Avaliação: BMW M140i é um hot hatch com dirigibilidade provocante

O novo BMW M140i pode até não ser um M legítimo, mas oferece uma condução instigante associada a um conjunto mecânico sedutor

O BMW M140i é um hatch eclético, pois pode ser dirigido tranquilamente no dia a dia e ainda encarar um track day nos finais de semana. O hot hatch sucede o M135i, trazendo aperfeiçoamentos para o público ávido por desempenho. A principal diferença está na troca do motor 6 cilindros em linha 3.0 turbinado – agora com 340 cv, perante os 325 cv do antecessor.

Por ser mais moderno, o novo bloco (nomenclatura B58) entrega mais torque, passando a 51 kgfm de 1.520 a 4.500 rpm, enquanto o antigo (N55) despejava 45,9 kgfm entre 1.300 e 4.500 rpm. Embora menos potente se comparado ao Audi RS3 Sportback (400 cv) e ao Mercedes-AMG A45 (381 cv), o torque do M140i é superior ao dos rivais, que têm 48,9 e 48,4 kgfm, respectivamente. Não só isso. A mística do BMW está no jeito de ele transmitir esse poderio. E existe algo melhor do que guiar um carro com motor dianteiro e tração traseira? Os modos de condução Eco Pro, Comfort, Sport e Sport+ alteram alguns parâmetros, como as respostas do motor/câmbio, direção e suspensões.

Dirigindo-o no Eco Pro aparece um comportamento calmo, focado na eficiência e no baixo consumo. As oito marchas do câmbio automático são passadas brevemente e, dependendo da situação, ao tirar o pé do acelerador, a 40 km/h já é engatado o ponto motor eletrônico, permitindo cravar médias de mais de 8 km/l na cidade ou de ótimos 15,6 km/l na estrada (durante nossa avaliação). O start-stop desliga o motor em breves paradas e a regeneração de energia de frenagem transforma a energia cinética em elétrica, ajudando a recarregar a bateria e a diminuir o esforço do motor nessa tarefa. Apesar de “amansado” no Eco Pro, nem por isso o M140i deixa de transmitir um comportamento divertido e o ronco agudo dos seis cilindros da BMW.

O bicho pega para valer no programa Sport+. Aqui, amigo leitor, espere por respostas ágeis cooperadas pela rapidez da caixa automática nas trocas/reduções. E o temperamento intempestivo junto da eletrônica mais permissiva deixa-o muito instigante. Ao afundar o pé no pedal do acelerador, ele arranca igual a um foguete, além de as derrapagens controladas serem realizadas com muito controle, graças à caixa de direção extremamente precisa. Nos modos Eco Pro e no Comfort, fica leve ao esterço, enquanto no Sport fica mais firme – e um tanto mais pesada no Sport+.

As suspensões copiam com maestria o piso e são 10 mm mais baixas em relação às do Série 1 “normal”. No entanto, não incomodam no uso diário — os amortecedores eletrônicos mudam de rigidez de acrodo com o modo de condução escolhido (como no M240i). Durante o BMW M Power Tour de 2017 pudemos dirigi-lo em Interlagos, sob muita chuva, e o M140i fez rápidas mudanças de trajetória com equilíbrio, também graças ao entre-eixos curto. O M140i pode não ser um legítimo M, como o M2 Coupé (R$ 404.950), mas emociona. Uma pena que a próxima geração passará a ser feita na plataforma dos Mini e aí… bye-bye tração traseira. Enquanto não acontece, o BMW M140i custa menos que o Mercedes-AMG A45 (R$ 324.900) e o Audi RS3 Sportback (R$ 329.990).


Ficha técnica:

BMW M140i

Preço básico: R$ 294.950
Carro avaliado: R$ 294.950
Motor: 6 cilindros em linha 3.0, 24V, injeção direta, biturbo, start-stop, ponto morto eletrônico
Cilindrada: 2998 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 340 cv a 5.500 rpm
Torque: 51 kgfm de 1.520 a 4.500 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Direção: eletro-hidráulica
Suspensões: McPherson (d) e multi-link (t)
Freios: disco ventilado (d/t)
Tração: traseira
Dimensões: 4,324 m (c), 1,765 m (l), 1,411 m (a)
Entre-eixos: 2,690 m
Pneus: 255/40 R18 (d) e 245/35 R18 (t)
Porta-malas: 360 litros
Tanque: 52 litros
Peso: 1.575 kg
0-100 km/h: 4s6
Velocidade máxima: 250 km/h
Consumo cidade: 9,4 km/l
Consumo estrada: 12 km/l
Emissão de CO²: 131 g/km
Nota do Inmetro: E
Classificação na categoria: C (Médio)