Avaliação: Chevrolet Onix dá passo à frente na linha 2017


O Onix é um carro honesto. Nunca se propôs a ser o melhor na parte técnica nem sequer o mais econômico. Mas seu posicionamento é tão bom que precisou de apenas duas temporadas para ser o líder da categoria Hatch Pequeno. E desde o ano passado é o carro mais vendido do Brasil. O sucesso do Chevrolet Onix é resultado de um bom espaço interno, boa dirigibilidade, design agradável, pioneirismo na conectividade e preços competitivos nas versões 1.0 e 1.4. Lançado em outubro de 2012 como o primeiro carro da General Motors do Brasil a sair com a tecnologia MyLink, o Onix já teve mais de 500.000 unidades produzidas em Gravataí (RS).

Há quatro anos, havia 30 milhões de dispositivos móveis no Brasil. Hoje são mais de 300 milhões. Segundo a GM, o MyLink é o item mais importante para 30% dos usuários do Onix. Por isso, a GM deu um passo à frente. Acaba de reestilizar o Onix, com leves mudanças no visual, melhorias no motor 1.4, um upgrade no MyLink e introdução do sistema On Star (assistente pessoal ao condutor em tempo real). Já à venda, o Onix 2017 tem a grade dupla mais alongada, com novos faróis integrados, e o capô mais inclinado, com três vincos aerodinâmicos. Nas laterais, a musculatura da carroceria ficou mais saliente sobre as caixas de rodas.

Atrás, um novo para-choque e lanternas menores. Na dianteira e na traseira, assinaturas em LED, para ficar na moda. Duas novas cores estreiam: o preto ouro negro e o vermelho carmin. As rodas também são novas e marcantes, com fundo cinza. Internamente, o Onix 1.4 ganhou uma tela multimídia maior, painel redesenhado e portas com apoio de braço e puxador reposicionados, além de bancos com acabamento premium. O motor 1.4 flex SPE/4 continua com os mesmos 98/106 cv, mas melhorou a eficiência. Ele recebeu um conjunto de bielas e pistões 5% mais leves, passou a usar óleo OW20 de baixa viscosidade e seu novo módulo eletrônico tem um processador 40% mais rápido. O câmbio é de seis marchas (manual ou automático).

A transmissão automática vem com a função Active Select (um botão lateral na alavanca para trocar de marchas, bem chato de usar). A assistência da direção passou a ser elétrica, com um sistema que atenua vibrações. O Onix teve 102 peças retrabalhadas na carroceria e seu peso foi reduzido em 32 kg. Sempre com foco na economia de combustível, o carro passou a usar novos pneus “verdes”, com 23% menos resistência à rolagem e sistema de monitoramento da pressão. Outra mudança foi o rebaixamento do carro em 10 mm, para melhorar a aerodinâmica, e a troca da barra estabilizadora.

Os freios ganharam rolamentos de terceira geração e atuam com menos componentes (segundo a GM, ficou mais fácil de montar). As mudanças não visuais do Onix também passam pela bateria (passou a ter monitoramento contínuo para puxar do motor somente a energia necessária) e pelo módulo de arrefecimento (com mais escalas no funcionamento da ventoinha e menor uso de líquido). O trabalho foi completado com uma cobertura inferior para o motor e um defletor para o eixo traseiro, melhorando a aerodinâmica do Chevrolet em 5% (o que não é pouco num facelift).

Com tudo isso, o Onix 1.4 AT6, que dirigimos na pista mista da GM em Indaiatuba (SP), é capaz de fazer 13,9 km/l na estrada e 11,7 na cidade, ambos com gasolina. Antes, fazia apenas 12,2 e 9,9 km/l, respectivamente. O nível de emissões de CO2 dessa versão caiu de 125 para 105 g/km (e para 98 g/km na versão manual). Assim, o carro passou da nota C para B no ranking geral do Inmetro. Dentro da categoria Compacto, saiu de uma incômoda nota D para a nota A. O melhor de tudo é que essa economia não prejudicou o desempenho.

A versão LTZ agora tem câmera de ré e a LT vem com sensor de estacionamento traseiro. A tela multimídia de 7” tem ícones grandes e um botão giratório. O bom sistema MyLink do Onix 2017 conecta com Android Auto e Apple CarPplay, além de permitir navegação pelo app Google Maps. Com essas modificações, o Chevrolet Onix deve se manter competitivo para defender a liderança do mercado contra seu principal rival, o Hyundai HB20.

—–

Ficha técnica:

Chevrolet Onix 1.4 LTZ AT6

Preço básico: R$ 49.590
Carro avaliado: R$ 59.790
Motor: 4 cilindros em linha 1.4, 8V
Cilindrada: 1389 cm3
Combustível: flex
Potência: 98 cv a 6.000 rpm (g) e 106 cv a 6.000 rpm (e)
Torque: 13,0 kgfm a 4.800 rpm (g) e 13,9 kgfm a 4.800 rpm (e)
Câmbio: automático, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3,933m (c), 1,705 m (l), 1,476 m (a)
Entre-eixos: 2,528 m
Pneus: 185/65 R15
Porta-malas: 280 litros
Tanque: 54 litros
Peso: 1.074 kg
0-100 km/h: 11s0 (g) e 10s5 (e)
Velocidade máxima: 180 km/h (g/e)
Consumo cidade: 11,7 km/l (g) e 7,9 km/l (e)
Consumo estrada: 13,9 km/l (g) e 9,6 km/l (e))
Consumo nota: B
Emissão de CO2: 105 g/km (com etanol = 0 g/km)
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (Compacto)