Avaliação: Audi A7 Sportback estreia maior e mais moderno

Todo novo desde a plataforma, o cupê de quatro portas combina luxo e tecnologias como o sistema híbrido leve e a direção semiautônoma

Audi A7 Sportback
Audi A7 Sportback (Divulgação)

O design sempre foi um dos pontos altos do Audi A7 Sportback. Esse DNA, inspirado pelo conceito Audi Sportback Concept do Salão de Detroit de 2009, agora subiu um degrau na beleza, no conforto e na tecnologia. Belo aos olhos, o visual renovado segue exibindo o caimento abrupto do teto e é reforçado pela grade frontal Single Frame, os faróis afilados e as lanternas unificadas por um filete de LED. As caixas de rodas cresceram 15 mm para acomodar as belíssimas rodas de 20”. 

Frente ao antecessor, a nova geração adotou a plataforma MLBEvo (a mesma do SUV-cupê Q8 e do sedã executivo A6) e reduziu 5 mm no comprimento, 21 mm na largura (medida com os retrovisores), enquanto cresceu 2 mm na altura e 12 mm no entre-eixos. O porta-malas de 585 litros expande para 1.390 litros com o rebatimento do banco traseiro – a tampa tem acionamento elétrico e abertura de quase 90°.  

A sensação de requinte surge logo ao abrir as portas sem molduras, com a cabine transmitindo todo o luxo dos modelos da Audi. Igual ao Q8, o A7 Sportback oferece o quadro de instrumentos totalmente digital Virtual Cockpit Plus com tela de 12,3”, o multimídia MMI Touch de 10,1” e logo abaixo uma segunda tela de 8,6” dedicada que, entre as funções, controla a temperatura da cabine. 

De série, o coupé de quatro portas oferece ar-condicionado de quatro zonas, bancos dianteiros esportivos, teto solar panorâmico, luzes internas configuráveis com 30 opções de cores e áudio da Bang&Olufsen com 16 alto-falantes e 705W de potência. O pacote de segurança recheado é composto pelo Traffic Jam Assist, que funciona de 0 a 250 km/h e controla a aceleração, a frenagem e o carro dentro da faixa ou nos congestionamentos, e o Audi Pre Sense Front, capaz de identificar pedestres e ciclistas em velocidades de até 85 km/h ou outros veículos até 250 km/h. Outro recurso é o Side Assist/Pre Sense Rear, opcional no Q8 e de série no A7 Sportback, que reúne o monitor de pontos cegos, assistente de tráfego reverso e o Exit Warning Assist (alerta sobre perigo ao desembarcar do veículo). 

BELEZA PÕE À MESA

O poderio é entregue pelo motor V6 3.0 TFSI associado ao câmbio de dupla embreagem S Tronic de sete marchas. É o mesmo conjunto mecânico do Q8 e também do sedã A6. Nem tanto pelos 340 cv de potência, mas sim pelos 51 kgfm de torque disponíveis logo a partir de baixíssimos giros. 

Ao contrário do modelo antigo, que utilizava compressor mecânico, o A7 Sportback adotou o turbocompressor para despejar 7 cv e 6,1 kgfm a mais (eram 333 cv e 44,9 kgfm).  A diferença de peso para o A6 é de poucos 55 kg e, segundo o fabricante, eles compartilham apenas 15% das peças, entre elas, maçanetas, retrovisores, antena e algumas partes do interior, só para citar. 

O Audi Drive Select oferece os modos Comfort, Efficiency, Dynamic, Individual e Auto, que alteram alguns parâmetros do veículo, como respostas do motor e da transmissão. No test-drive realizado pelas ruas do Rio de Janeiro, rodamos grande parte do tempo no programa Efficiency. Dirigindo-o tranquilamente entre 55 e 160 km/h é acionada a função Roda Livre para beneficiar o consumo e as baixas emissões – em prol do meio ambiente, ajuda também o start-stop, que começa a atuar a partir de 22 km/h. O A7 Sportback é um híbrido leve por ter um sistema elétrico de 48V. Ele auxilia no desempenho, mas não consegue movimentar sozinho o carro. 

É um comportamento empolgante com arrancadas vigorosas e mínimo turbolag (aquele atraso antes de o turbocompressor encher). O turbo trabalha com 2.2 bar de pressão absoluta (a mesma do Q8), enquanto a transmissão trabalha de forma precisa nas mudanças/reduções. A tração Quattro funciona sob demanda mantendo o carro grudado no chão. Apesar das rodas de 20” vestirem pneus de perfil baixo, as suspensões filtram e absorvem bem as irregularidades do piso. A direção progressiva impressiona pela precisão ao esterço. Já a asa retrátil sobre a tampa do porta-malas está 3 cm mais alta para cooperar na aerodinâmica e abre automaticamente a 120 km/h. 

Como tudo o que é bom pode melhorar, de acordo com a Audi, está em estudo a vinda ao Brasil da variante RS 7. Esta possui 608 cv de potência, sendo capaz de acelerar de 0-100 km/h em ínfimos 3,6 segundos e atingir 305 km/h de velocidade máxima. 

OPCIONAIS

Com preço de R$ 456.990, entre os opcionais, por exemplo, estão disponíveis o Head-Up Display (R$ 10.000), os faróis Matrix LED HD (R$ 13.000), as rodas com design diferente (R$ 4.000) e o Night Vision (R$ 16.000) – assistente de visão noturna com câmera infravermelha. Com esses três equipamentos cobrados à parte, o A7 Sportback vai R$ 499.990.


FICHA TÉCNICA

AUDI A7 SPORTBACK PERFORMANCE 
Preço básico: R$ 456.990
Carro avaliado: R$ 456.990
Motor: seis cilindros em V 3.0, 24V, injeção direta, turbo, intercooler
Cilindrada: 2995 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 340 cv entre 5.000 e 6.400 rpm
Torque: 51 kgfm de 1.370 a 4.500 rpm
Câmbio: dupla embreagem, sete marchas
Direção: eletro-mecânica progressiva
Suspensão: Five-link (d/t)
Freios: Discos ventilados (d/t)
Tração: Integral
Dimensões: 4,969 m (c), 2,118 m (l), 1,422 m (a)
Entre-eixos: 2,926 m
Pneus: 255/40 R20
Porta-malas: 535 litros (1.390 litros com o rebatimento do banco traseiro)
Tanque: 63 litros
Peso: 1.790 kg
0-100 km/h: 5s3
Velocidade máxima: 250 km/h (limitada eletronicamente)
Consumo cidade: 7,7 km/l
Consumo estrada: 10,6 km/l
Emissão de CO2: 159 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: D