Avaliação: Chevrolet Trailblazer proporciona viagem ao passado

Linha 2019 do Trailblazer traz mais itens de conveniência, conforto e segurança com motor a diesel e tração 4x4 para sete pessoas

0
10894

Carroceria sobre chassi. Quem ainda gosta disso em um SUV? Considerando as vendas dos únicos três carros que mantêm essa característica de construção no Brasil, menos de 4% dos 275 mil compradores de SUVs (de janeiro a julho) gostam. Esses três carros são o Chevrolet Trailblazer, o Toyota SW4 e algumas versões do Mitsubishi Pajero (da terceira geração). Agora em sua linha 2019, o Trailblazer chegou ao seu máximo. A versão CTDi, que usa um motor 2.8 turbodiesel de 200 cavalos, ganhou a tecnologia CPA, que ajuda a reduzir os níveis de ruído e vibração. Como todo SUV “raiz”, que usa carroceria sobre chassi ao invés de monobloco, o carro tem a dirigibilidade de uma picape média. Acrescentando o ruído do motor a diesel, dirigir esse carro parece uma viagem ao passado.

Para quem aprecia essas características, o Trailblazer está mais bonito do que nunca, superequipado e muito bem acabado. As rodas elegantes ajudam a rejuvenescer o projeto. O interior tem bancos de couro com comandos elétricos e acabamento “soft” na região do porta-luvas (o restante mantém plástico duro). A multimídia é muito boa, inclusive com Android Auto/Apple CarPlay, e o volante é agradável e multifuncional. Cheio de tecnologia, o Trailblazer CTDi traz controle de tração/estabilidade, alerta de colisão frontal e até um novo gerenciamento no motor, que o deixou mais econômico (entretanto, sua nota de consumo é um pobre D e a emissão de CO2 chega a 218 g/km). Tudo isso com um bom câmbio automático de seis marchas e tração 4×2, com seletor para 4×4 e 4×4 reduzida.


Ser um SUV “raiz” tem seus preços. O maior deles é o excesso de movimento da carroceria, o que prejudica o conforto no uso urbano. As portas são pesadas e o diâmetro de giro é grande, obrigando a constantes manobras em estacionamentos de shopping centers. O Trailblazer também é muito largo e difícil de estacionar, apesar da câmera de ré. Em compensação, o porta-malas é gigante e existe a opção de levar sete pessoas. Na versão a diesel, o Chevrolet Trailblazer é muito mais em conta do que seu rival da Toyota. Seu preço de R$ 216.690 chega a ser uma pechincha perto dos R$ 256.990 do SW4 de sete lugares, mas caro perante os R$ 194.990 do Pajero HPE.


Ficha técnica:

Chevrolet Trailblazer LTZ 2.8 CTDi Turbo

Preço básico: R$ 181.990
Carro avaliado: R$ 216.690
Motor: 4 cilindros em linha 2.8, 16V, turbo
Cilindrada: 2776 cm³
Combustível: diesel
Potência: 200 cv a 3.600 rpm
Torque: 51,0 kgfm a 2.000 rpm
Câmbio: automático, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: independente (d) e multilink (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: integral (com seletor 4×2, 4×4 e 4×4 reduzida)
Dimensões: 4,887 m (c), 1,902 m (l), 1,844 m (a)
Entre-eixos: 2,845 m
Pneus: 265/60 R18
Porta-malas: 554 litros (205 litros com 7 lugares e 1.043 litros com os bancos rebatidos
Tanque: 76 litros
Peso: 2.161 kg
0-100 km/h: 10s4
Velocidade máxima: 180 km/h
Consumo cidade: 8,4 km/l (d)
Consumo estrada: 10,5 km/l (d)
Emissão de CO²: 218 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: D (Utilitário Esportivo Grande)