Avaliação: Chevrolet Tracker Premier 1.0 turbo 2022 combina consumo contido e bom desempenho

O Chevrolet Tracker Premier 1.0 turbo pode ser mais comedido frente ao “irmão” 1.2, porém, entrega uma dirigibilidade bacana e um bom pacote de equipamentos

0
2152
Chevrolet Tracker Premier 1.0 Turbo
Foto: Roberto Assunção

Anos atrás, motor 1.0 era uma opção com gasto de combustível contido ao invés de desempenho. Em 2003, a Ford até tentou apimentar a condução ao instalar uma unidade “mil” sobrealimentada com Supercharger no EcoSport e na família Fiesta, à época com 95 cv de potência. Contudo, veio o downsizing – conceito de aumentar a eficiência energética, reduzindo o consumo e as emissões de poluentes – e tudo melhorou!

+ Elétrico Chevrolet Bolt vira viatura policial no ES
+ Chevrolet Onix e Hyundai HB20 lideram lista dos carros mais roubados em SP
+ Veja qual é o significado dos códigos de erro nos painéis dos Chevrolet
+ Toro da Chevrolet? GM confirma produção de nova picape no Brasil

Atualmente, os propulsores 1.0 turbo estão presentes em nosso mercado de compactos a utilitários esportivos proporcionando bom torque a partir de baixas rotações e também um baixo consumo. E este Chevrolet Tracker Premier 1.0 é um exemplo de SUV agradável de conduzir.

Ofertado por iniciais R$ 122.730, o “Chevy” tem preço mais conta que do Volkswagen T-Cross Comfortline 200 TSI (parte de R$ 127.390) ou do Jeep Renegade Longitude 1.8 16V (R$ 123.983). Entre os itens de série, o Chevrolet Tracker Premier 1.0 Turbo oferta seis airbags (frontais, laterais e de cortina), alertas de colisão frontal/de pontos cegos, controles eletrônicos de tração/estabilidade, frenagem de emergência em baixa velocidade, indicador de distância do veículo da frente e isofix para fixação de bancos infantis.



A lista de equipamentos ainda inclui rodas de liga leve de 17”, ar-condicionado digital, assistente de partida em aclives, coluna de direção amplamente regulável em distância/profundidade, quadro de instrumentos com tela TFT de 3,5” colorida, sensores de chuva e de estacionamento dianteiro/traseiro/laterais. O quesito conectividade é outro atributo e o multimídia MyLink de 8”, agora na linha 2022 passou a oferecer a conexão Android Auto/Apple Car Play sem fio. Ou seja, junto com o carregador de smartphone por indução, dependendo do aparelho, o futuro proprietário poderá utilizar todas as funcionalidades sem a necessidade de cabos.

O acabamento emprega plásticos de boa qualidade e os bancos confortáveis são revestidos em couro nas tonalidades preto “Jet Black” e azul “Captain Blue”. Outras comodidades aparecem no serviço de concierge OnStar e no Wi-Fi “nativo”. Este último, cobrado à parte após um período de gratuidade de três meses ou 3 Gb (o que vencer primeiro) em planos mensais a partir de R$ 29,90. O teto solar elétrico ficou reservado ao Chevrolet Tracker Premier 1.2.

A posição de dirigir é alta ao estilo dos compradores de utilitários esportivos e feito sobre a plataforma GEM (sigla para Global Emerging Market), já aplicada no Onix e Onix Plus, quem viaja atrás encontra espaço para as pernas/joelhos por conta dos 2,570 m – mesma medida do Jeep Renegade (no Volkswagen T-Cross são 2,651 m) – e ainda duas entradas USB para efetuar o carregamento de gadgets. Já o volume do porta-malas é de 393 litros e maior ao dos SUVs da Jeep (320) e da Volkswagen (373), para comparar. Sob o assoalho do compartimento de cargas do Chevrolet Tracker estão disponíveis 36 litros extras.

Desempenho adequado

Com relação peso-potência de 10,95 kg/cv (de 9,55 kg/cv no Chevrolet Tracker Premier 1.2), o comportamento do motor de três cilindros 1.0 da família CSS Prime é auxiliado pelo trabalho da transmissão automática de seis marchas, que não titubeia nas mudanças ou nas reduções. Um casamento de acordo à proposta permitindo ao SUV andar com desenvoltura quanto garantir ultrapassagens seguras na estrada. Embora não transmita a pegada do “irmão” Chevrolet Tracker Premier 1.2 até 133 cv e 21,4 kgfm, quando abastecido com etanol.

A dirigibilidade ainda é ajudada pela caixa de direção assistida eletricamente leve e direta ao esterço em baixas velocidades e com o peso correto ao conduzir mais apressadamente. Quem desejar um toque a mais de esportividade pode realizar trocas sequenciais pelo nada prático botão na lateral da alavanca apenas na posição L (Low). As borboletas atrás volante seriam uma “mão na roda”.

Chevrolet Tracker Premier 1.0 Turbo
Trocas manuais são realizadas pelo botão na lateral da alavanca na posição L (Foto: Roberto Assunção)

Durante a nossa avaliação, foi possível registrar pelo computador de bordo um consumo de 11 km/l na cidade rodando com gasolina no tanque. Um dos responsáveis pela média nos trajetos urbanos é o sistema start-stop, que desliga o motor momentaneamente durante breves paradas, como nos semáforos, e atua de forma suave ao desligar ou ao religar o motor 1.0 turbinado. Aliás, o sistema de injeção do Chevrolet Tracker é indireta ao contrário de direta permitindo um menor custa de produção do modelo e ainda gerando um gasto menor na hora das futuras manutenções.

As suspensões são macias e junto dos pneus de perfil 55 garantem o conforto dos até cinco ocupantes, enquanto os freios empregam discos ventilados no eixo dianteiro e tambor atrás. O isolamento acústico merece elogios, porém, de acordo com o piso é possível escutar o trabalho do conjunto. Oferecendo ângulo de ataque de 17º, de saída (28º) e uma altura livre do solo de 16,1 cm, o Chevrolet Tracker Premier 1.0 dificilmente raspa ao transpor valetas, lombadas ou demais obstáculos do asfalto.

Chevrolet Tracker Premier 1.0 Turbo
O SUV da Chevrolet emprega pneus da Goodyear com perfil 55 (Foto: Roberto Assunção)

O Chevrolet Tracker Premier 1.0 turbinado é uma alternativa para quem não deseja desembolsar R$ 8.560 a mais pela versão 1.2. No entanto, vale experimentar ambos para fazer uma compra segura. Caso a sua escolha seja pela variante 1.0, você terá na garagem um utilitário esportivo capaz de entregar uma dirigibilidade condizente à propostas e ainda recheado com um pacote de equipamentos bacana.


Ficha Técnica
CHEVROLET TRACKER PREMIER 1.0
Preço básico: R$ 122.730
Carro avaliado: R$ 123.580 (R$ 850 pela cor branco Summit)

Chevrolet Tracker Premier 1.0
Motor: três cilindros em linha 1.0, 12V, duplo comando variável, turbo, start-stop
Cilindrada: 999 cm3
Combustível: flex
Potência: 116 cv (g/e) a 5.500 rpm
Torque: 16,3 kgfm (g) e 16,8 kgfm (e) a 2.000 rpm
Câmbio: automático, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,270 m (c), 1,791 m (l), 1,626 m (a)
Entre-eixos: 2,570 m
Pneus: 215/55 R17
Porta-malas: 393 litros (+36 litros sob o assoalho) e 1.294 litros após o rebatimento da segunda fileira
Tanque: 44 litros
Peso: 1.248 kg
0-100 km/h: 11s7
Velocidade máxima: 177 km/h (e)
Consumo cidade: 11,9 km/l (g) e 8,2 km/l (e)*
Consumo estrada: 13,7 km/l (g) e 9,6 km/l (e)*
Emissão de CO2: 104 g/km*
Com etanol = 0 g/km
Consumo nota: B*
Nota do Inmetro: B*
Classificação na categoria: B (SUV Compacto)*
*dados para referência da versão Chevrolet Tracker LT 1.0.

Mais na Motor Show

+ Bugatti lança linha de smartwatches com preços “populares”
+ Kia divulga primeiras imagens do novo Sportage
+ Hyundai movido a cocô é mostrado na Austrália; saiba mais
+ Volvo abre e-commerce no Brasil com descontos para donos de carros híbridos
+ Novo BMW M440i Coupé estreia no mercado brasileiro
+ Avaliação: Caoa Chery Tiggo 3X Turbo reúne visual e dirigibilidade