Avaliação: Chevrolet Prisma 2019 (ainda) é um sedã honesto e cumpridor

    Topo de linha, o Chevrolet Prisma LTZ AT é um sedã confortável e bem equipado. Mas incomoda pelo preço alto com câmbio automático

    20829

    Embora seja algo inconcebível para qualquer um que se considere um entusiasta, nem todos os seres humanos se interessam por automóveis. Alguns só precisam de um meio de transporte confiável e confortável para o dia-a-dia e para viajar com a família. O Chevrolet Prisma é um daqueles modelos que não exigem de você um grande conhecimento sobre carros para agradar. Talvez isso ajude a explicar o sucesso do sedã mais vendido do Brasil.

    O Prisma é direto e reto. Não é necessário recorrer a chavões como “o melhor você não vê” para descrever o sedã compacto. Em sua versão de topo LTZ AT, o Chevrolet Prisma já deixa evidente os seus predicados: os bancos de couro são confortáveis e a lista de equipamento inclui itens de segurança como o isofix e os cintos de três pontos para todos os passageiros. Já o sistema multimídia MyLink é bem fácil de usar e ainda espelha a tela dos smartphones Android e Apple. Sem contar que o modelo é o único do segmento a contar com um assistente pessoal, o OnStar da General Motors, que é gratuito por seis meses a partir da compra do carro.

    Na convivência diária, as qualidades do Prisma ficam ainda mais claras. O espaço fica dentro da média dos compactos: leva duas crianças com folga, mas três adultos viajam um tanto apertados. Mas o porta-malas de 500 litros é um dos pontos fortes do Prisma, permitindo carregar com folga aquela compra do mês no supermercado sem precisar colocar nada no banco traseiro.

    O câmbio automático de seis marchas agrada pelo funcionamento suave, sem trancos. Mas não faria mal ao modelo ter um motor mais forte, já que é o 1.4 atual, um dos menos potentes dentre os sedãs compacto na mesma faixa de preço. É econômico, porém exige mais trocas de marcha no uso rodoviário para manter o embalo.

    O grande problema desse Prisma LTZ com câmbio automático é o preço: R$ 72.180, já com a pintura metálica. Por um pouco menos (R$ 71.600), é possível levar um Ford Ka Sedan Titanium (com o bem mais potente motor 3 cilindros 1.5 de 137 cv). Por um pouco mais (R$ 72.701), o comprador leva um VW Virtus 1.6 MSI completo, que tem uma cabine mais ampla, airbags laterais e controles eletrônicos de tração e estabilidade.


    Ficha técnica:

    Chevrolet Prisma LTZ AT

    Preço básico (1.6): R$ 60.590
    Carro avaliado: R$ 72.180
    Motor: 4 cilindros em linha 1.4, 8V
    Cilindrada: 1389 cm³
    Combustível: flex
    Potência: 98 cv a 6.000 rpm (g) e 106 cv a 6.000 rpm (e)
    Torque: 13 kgfm a 4.800 rpm (g) e 13,9 kgfm a 4.800 (e)
    Câmbio: automático, seis marchas
    Direção: elétrica
    Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
    Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
    Tração: dianteira
    Dimensões: 4,282 m (c), 1,705 m (l), 1,478 m (a)
    Entre-eixos: 2,528 m
    Pneus: 185/65 R15
    Porta-malas: 500 litros
    Tanque: 54 litros
    Peso: 1.054 kg
    0-100 km/h: 12s9 (g) e 12s2 (e)
    Vel. máxima: 180 km/h (e)
    Consumo cidade: 11,9 km/l (g) e 8,1 km/l (e)
    Consumo estrada: 14,7 km/l (g) e 10,2 km/l (e)
    Emissão de CO²: 102 g/km
    Nota do Inmetro: B
    Classificação na categoria: B (Médio)

    NOSSO VEREDICTO
    Motor
    Câmbio
    Desempenho
    Consumo
    Segurança
    Equipamentos
    Multimídia
    Conforto
    Porta-malas
    Prazer ao dirigir
    COMPARTILHAR
    Notícia anteriorSUV T-Cross aparece em novo vídeo da VW
    Próxima notíciaMercedes-Benz C 36 AMG: o primeiro AMG para as ruas
    blog comments powered by Disqus