Avaliação: Citroën C3 Urban Trail é um cowboy do asfalto

O Urban Trail é a reencarnação do antigo aventureiro urbano da marca, o C3 XTR. Mas, como os rivais Hyundai HB20X e Chevrolet Onix Activ, o hatch também precisa de uma renovação

A vida tipicamente urbana do francês Citroën C3 ganhou tons de aventura com a chegada da versão Urban Trail. Vendida por R$ 65.990, ela resgata o apelo fora de estrada da antiga configuração XTR. Como o “antecessor”, aposta em proteções plásticas nas caixas de rodas, mas agora traz outros detalhes inéditos, como o teto preto brilhante, capas dos retrovisores e maçanetas cinza escuro, as rodas exclusivas com aro 16 e os airbumps laterais – que buscaram inspiração no Citroën C4 Cactus (a partir de R$ 69.990).

Dentro da cabine, os bancos, em tecido, têm logotipos Urban Trail bordado nos encostos e entre os itens de série estão ar-condicionado digital, computador de bordo, porta-luvas refrigerado, vidros elétricos e sistema multimídia com tela de 7” compatível com Mirror Link e Apple CarPlay – mas não Android Auto. O charmoso e generoso para-brisa Zenith (ampliado) não está disponível.

Construído na base PF1 (do C4 Cactus e do Peugeot 208), essa segunda geração do C3 está no Brasil desde 2012 e já mostra os sinais da idade. Baseado na versão 1.6 Auto Attraction (R$ 60.490), o Urban Trail compartilha com ela o motor 1.6 VTI flex e a transmissão automática de seis marchas. Oferece 118 cv e uma dirigibilidade livre de emoções. As acelerações são suaves, e as reduções, em determinados momentos, vêm acompanhadas de leves trancos. As trocas sequenciais podem ser feitas pela alavanca e ainda há os modos Sport (segura mais as marchas) e Eco (prioriza o consumo).

O volante de base achatada transmite um ar de esportividade e é bastante leve ao esterço. No entanto, não tem comandos de áudio, que ficam na alavanca na coluna de direção. Outros itens que fazem falta são o controlador de velocidade, o sensor de estacionamento traseiro, o isofix, o encosto de cabeça central traseiro e os controles eletrônicos de tração/estabilidade.

As suspensões são macias e filtram bem as imperfeições. Como no também novo Toyota Yaris X-Way, elas não tiveram seu curso aumentado e mantém os 13 cm de vão livre do solo dos demais C3 (pouco para aventuras de verdade). Comparado ao primo Peugeot 208, a carroceria inclina mais nas curvas e mudanças de trajetória, enquanto em velocidades moderadas o ruído dos pneus invade demais a cabine. Já os discos de freios frontais de 266 mm são os mesmos do 208 com motor 1.6.

A verdade é que o C3 precisa de uma repaginada, pois na Europa estreou nova geração – que não está nos planos para cá. Por R$ 66.690 como avaliado, o Urban Trail fica na faixa de Chevrolet Onix Activ AT (R$ 67.690) e Hyundai HB20X Style BlueMedia AT (R$ 67.990) – ambos passam por grandes mudanças em breve.

De qualquer modo, esse aventureiro também “prepara o terreno” para a chegada ao nosso mercado de um modelo bem mais interessante: o SUV C5 Aircross, que já avaliamos na Europa e você vê nas próximas páginas.


Ficha técnica:

Citroën C3 Urban Trail

Preço básico: R$ 65.990
Carro avaliado: R$ 66.690
Motor: quatro cilindros em linha 1.6, 16V, comando variável
Cilindrada: 1587 cm³
Combustível: flex
Potência: 115 cv e 118 cv a 5.750 rpm (g/e)
Torque: 16,1 kgfm a 4.750 rpm (g/e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção(t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3,944 m (c), 1,708 m (l), 1,521 m (a)
Entre-eixos: 2,460 m
Pneus: 195/55 R16
Porta-malas: 300 litros
Tanque: 55 litros
Peso: 1.182 kg
0-100 km/h: 12s2 (e)
Velocidade máxima: 193 km/h (e)
Consumo cidade: 10,9 km/l (g) e 7,6 km/l (e)
Consumo estrada: 13,2 km/l (g) e 9,3 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Emissão de CO²: 113 g/km
Classificação na categoria: D (Compacto)

blog comments powered by Disqus