Avaliação: Beleza é tudo no Kia Sportage EX?


Vinícius de Moraes, o saudoso poetinha, dizia que beleza é fundamental. E potência, não é? Para a Kia Motors, nem tanto. Só isso explica o fato de o novo Sportage ter aparecido com um desenho espetacular, mas com o mesmo motor 2.0 com 11 cavalos a menos. Que a análise dessa quarta geração do crossover coreano, entretanto, não se perca por isso. Agora vendido em duas versões (LX de R$ 112.990 e EX de R$ 137.990), o Sportage tem mais pontos positivos do que negativos nessa configuração topo de linha, que avaliamos (confira também no link a nossa avaliação da versão básica LX).

O Sportage é meio injustiçado. Mais bonito do que seu primo ix35, da Hyundai, sempre vendeu menos. Teve um upgrade ao surgir como cria do designer Peter Schreyer, na terceira geração (2010). Foi copiado pelo Tucson (rebatizado de ix35), mas acabou acusado de ser grande demais, enquanto o Hyundai passou a ser admirado no Brasil como a quintessência dos crossovers. E por conta das cotas destinadas à Kia, perdeu mercado – emplacou menos de 1.900 unidades no primeiro semestre, enquanto ix35 já ultrapassou as 4.800. Outra injustiça.

Seu design é futurista por conta das luzes de neblina formadas por quatro LEDs e das luzes de circulação diurna com elemento redondo integrado ao farol. Os cromados e as rodas aro 19 lhe dão sofisticação. O capô alto, o desenho da grade dianteira e as lanternas traseiras ligadas por refletores deixam o crossover bastante atraente. Sem contar que o carro não tem a coluna D, o que faz dele quase um super-hatch elevado. O acabamento melhorou bastante com a aplicação de material emborrachado no painel no lugar do plástico rígido.

Para justificar a diferença de R$ 25.000 sobre a versão de entrada, o Sportage EX tem ar-condicionado automático de duas zonas com saídas traseiras, couro, teto solar panorâmico duplo, volante esportivo, bancos com ajuste elétrico, luzes de leitura em LED, tela multimídia de 7” com navegador e rádio com botões e mostradores enormes. O carro cresceu 4 cm no comprimento e 3 cm na largura e no entre-eixos, mas não teve mudanças mecânicas. Em compensação, ganhou três modos de condução (Eco, Normal ou Sport) e borboletas no volante para trocas de marcha. Em segurança, essa versão EX é bem superior à LX, pois traz monitor de ponto cego, alerta de tráfego cruzado (útil em manobras de ré num estacionamento), auxílio em descidas, assistente de partida em subidas, controle de tração/estabilidade e airbags laterais e de cortina.

O motor é o mesmo 2.0 flex com duplo comando variável. Mas a potência desceu a 156/167 cv para emitir menos gases poluentes (NOx e monóxido de carbono). Conseguiu. Porém, devido aos seus 1.570 kg, isso exigiu mais do câmbio automático de seis marchas e piorou seu consumo (ganhou C na classificação geral do Inmetro). E a emissão de CO2 subiu de 136 para 142 g/km. Sem start-stop, turbo e outras soluções que têm tornado os motores mais eficientes, fica clara a opção da Kia pela dobradinha design/conforto e não pela mecânica. Beleza é fundamental, sim. Mas é tudo? Com a palavra, os consumidores.

—–

Ficha técnica:

Kia Sportage EX

Preço básico: R$ 112.990
Carro avaliado: R$ 137.900
Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V, duplo comando variável, coletor de admissão variável
Cilindrada: 1999 cm3
Combustível: flex
Potência: 156 cv a 6.200 rpm (g) e 167 cv a 6.200 (e)
Torque: 18,8 kgfm a 4.700 rpm (g) e 20,2 kgfm a 4.700 rpm (e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e Multi-link (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,480 m (c), 1,855 m (l), 1,665 m (a)
Entre-eixos: 2,670 m
Pneus: 245/45 R19 (225/60 R17 na versão EX)
Porta-malas: 570 litros estimados (865 litros até o teto)
Tanque: 62 litros
Peso: 1.570 kg
0-100 km/h: 11s2 (Medição Motor Show)
Velocidade máxima: 182 km/h (Automobile Revue)
Consumo cidade: 8,7 km/l (g) e 6,0 km/l (e)
Consumo estrada: 11,0 km/l (g) e 7,5 km/l (e)
Emissão de CO2: 142 g/km (com etanol = 0 g/km)
Consumo nota: C
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Grande)