Avaliação: Audi RS 4 Avant descarrega 450 cv de potência e muito equilíbrio

A linha 2021 do Audi RS 4 Avant trouxe alterações pontuais. Contudo, ele segue com o motor V6 biturbo e tração quattro para entregar altas doses de emoção

0
1640
Audi RS 4 Avant
Foto: Roberto Assunção

O Nogaro Blue é um dos tons de azul mais icônicos de todos os tempos e ele ficou famoso por recobrir o lendário Audi RS 2 Avant, cujo codesenvolvimento com a Porsche nos brindou com uma fantástica superperua dotada de motor de cinco cilindros 2.2 20V turbo e câmbio manual de seis marchas para despejar 315 cv de potência e 41,75 kgfm de torque. Sem dúvidas, uma obra de arte da engenharia alemã, sendo a percussora das station wagons esportivas e à época considerada a perua mais rápida do mundo pelo 0 a 100 km/h feito em 4,8 segundos.

Passados 27 anos do lançamento do Audi RS 2 Avant, em 1994, agora estamos diante da linha 2021 do Audi RS 4 Avant. E a pegada intrínseca do clã RennSport (significado da sigla RS ou esporte de competição, em tradução livre do alemão) trouxe um exterior/interior atualizados.

+ Avaliação: Audi RS 6 Avant, a perua milionária que nos faz perder o juízo
+ Avaliação: Audi TT RS é verdadeiro parque de diversões sobre rodas
+ Avaliação: Audi A5 Sportback 2021 combina beleza, economia e muito prazer ao volante
+ Compra do Ano 2021/Carro Elétrico: Audi e-tron


Feito sobre a base MLB EVO, a mesma do A4 e do RS 5 Sportback, por exemplo, a geração B9 da perua ganhou novo para-choque frontal, faróis full-LED Matrix, enquanto atrás estão revistos o arranjo interno das lanternas e o para-choque, o qual acomoda as duas saídas ovais de escape. As rodas de 20” (há duas opções de desenho) vestem pneus Pirelli PZero de medidas 275/30.

Obviamente, o azul Nogaro da carroceria remete diretamente ao do Audi RS 2 Avant, cujo nascimento derivou do Audi 80 Avant, com produção entre 1994 e 1995, e um total de 2.908 unidades, das quais 62 foram comercializadas em nosso mercado.

Audi RS 2 Avant
O Audi RS 2 Avant trazia o turbocompressor KKK original trocado por outro 30% maior, um intercooler (resfriador de ar) mais parrudo, os comandos de válvulas com maior duração/levante, assim como também recebeu o gerenciamento eletrônico da Bosch, todo o sistema de injeção/ignição atualizado e bicos injetores com maior vazão (Foto: Divulgação)

De para-choque a para-choque, o Audi RS 4 Avant mede 4,781 m de comprimento, 2,826 m de entre-eixos e volumosos 505 litros de porta-malas. Basicamente, para o Audi RS 5 Sportback só muda o estilo do design e no cupê de quatro portas estão às ordens 4,783 m de comprimento, 2,826 m de entre-eixos e 430 litros no compartimento de bagagens.

Dois turbos e 450 cv de potência

O Audi RS 4 Avant é um dos poucos carros à venda em nosso mercado capaz de reunir uma dirigibilidade aguçada e versatilidade. A usina de força responsável por esta fórmula é o motor V6 2.9 biturbo de 450 cv de potência e brutos 61,2 kgfm de torque desde baixíssimos 1.900 giros – no modelo antecessor era um V8 4.2 naturalmente aspirado de 450 cv e 43,85 kgfm a 4.000 rpm.

Ao volante, tanto o Audi RS 4 Avant quanto o Audi RS 5 Sportback (confira a nossa avaliação) são bem similares de conduzir. Os dois turbocompressores vão montados no meio do “V” do bloco e eles operam com 1,3 bar de pressão (cada).

O matrimônio do propulsor de seis cilindros em “V” sobrealimentado com a transmissão automática de oito marchas é um resultado explosivo, com respostas de prontidão, seja nas médias, baixas ou altas rotações, além de baixo turbolag (aquele atraso antes dos turbocompressores encherem).

Embora não tão colossal quanto a “irmã” Audi RS 6 Avant (leia aqui a avaliação)  de absurdos 600 cv de potência e intempestivos 81,6 kgfm de torque, o Audi RS 4 Avant parte da imobilidade aos 100 km/h em 4,1 segundos e crava 280 km/h de velocidade máxima – o RS 5 Sportback precisa de 3,9 segundos e entrega os mesmos 280 km/h de máxima.

A relação peso-potência do Audi RS 4 Avant é de 3,8 kg/cv e peso-torque de 28 kg/kgfm, enquanto no Audi RS 5 Sportback aparecem 3,9 kg/cv e 28,5 kg/kgfm, respectivamente. A diferença de peso entre o Audi RS 4 Avant (1.715 kg) e o Audi RS 5 Sportback (1.742 kg) é de poucos 27 quilos.

Lá fora, um rival do Audi RS 4 Avant é o Mercedes-AMG C 63 de 475,8 cv e 66,28 kgfm permitindo ir de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos. Já a variante mais radical C 63 S descarrega 510 cv e 71,38 kgfm para cumprir a mesma prova em 4,1 segundos (veja o que falamos da variante sedã). 

Modos de condução = diversão ao volante 

Pelo Audi Drive Select é possível selecionar entre os programas Comfort, Auto, Dynamic e RS Mode 1/RS Mode 2. No primeiro, as marchas são passadas brevemente e a sétima já está engatada a 50 km/h contribuindo no gasto de combustível. Aliás, durante a nossa avaliação o computador de bordo registrou médias urbanas de até 10 km/l dirigindo sem abusar do pedal do acelerador.

O câmbio automático ainda possibilita andar na estrada a 100 km/h com a agulha do conta-giros em 1.500 rpm (a 120 km/h fica abaixo das 2.000 rpm), além de saltar da oitava para a quarta em um piscar de olhos fazendo-o caminhar à frente transmitindo muita disposição. Não apenas a transmissão atua de forma direta, como a direção copia exemplarmente o piso.

Este comportamento do Audi RS 4 Avant muda no modo Dynamic, pois ele altera as respostas do motor, da transmissão e da direção, por exemplo, com as mudanças de marchas realizadas em regime mais alto. Além disso, é possível fazer mudanças sequenciais pelas borboletas atrás do volante ou na alavanca, com as trocas acompanhadas de “pipocos” emitidos pelas duas saídas ovais de escape.

Audi RS 4 Avant
A porção traseira do Audi RS 4 Avant 2021 trouxe um novo arranjo interno das lanternas e o para-choque redesenhado, com as duas ponteiras ovais de escape (Foto: Roberto Assunção)

Também são encontrados o start-stop, que desliga o propulsor durante breves paradas, como nos semáforos, e ainda a função “roda livre”. Este último, engata o ponto-morto eletrônico do câmbio ao trafegar em velocidade constante.

A tração integral quattro é dividida na ordem de 40:60 podendo enviar 85% da força para o eixo traseiro ou 70% para o dianteiro. As suspensões merecem um capítulo à parte devido ao controle de carroceria/estabilidade sem tendência de deixar a carroceria nas curvas ou transferências de cargas nas frenagens mais fortes. E falando dos freios… Eles são de carbono-cerâmica com discos de 375 mm na frente e de 330 mm atrás – um opcional de R$ 60.000. Aliás, palmas para a sensibilidade e o feedback do pedal.

Audi RS 4 Avant
As rodas de 20″ vestem pneus Pirelli PZero e os freios de carbono-cerâmica são um opcional de R$ 60.000 (Foto: Roberto Assunção)
Interior renovado

A cabine do Audi RS 4 Avant trouxe algumas novidades e os destaques ficam pelo multimídia de 10,1” com tela tátil, o controlador de velocidade adaptativo, o carregador de smartphone por indução e ainda o botão configurável RS. Por ele, é possível acessar o RS1/RS2 e gravar dois perfis de condução distintos e ajustar separadamente o motor, a suspensão, a intensidade do sistema de exaustão, a direção e a tração quattro com diferencial esportivo.

As luzes internas são configuráveis e o revestimento de Alcantara está nas laterais de portas e nos bancos esportivos frontais dotados de função massagem. O quadro de instrumentos Audi Virtual Cockpit de 12,3” é totalmente digital e o áudio da renomada Bang&Olufsen entrega 680 watts de potência e pureza sonora. Quem viaja atrás encontra um bom espaço para as pernas, porém, o quinto ocupante sofre com o túnel central elevado. Aos ocupantes traseiros estão disponíveis duas tomadas USB e uma de 12V, além das saídas de ar do ar-condicionado de três zonas.

Um jato em formato de perua capaz de transmitir a apreciada dirigibilidade alemã junto da versatilidade. Não à toa, o Audi RS4 Avant é o sonho de consumo de muitos consumidores, incluindo este que vos escreve!


FICHA TÉCNICA

Audi RS 4 Avant
Preço básico: R$ 659.990 
Carro avaliado: R$ 756.990

Motor: seis cilindros em V 2.9, 24V, duplo comando variável, injeção direta, turbo
Cilindrada: 2894 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 450 cv de 5.700 a 6.700 rpm
Torque: 61,2 kgfm de 1.900 a 5.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Direção: elétrica
Suspensões: five-link (d/t)
Freios: discos perfurados e ventilados (d/t)
Tração: integral com embreagem multidiscos e diferencial eletrônico (EDS)
Dimensões: 4,781 m (c), 1,866 m (l), 1,404 m (a)
Entre-eixos: 2,826 m
Pneus: 275/30 R20
Porta-malas: 505 litros
Tanque: 58 litros
Peso: 1.715 kg
0-100 km/h: 4s1
Velocidade máxima: 280 km/h
Consumo cidade: 7,1 km/l
Consumo estrada: 9,2 km/l
Emissão de CO²: 174 g/km
Nota do Inmetro: D
Classific. na categoria: E (Extra-Grande)

Mais na Motor Show

+ Comparativo de SUVs: Jeep Compass vs. VW Taos e Toyota Corolla Cross
+ Veja quanto custa manter o Toyota Corolla Hybrid até os 50.000 km
+ Chevrolet Onix e Toyota Corolla lideram ranking dos carros seminovos mais buscados na internet
+ Confira 5 dicas para prolongar a durabilidade da bateria da moto
+ Veja como é feita a medição de capacidade do porta-malas
+ Conheça o Ford que foi o 1º carro de passeio fabricado pela Hyundai