Avaliação: Chevrolet Tracker Premier é opção para quem busca desempenho

O Chevrolet Tracker Premier não está entre os mais vendidos, porém deve ser considerado por quem esteja interessado em um SUV compacto

42855
Divulgação

Costumo dizer que o segredo para uma boa compra é avaliar todos os produtos que o mercado tem a oferecer, já que nem sempre os SUVs bons de venda ou os hatches manjados dos seus vizinhos são as melhores opções para as suas necessidades. E depois de conviver mais de duas semanas com o Chevrolet Tracker Premier, estou certo de que ele poderia conquistar a minha vaga no estacionamento do prédio. O Tracker não é o carro mais vendido do seu segmento (o modelo fechou o ano passado com 12.136 unidades comercializadas e na 11ª posição no ranking de SUVs da Fenabrave). Também não é o maior e nem o mais potente. Mas, mesmo assim, consegue atender a todos esses requisitos com competência.

No porta-malas, com 306 litros de capacidade, o Tracker ganha apenas do Jeep Renegade. Mas carregou as minhas compras do mês (e os extras das festas de final de ano) sem precisar botar nada sobre o banco traseiro. Dificilmente um casal sem filhos vai precisar de mais espaço. Na cabine, não faltou conforto para levar quatro adultos, graças à boa altura da carroceria e ao espaço para as pernas dos passageiros.

Com tempo de sobra para rodar, pude me divertir bastante com o desempenho do Tracker. A suspensão é firme e garante boa estabilidade em curvas, ao mesmo tempo em que não incomoda em pisos irregulares. Já o motor 1.4 turbo de 150/153 cv (gasolina/etanol) e o câmbio automático de seis marchas (os mesmos do Chevrolet Cruze) garantem um desempenho empolgante para um SUV compacto. E tudo isso com um consumo de combustível que é mais baixo do que o de alguns concorrentes diretos.

Com preço de tabela de R$ 101.990, o carro avaliado traz o pacote de opcionais 1SF (R$ 3.200), que adiciona alertas de colisão frontal e de saída de faixa e os airbags laterais e de cortina. Mesmo assim, o Tracker Premier sem opcionais é bem equipado, com controles eletrônicos de tração e estabilidade, sistema multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, o serviço de concierge OnStar, luzes diurnas de LED, bancos de couro com ajuste lombar elétrico, além de abertura das portas e partida por chave presencial. No final das contas, apesar de não ser tão visto e falado, o Tracker é uma compra que deve ser considerada por qualquer comprador em potencial de SUVs compactos. Basta estar aberto a fugir das escolhas óbvias…


Ficha técnica:

Chevrolet Tracker Premier

Preço básico: R$ 87.590
Carro avaliado: R$ 101.990
Motor: 4 cilindros em linha 1.4, 16V, turbo, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 1399 cm3
Combustível: flex
Potência: 150 cv a 5.600 rpm (g) e 153 cv a 5.200 rpm (e)
Torque: 24 kgfm a 2.100 rpm (g) e 24,5 kgfm a 2.000 (e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: Mac-Pherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,258 m (c), 1,776 m (l), 1,678 m (a)
Entre-eixos: 2,555 m
Pneus: 215/55 R18
Porta-malas: 306 litros
Tanque: 53 litros
Peso: 1.413 kg
0-100 km/h: 9s4 (e)
Velocidade máxima: n/d
Consumo cidade: 10,6 km/l (g) e 7,3 km/l (e)
Consumo estrada: 11,7 km/l (g) e 8,2 km/l (e)
Emissão de CO2: 121 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)


Contraponto

Por Rafael Poci Déa

Concordo com as opiniões do Evandro sobre as qualidade do Tracker. Afinal, ele oferece prazer ao dirigir e uma dinâmica bem acertada. Entretanto, sem desmerecê-lo, continuo sentindo uma falta de personalidade no SUV da Chevrolet. O visual atualizado em 2016 me agrada, porém nesse quesito acho o Jeep Renegade imbatível, com todos aqueles detalhes remetendo aos modelos clássicos. Questão de gosto! Apesar de o Evandro não reclamar do porta-malas, confesso que sofri um pouco mais para acomodar minhas bagagens e tralhas durante uma viagem ao interior de São Paulo. Aliás, tive essa mesma experiência negativa a bordo de um Renegade. E o que me levaria a comprar o Tracker? Sem dúvidas, o seu conjunto da obra. Mas o meu “queridinho” Renegade, na bacana versão Night Eagle, custa R$ 97.990, ou seja, mais barato que os mais de R$ 100.000 cobrados por esta versão Premier com opcionais. Mas, por não ser casado nem ter filhos, a maior parte do tempo ando sozinho. Portanto, até abriria mão da tão apreciada personalidade do Renegade para desfilar por aí de motorzão turbinado!

COMPRE SE…
? Você valoriza um carro com bom desempenho, mas não precisa de muito espaço para as bagagens.
? Faz questão de um modelo bem equipado e com um bom pacote de equipamentos de segurança.

NÃO COMPRE SE…
? Tem família numerosa e precisa de bastante espaço no bagageiro. Com 306 litros, o porta-malas é similar ao de um hatch compacto.
? Vai enfrentar trilhas pesadas. Os largos pneus de uso urbano permitem o uso apenas em estradas sem pavimentação, mas boas.

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES