Avaliação: SUV elétrico, Audi e-tron chega aos 100 km/h em menos de seis segundos

O SUV eletrificado oferece dois motores alimentados por bateria para transmitir uma dirigibilidade afiada e eficiente, além de muita versatilidade


Este não é qualquer carro elétrico, mas sim o Audi e-tron, o primeiro modelo 100% eletrificado do fabricante de Ingolsdat. Importado da Bélgica, ele veio ao Brasil em duas versões: Performance e Performance Black, com atributos suficientes para mudar a sua opinião sobre os carros movidos a eletricidade. 

Feito sobre a plataforma MEB (Modularer E-Antriebs-Baukasten), do Q4 e-tron e do Volkswagen ID.3, o SUV eco-firendly da Audi mede 4,901 m de comprimento, 1,935 m de largura, 1,629 m de altura e 2,928 m de entre-eixos. Ou seja, tem medidas entre os “irmãos” Q5 e Q7, além dos rivais Jaguar I-Pace, Mercedes-Benz EQC e Tesla Model X.  

 

Belo aos olhos, o visual é um capítulo à parte pelos faróis Full LED dotados de quatro linhas horizontais compondo a iluminação diurna (DRL), enquanto nas laterais os destaques estão nas grandes rodas de 21” vestidas por pneus 265/45 e no aplique decorativo, que simboliza o conjunto de baterias. Atrás, a lanterna contínua rouba a cena e por ser um modelo elétrico não há saídas de escape. 

Aerodinâmica em prol da eficiência 

A aerodinâmica do Audi e-tron trouxe uma chapa na porção inferior para evitar o arrasto quanto proteger o conjunto de baterias. A grade dianteira Singleframe octagonal, já presente na nova geração do Q3 e no Q8, possui aletas ajustáveis automaticamente para beneficiar a passagem do ar – uma segunda entrada nas extremidades do para-choque frontal dá fluidez ao vento, que passa pela caixa de roda. 

Outra cereja do bolo para atingir o coeficiente de 0,27 são os retrovisores “convencionais” substituídos por câmeras de alta resolução. Logo de cara, causa estranheza e leva um tempo para se acostumar. Os ajustes são feitos por torques nas telas de 7” com tecnologia OLED nas portas. A inovação transmite um bom campo de visão.

O interior do e-tron remete a de outros Audi, como o do A6 e do Q8. A posição de dirigir elogiável traz os bancos e a coluna de direção reguláveis eletricamente, enquanto o áudio da renomada Bang&Olufsen com 16 alto-falantes transmite pureza sonora. A alavanca de câmbio é fixa e as posições são selecionadas pelo seletor lateral. Prático, não compromete a ergonomia.

Também estão disponíveis o quadro de instrumentos totalmente digital Audi Virtual Cockpit Plus de 12,3”, o multimídia de 10,1” com Android Auto/Apple CarPlay, e uma terceira tela de 8,6”, que concentra outras funcionalidades, como o ajuste do ar-condicionado – de quatro zonas, com comandos para os passageiros traseiros. Quem viaja atrás dispõem de bom espaço para as pernas, ombros e cabeça. E por não ter o eixo cardã o quinto passageiro não sofre em longas viagens. 

A NOVA EDIÇÃO DA REVISTA MOTOR SHOW, COM A COMPRA DO ANO 2020,
ESTÁ DISPONÍVEL GRATUITAMENTE EM NOSSO SITE. CLIQUE AQUI PARA LER

O porta-malas de 600 litros vai a 1.725 litros ao rebater o banco de trás. E sob o capô, há um compartimento de 60 litros para guardar os cabos de carregamento.

Condução empolgante e livre de ruídos

A ausência de ruídos é completa e o Audi e-tron é um carro muito bem isolado e livre dos ruídos aerodinâmicos, mesmo ao dirigir em velocidades mais altas. Os dois motores elétricos estão instalados um em cada eixo. O dianteiro oferece o equivalente a 170 cv de potência e 31,50 kgfm de torque, enquanto o traseiro envia 190 cv e 36,18 kgfm.

Ao todo, estão disponíveis 360 cv e 57,2 kgfm, que crescem para 408 cv e 67,7 kgfm na função Overboost. Desta forma, permitindo acelerar os 2.655 kg de 0 a 100 km/h em rápidos 5,7 segundos. A velocidade máxima de 200 km/h é igual ao do Jaguar I-Pace. 

A patada no peito é fruto do torque instantâneo fazendo o Audi e-tron arrancar transmitindo muito vigor. Em grande parte do tempo, o motor traseiro é o responsável por movimentar o SUV elétrico, pois o dianteiro entra em ação somente quando necessário. Pelo Audi Drive Select estão disponíveis sete modos (Auto, Dynamic, Individual, OffRoad, OnRoad, Comfort e Efficiency), que alteram alguns parâmetros do veículo. 

Durante a nossa avaliação por trechos urbanos e rodoviários foi possível constatar o quão bem definidos eles estão entre si. No Efficiency, as respostas são comedidas e o volante assume uma calibração macia ao esterço – da mesma forma observada nos programas Comfort, Allroad e Offroad. No Dynamic, ela fica mais firme oferecendo um feedback exemplar e contribuindo na dirigibilidade.

As suspensões adaptativas garantem conforto no esburacado asfalto de São Paulo e podem variar a altura em até 7,6 cm, dependendo do modo de condução. A distribuição de peso na ordem de 50:50 junto do baixo centro de gravidade, assegurado pelo conjunto de baterias instalado no assoalho, faz do Audi e-tron um devorador de curvas.

A estabilidade é ótima para um SUV e o sistema de tração Quattro do e-tron é diferente de tudo já feito pela Audi. Ao invés do cardã e dos diferenciais, os dois motores elétricos são os responsáveis pela tração nas quatro rodas. E quem deseja encarar um fora-de-estrada, no modo Off-road, as suspensões se erguem em 17,2 cm e ainda há o controle de velocidade em descida.

O futuro chegou e está entre nós 

No lugar do conta-giros está um marcador de energia e as borboletas atrás do volante não estão lá para mudar sequencialmente as marchas, mas para ajustar os três níveis de regeneração de energia. No zero, o Audi e-tron não recupera a energia e, no nível 1, a desaceleração é mínima. No 2 é notório o quanto o sistema atua permitindo guiá-lo apenas com o pedal do acelerador. Desta forma, ajudando no menor desgaste dos discos e pastilhas de freio.    

O conjunto de bateria possui 36 módulos e tem capacidade de 95 kWh. Com cerca de 700 kg, o pack mede 2,288 m de comprimento, 1,630 m de largura, 3,4 cm de altura e volume de 1.268 litros. O gerenciamento térmico é realizado por meio de 22 litros de líquido de arrefecimento, que percorre 40 metros de conexões para manter a temperatura de trabalho entre 25ºC e 35ºC. Uma outra bateria de 12 volts alimenta os periféricos, como o ar-condicionado, os faróis e o sistema de entretenimento, por exemplo.

 

De acordo com o ciclo WLTP (Worldwide Harmonized Light Veihcle Test Procedure), o alcance do Audi e-tron é de 436 km. A recarga pode ser feita desde uma tomada residencial de 110V até uma de alta tensão (de 150 kWh é possível obter 80% da carga em 30 minutos). Já plugado em uma estação de 7,2 kWh é possível completar o tanque do e-tron de 0 a 100% em cerca de 13 horas. 

Quanto vale o show?

O Audi e-tron cobra R$ 499.990 pela versão Performance e R$ 539.990 pela configuração Performance Black. No entanto, durante o período de lançamento os valores são de R$ 459.990 e R$ 499.990, na ordem.

Opcionalmente, estão disponíveis a pintura metálica (R$ 2.400), os faróis Matrix (R$ 13.000), os retrovisores virtuais (R$ 13.000) e o Pacote Tecnológico (R$ 26.000), que adiciona o Head-Up Display (HUD), o assistente de visão noturna Night Vision Assist e o Pre Sense dianteiro (moniora sobre os riscos da iminência de colisão contra o veículo à frente).

Outro item à parte é o Audi Side Assist (R$ 8.000) trazendo o Exit Warning Assist, o assistente de tráfego reverso e o Audi Pre Sense Traseiro. As revisões ocorrem a cada 10.000 km e a garantia é de quatro anos para o veículo e de oito para a bateria.


AUDI E-TRON PERFORMANCE BLACK
Preço básico: R$ 459.990 (Performance)*
Carro avaliado: R$ 499.990 (Performance Black)*
*preço promocional durante o período de lançamento

Audi e-tron Performance Black
Motor: Elétrico, dianteiro e traseiro
Combustível: a bateria
Potência: 360 cv (408 cv com modo Overboost acionado)
Torque: 57,2 kgfm (67,7 kgfm com modo Overboost acionado)
Câmbio: automático, uma marcha
Direção: elétrica
Suspensão: Braços sobrepostos (d) e multibraços (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: Integral
Dimensões: 4,901 m (c), 1,935 m (l), 1,629 m (a)
Entre-eixos: 2,928 m
Pneus: 265/45 R21
Porta-malas: 600 litros + 60 litros do compartimento dianteiro
Bateria: Ions de lítio, 95 KWh
Peso: 2.655 kg
0-100 km/h: 6s6 e 5s7 (função Boost acionada)
Velocidade máxima: 200 km/h (limitada eletronicamente) 
Consumo cidade: 40,4 km/kWh (modo de condução Efficiency)**
Consumo estrada: 33 km/kWh (modo de condução Efficiency)**
Autonomia: 436 km (WLTP)
Recarga: 13 horas (7,2 kWh) e cerca de 80% da carga em 30 minutos em estações de 150 kWh
Nota do Inmetro: A***
Classificação na categoria: A***
**Medição Motor Show
***Estimado