Avaliação: Audi A4 2021 se atualiza, mas não se eletrifica

O Audi A4 2021 trouxe um visual mais dinâmico, com novas tecnologias focadas tanto no conforto/comodidade quanto na segurança. Mas faltou uma opção híbrida

Audi A4 Performance Black
Foto: Roberto Assunção

O Audi A4 Sedan acumula mais de 7,5 milhões de unidades vendidas ao longo de 26 anos. De 1994 para cá muito se evoluiu e a linha 2021 trouxe novidades nas versões Prestige (R$ 229.990), Prestige Plus (R$ 259.990) e Performance Black (R$ 304.990).

O design mostra a dianteira com novos faróis/para-choque junto da grade “Singleframe” crescida. Não só isso, o facelift desta quinta geração (B9) ainda rouba as atenções pela traseira, com lanternas e para-choque redesenhados. Nas laterais, as rodas de liga leve possuem 18”. 

O estilo “dinâmico” é evidenciado pelos detalhes em preto brilhante do sobrenome Performance Black. Eles aparecem nas capas dos retrovisores, nas molduras das janelas, na régua da tampa do porta-malas, no para-choque frontal e na grade do radiador.

Construído sobre a base MLB Evo, do Grupo Volkswagen, e compartilhada nos modelos A7, A8, Q7 e Q8, ele tem 4,770 m de comprimento e 2,822 m de entre-eixos.

Ou seja, o sedã de Ingolstadt está ‘pari passu’ ao Mercedes-Benz Classe C de 4,686 m e 2,840 m, respectivamente, e aos rivais BMW Série 3 (4,709 m e 2,851 m) e Volvo S60 (4,761 m e 2,872 m).

As dimensões do Audi A4 Sedan asseguram boa habitabilidade, reforçada pelos ótimos materiais e revestimentos empregados no acabamento e pelos detalhes em black piano.

A empunhadura do volante de base achatada é elogiável e os comandos posicionados à mão aumentam a ergonomia.

Muito embora a coluna de direção seja ajustável manualmente em altura e profundidade. O quadro de instrumentos totalmente digital é de 12,3” e o sistema multimídia tem tela de 10,1” sensível ao toque e uma interface bastante intuitiva de operar. O Audi Box Light é uma novidade com o carregamento de smartphone por indução e a conectividade Android Auto/Apple CarPlay sem fio. 

Os confortáveis bancos mesclam couro e Alcantara e os dianteiros possuem ajustes elétricos e memórias. Dois opcionais: o Head-Up Display (HUD), que projeta no para-brisas informações importantes ao motorista, como a velocidade (R$ 8.000) e o excelente áudio da renomada Bang&Olufsen 3D (também R$ 8.000).

Quem viaja atrás dispõe de espaço para as pernas, os joelhos e a cabeça, porém, o quinto ocupante sofre por conta do túnel central elevado – isso por conta da tração integral quattro. Estão disponíveis duas entradas USB e uma de 12V para o carregamento de gadgets. Já o porta-malas de 460 litros do Audi é superior ao dos sedãs médios premium da BMW (365 litros), da Mercedes-Benz (455) e da Volvo (442).

+ A GM ajudou a matar o carro elétrico 20 anos atrás. Agora morrerá por ele?
+ Gasolina fica mais cara a partir de segunda; veja preço
+ General Motors planeja ser neutra em carbono até 2040
+ Novo SUV derivado do Kwid, Renault Kiger é revelado por completo

Rápido e afiado

O motor 2.0 turbinado está conectado ao câmbio de dupla embreagem e sete marchas. Nas configurações Prestige e Prestige Plus, este conjunto transmite 190 cv e 32,63 kgfm possibilitando acelerar de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e chegar aos 240 km/h de velocidade máxima.

Na topo de linha Performance Black avaliada, são 249 cv de potência e 37,72 kgfm de torque, fazendo-o ir da imobilidade aos 100 km/h em rápidos 5,8 segundos e cravar 250 km/h de máxima (mas ainda assim come poeira do Volvo S60 T8, nossa Compra do Ano 2021). 

É um casamento feliz, que seduz pelo desempenho linear quanto pela excelente atuação da caixa de dupla embreagem e os modos de condução bem definidos entre si. São eles: Efficiency, Comfort, Auto, Dynamic e Individual.

No primeiro, surgem respostas comedidas e as marchas mudadas brevemente para auxiliar no consumo.

Assumindo uma condução branda, seja na cidade ou na estrada, e ao retirar o pé do pedal do acelerador é engatado o ‘ponto morto’ eletrônico do câmbio cooperando na diminuição do gasto de gasolina.

Também ajuda o start-stop, que desliga o motor durante breves paradas. Ele agrada em cheio pela suavidade na hora de desligar ou de religar o propulsor de 2-litros.

Já o programa Comfort deixa a direção minimamente mais firme e respostas mais diretas, ao passo que as respostas do motor ficam mais espertas.

Contudo, é no mais radical Dynamic que o caráter do Audi A4 Performance Black dá as caras. Aqui, ele mostra as suas garras garantindo acelerações de tirar o fôlego e mudanças de marchas para lá de espertas. Quem preferir uma pitada a mais de esportividade pode mudar sequencialmente as marchas pelas borboletas atrás do volante ou na alavanca. 

Todo esse potencial é reforçado pela tração integral quattro e pelas ótimas suspensões, que o deixam pregado ao chão e filtram e absorvem bem as irregularidades do piso. Ao passar por emendas de asfalto ou por ruas mal pavimentadas não é sentido tampouco ouvido o trabalho deste conjunto. Lembre-se que esta configuração usa todas de 18” calçadas por pneus de medidas 245/40. Elogios também para o isolamento acústico da cabine.

+ Ford Ka usado foi o carro mais desvalorizado em 2020
+ Comprar ou vender? Entenda o mercado da moto em 2021
+ BMW 635CSi de Sir Sean Connery é leiloado
+ Exclusivo: ao volante do Porsche 911 RSR das 24 Horas de Le Mans

Entre os itens de segurança, há controlador adaptativo de velocidade e park assist, além de assistente de colisão frontal e o alerta de pontos cegos – mas faltam sistemas semiautônomos mais sofisticados. Há apenas o pacote Assistance City (mais R$ 8.000), composto pelo Audi pre sense traseiro e o assistente de mudanças de faixas, e os faróis Full LED Matrix HD (R$ 12.000). Outro item cobrado à parte é a pintura (R$ 2.200).

Completo, o preço vai a salgados R$ 342.690 – próximo aos de Mercedes-Benz C300 Sport (R$ 323.900), BMW 330e M Sport (R$ 319.950) e Volvo S60 Polestar Engineered (R$ 345.950), estes dois últimos híbridos e bem superiores em desempenho e consumo.

Faltou ao sedã uma ajudinha da eletrificação – mesmo no exterior, só há sistema híbrido leve, de 48V. A Audi precisa correr atrás do prejuízo.


FICHA TÉCNICA

Audi A4 Sedan Performance Black
Preço básico: R$ 229.990 (versão Prestige)
Carro avaliado: R$ 342.690

AUDI A4 Sedan Performance Black
Motor: quatro cilindros em linha 2.0 16V, turbo, injeção direta e indireta, duplo comando variável
Cilindrada: 1984 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 249 cv de 5.000 a 6.000 rpm
Torque: 37,7 kgfm entre 1.600 e 4.500 rpm
Câmbio: automatizado de dupla embreagem, sete marchas
Direção: elétrica
Suspensão: Independente, braços sobrepostos (d) e multibraços (t)
Freios: discos ventilados (d) e discos sólidos (t)
Tração: integral sob demanda
Dimensões: 4,770 m (c), 1,847 m (l), 1,429 m (a)
Entre-eixos: 2,822 m
Pneus: 245/40 R18
Porta-malas: 460 litros
Tanque: 58 litros
Peso: 1.660 kg
0-100 km/h: 5s8
Velocidade máxima: 250 km/h
Consumo cidade: 9,3 km/l*
Consumo estrada: 11,9 km/l*
Emissão de CO2: 131 g/km*
Nota do Inmetro: C*
Classificação na categoria: B (Extra Grande)*
*estimado 

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel