Avaliação: Chevrolet S10 Midnight é uma picape para atrair olhares

A Chevrolet S10 entra na onda das picapes esportivadas com a série especial Midnight, que se destaca no trânsito com o visual na cor preta

66227

Lançada em 2012 e reestilizada em 2016, a atual geração da Chevrolet S10 está longe de ser uma novidade no mercado brasileiro. Então, só pode ser o estilo chamativo desta série especial Midnight – que aposta justamente no visual externo diferenciado – que explica a quantidade de olhares que recebi enquanto circulava com a picape média. Com preço de R$ 166.690, a S10 Midnight pega a receita dos concorrentes Ford Ranger Sportrac e Toyota Hilux SR Challenge e oferece como principal diferencial o toque esportivado, que no caso da S10 está na carroceria pintada no tom metálico ouro negro e nos detalhes de acabamento na cor preta (nem o dourado do logo escapou). No interior, as mudanças são mais tímidas e incluem revestimento do teto, colunas e bancos em tecido escuro e os detalhes em preto brilhante no painel.

Posicionada entre as versões LT e LTZ, a S10 Midnight traz direção elétrica, piloto automático, ar-condicionado, sensor de estacionamento traseiro, vidros e travas elétricas e o sistema multimídia MyLink com tela de 7” compatível com Android Auto e Apple CarPlay. Para justificar os mais de R$ 9 mil adicionais em relação à S10 LT, a série especial soma itens vindos das configurações mais caras LTZ (controles eletrônicos de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, rodas de 18 polegadas e faróis com luzes de LED) e High Country (santantônio, capota marítima e estribos laterais). Ficam de fora equipamentos como os alertas de colisão frontal e mudança de faixa, o sistema de partida remota e o MyLink com tela de 8”.

A S10 Midnight está disponível só com o motor 2.8 turbodiesel de 200 cv, que a coloca em vantagem frente à Hilux (2.8 de 177 cv) e à Ranger (2.2 de 160 cv). A única opção de câmbio é o automático de seis marchas, sempre combinado ao sistema de tração 4×4. Sem mudanças na mecânica, a picape segue oferecendo as mesmas qualidades dinâmicas do restante da linha, com destaque para a baixa vibração em marcha lenta, o bom fôlego do motor a diesel e o sistema de suspensão bem calibrado, que evita grandes oscilações da carroceria mesmo com a caçamba vazia. Afinal, a versão esportivada da Chevrolet mostra que é possível chamar a atenção, mas sem mudar a sua essência.


Ficha técnica:

Chevrolet S10 Midnight

Motor: 4 cilindros em linha 2.8, 16V
Cilindrada: 2776 cm³
Combustível: diesel
Potência: 200 cv a 3.600 rpm
Torque: 51 kgfm de 2.000 a 4.500 rpm
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo rígido com feixe de molas (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: 4×2 ou 4×4, com reduzida e bloqueio eletrônico do diferencial
Dimensões: 5,408 m (c), 1,874 m (l), 1,839 m (a)
Entre-eixos: 3,096 m
Pneus: 265/60 R18
Caçamba: 1.061 litros/1.049 kg
Tanque: 76 litros
Peso: 2.101 kg
0-100 km/h: 10s3
Velocidade máxima: 180 km/h
Consumo cidade: 8 km/l
Consumo estrada: 9,2 km/l
Emissão de CO²: 240 g/km
Nota do Inmetro: E
Classificação na categoria: E (Picape)

blog comments powered by Disqus