ao Uno 1.0. Apesar dos números pouco empolgantes, o propulsor mostrou fôlego no curto teste-drive que fizemos pelas ruas de São Paulo, graças principalmente ao bom torque de 10,4/10,9 kgfm disponíveis a baixos 3.250 rpm, que contribui para a impressão de motor sempre cheio em baixos e médios giros. Ponto positivo também para o câmbio, com marchas bem escalonadas e que não pede muitas reduções mesmo em retomadas.

A suspensão, aliás, também é digna de nota. Bem equilibrada, é mais firme que o acerto tipicamente empregado pela marca, mas não é desconfortável e filtra bem as imperfeições do asfalto. A direção elétrica é progressiva, leve em manobras e vai ganhando peso conforme a velocidade aumenta.

De acordo com o PBE Veicular, do Inmetro, o Argo Drive 1.0 registra média de consumo urbano de 9,9 km/l (etanol) e 14,2 km/l (gasolina) e rodoviário de 10,7 km/l (etanol) e 15,1 km/l (gasolina), que garantem ao modelo a classificação A dentre os compactos e na classificação geral. O modelo faz de 0 a 100 km/h em 13s4 (etanol) e 14s4 (gasolina), com máxima de 162 km/h (etanol) e 157 km/h (gasolina).

Apesar do visual mais simples do que nas configurações mais caras, com rodas de aço com calotas e a ausência dos faróis de neblina, o Argo 1.0 segue a concorrência e oferece um bom pacote de equipamentos de série, com direito a ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros e direção elétrica, além de dispor de diferenciais como o sistema Isofix para fixação de assentos infantis (indisponível no Onix) e o sistema Start&Stop (que desliga e religa o motor automaticamente em paradas breves), que não é oferecido nos dois concorrentes. Os opcionais são o rádio Connect (R$ 1.300), sistema multimídia (R$ 1.990), câmera de ré (R$ 1.200) e o kit com retrovisores elétricos com função tilt down e vidros elétricos traseiros (R$ 1.200). Na configuração mais completa, o Argo Drive 1.0 vai a R$ 51.190.

Ainda é cedo para dizer se o Argo Drive 1.0 será capaz de recolocar a Fiat no topo. Mas compartilhando das mesmas qualidades dinâmicas dos Argo mais caros e com uma boa lista de itens de série, o Drive 1.0 com certeza vai incomodar a concorrência. Americanos e coreanos, preparem-se!

FICHA TÉCNICA

Fiat Argo Drive 1.0

Preço básico: R$ 46.800
Carro avaliado: R$ 51.190
Motor: 3 cilindros 1.0, 6V, variador de fase
Cilindrada: 999 cm³
Combustível: flex
Potência: 72 cv a 6.000 rpm (g) e 77 cv a 6.250 rpm (e)
Torque: 10,4 kgfm a 3.250 rpm (g) e 10,9 kgfm a 3.250 (e)
Câmbio: manual, cinco marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3,998 m (c), 1,724 m (l), 1,503 m (a)
Entre-eixos: 2,521 m
Pneus: 175/65 R14
Porta-malas: 300 litros
Tanque: 48 litros
Peso: 1.105 kg
0-100 km/h: 14s4 (g) e 13s4 (e)
Velocidade máxima: 157 km/h (g) e 162 km/h (e)
Consumo cidade: 14,2 km/l (g) e 9,9 km/l (e)
Consumo estrada: 15,1 km/l (g) e 10,7 km/l (e)
Emissão de CO2: 90 g/km
Nota do Inmetro: A
Classificação na categoria: A (Compacto)

 

blog comments powered by Disqus