Avaliação: Chevrolet Onix RS, parece esportivo, mas não é (e faz 15 km/l)

O Chevrolet Onix RS tem uma estética bacana sem abrir mão da usabilidade no cotidiano e do baixo consumo, entre outras qualidades: é mais um "esportivado"

0
291
Vendas de carros: Onix da Chevrolet foi o modelo mais vendido em janeiro
Chevrolet Onix RS

O Chevrolet Onix RS estreou junto com o sedã Onix Plus Midnight (iniciais R$ 81.890). O hatch “esportivado” chegou às concessionárias a partir de R$ 75.790 ou R$ 77.390 igual ao carros das fotos na cor metálica vermelho Carmim.

O valor é similar ao do Hyundai HB20 Sport 1.0 turbo (parte de R$ 73.990) e do Renault Sandero GT Line 1.6 com câmbio continuamente variável (R$ 81.090) — seus principais concorrentes, que também apostam em esportividade apenas no visual (uma fórmula de sucesso).

A sigla RS (de Rally Sport) apareceu na primeira geração do icônico Camaro (feita de 1967 a 1969) e sempre esteve associada as mudanças estéticas. Atualmente, nos Estados Unidos, ela estampa os modelos Blazer, Malibu, Trailblazer e Traverse, por exemplo.

O Chevrolet Onix RS segue a receita das antigas versões Effect e SS exibindo kit de carroceria, faróis com máscara negra, aerofólio sobre a tampa do porta-malas e a tonalidade preta aplicada nas capas dos retrovisores/rodas de liga leve de 16”/teto/gravatinha da Chevrolet, além dos logotipos alusivos à versão.

O resultado ficou bacana, e é completado por um interior com os bancos revestidos parcialmente em couro e acabamentos na cor vermelha nas saídas de ar/costuras do volante, dos bancos e dos tapetes de carpete.

A boa ergonomia é garantida pelos ajustes amplos da coluna de direção, enquanto o sistema multimídia com Android Auto/Apple CarPlay passou a oferecer tela de 8” – uma novidade da linha 2021 da gama Onix/Onix Plus.

Apesar disso, o Chevrolet Onix RS não oferece o sistema de Wi-Fi nativo tampouco o carregador de smartphone por indução e o prático serviço de concierge OnStar.

Posicionado entre as configurações LTZ Turbo (de iniciais R$ 68.990) e Premier Turbo (parte de R$ 78.890), entre os itens de série, o Chevrolet Onix RS traz alarme, quadro de instrumentos com tela TFT de 3,5”, isofix para fixação de bancos infantis, luz de condução diurna em LED e sensores de estacionamento traseiros.

+ Estes são os melhores e piores seminovos para comprar e vender
+ Desbloqueio de CNH suspensa será automático; como pedir
+ Flagra exclusivo: veja fotos do novo Jeep de sete lugares
+ Operação de fim de ano começa hoje em rodovias; o que muda

Pegada ‘esportivada’

Seria legal ter o motor tricilíndrico 1.2 turbinado do SUV Tracker, mas o Chevrolet Onix RS vem com o mesmo 1.0 turbo de três cilindros dos demais Onix turbinados.

A escolha pelo três cilindros foi acertada e de acordo com a proposta, garantindo boas respostas a partir dos baixos giros e ainda retomadas eficientes. A típica vibração deste tipo de propulsor se faz presente na marcha lenta, porém, nada que tire o brilho.

A transmissão do Chevrolet Onix RS é automática, mas é possível mudar sequencialmente as seis marchas, colocando a alavanca na posição “L” — mas por um nada prático botão na lateral. Não há borboletas atrás do volante.

A adoção da transmissão automática ainda cooperou no bem-estar do motorista nos congestionamentos. Além disso, a direção assistida eletricamente é leve ao esterço e as suspensões são macias (e a frente não enrosca com facilidade em lombadas ou valetas por conta do vão livre de 128 mm).

Os pneus Continental Power Contact 2 de perfil 55 também cooperam na tarefa de filtrar/absorver as irregularidades do asfalto e rodam “quietinhos” em ruas mal pavimentadas. Os freios são a discos à frente e tambor atrás. Bem calibrados para os até 116 cv de potência e 16,8 kgfm de torque (etanol) do compacto, eles permitem frenagens eficientes e ainda o pedal possui um acionamento progressivo.

Ainda falando do quesito segurança, o Chevrolet Onix RS oferece seis airbags (frontais, laterais e de cortina), controles de tração/estabilidade e assistente de frenagem de urgência.

Chevrolet Onix RS
Foto: Roberto Assunção

O Onix RS é uma boa compra, mas lembre-se: é apenas um “esportivado”, e não um hot hatch como Volkswagen Polo GTS e Renault Sandero R.S. É uma opção de carro que chama a atenção dos demais motoristas/pedestres, e, ao mesmo tempo, proporcionar uma usabilidade diária livre de qualquer dor de cabeça ou incômodos — e fazendo mais de 15,1 km/l na estrada com gasolina e 11,9 na cidade; ambos dados oficiais do PBEV/Inmetro (ma prática, fizemos até mais). Mas não espere muita emoção ao volante.

FICHA TÉCNICA

Chevrolet Onix RS
Preço básico: R$ 75.790
Carro avaliado: R$ 77.390

CHEVROLET ONIX RS
Motor: três cilindros em linha 1.0, 12V, turbo, duplo comando de válvulas, injeção indireta
Cilindrada: 999 cm³
Combustível: flex
Potência: 116 cv a 5.500 rpm (g/e)
Torque: 16,3 kgfm (g) e 16,8 kgfm a 2.000 rpm (e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: discos ventilados (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,163 m (c), 1,730 m (l), 1,476 m (a)
Entre-eixos: 2,551 m
Pneus: 195/55 R16
Porta-malas: 275 litros
Tanque: 44 litros
Peso: 1.085 kg
0-100 km/h: 10s1
Velocidade máxima: 187 km/h
Consumo cidade: 11,9 km/l (g) e 8,3 km/l (e)
Consumo estrada: 15,1 km/l (g) e 10,7 kml (e)
Emissão de CO2: 101 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: B (médio)

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel