Avaliação: Citroën C4 Lounge de cara nova para ganhar da concorrência

O C4 Lounge ganhou uma injeção de ânimo ao estrear visual e cabine atualizados. O motor 1.6 turbinado e o câmbio automático continuam sendo os destaques

Entra ano, sai ano e, diferentemente de alguns carros que mudam pouco, o facelift do Citroën C4 Lounge deu-lhe um toque a mais de personalidade. Essa mudança de meia-vida trouxe uma nova frente, agora reposicionada dentro da linha C4, ao lado dos irmãos C4 Picasso, Grand C4 Picasso e C4 Cactus (cuja chegada ocorrerá no segundo semestre deste ano). Seguindo os traços da família, a dianteira do sedã passou a ser dividida em dois blocos, enquanto a silhueta, inspirada nos clássicos XM, SM e CX, estreou uma tênue alteração no vigia traseiro acompanhada de novas rodas de 16 ou de 17 polegadas, dependendo da versão. Atrás vieram lanternas 3D com assinatura luminosa. “A traseira foi a parte mais difícil de mexer, por isso destacamos o conjunto óptico”, diz Fabien Darche, gerente de estilo da Citroën para a América Latina.

Um destaque do C4 Lounge, desde seu lançamento em 2013, é a atenção aos detalhes, junto da qualidade dos acabamentos sensíveis ao toque. A cabine evoluiu ao receber quadro de instrumentos totalmente digital com iluminação branca, novo porta-objeto no painel, cor metalizada nos bancos e central multimídia com tela capacitiva de 7”, navegador embarcado e conectividade Android Auto/Apple CarPlay. O sistema de áudio é composto por quatro alto-falantes e dois tweeters. O ar-condicionado automático e digital é de duas zonas, e ainda oferece saídas de ar para quem viaja atrás. Falando nisso, seu entre-eixos de 2,710 m é superior aos 2,700 m dos rivais Chevrolet Cruze, Honda Civic, Nissan Sentra e Toyota Corolla, por exemplo, garantindo um bom espaço para quem viaja atrás. Ainda evidencia o conforto o encosto reclinável em até 29°. Já o porta-malas de 450 litros do Citroën é maior que o do Cruze (440) e menor que os do Civic (525), do Sentra (503) e do Corolla (470).

Os nomes das versões foram redefinidos. A gama agora é formada pelas configurações Live (R$ 69.990), Feel (R$ 93.920) e Shine (R$ 102.790). A primeira é exclusiva para o público PcD (Pessoas com Deficiência). Segundo o fabricante, o volume de vendas será de 500 unidades/mês e o mix corresponderá por 50% da Feel e 50% da Shine, que avaliamos na Argentina. Todas trazem controle de estabilidade, assistente de partida em rampas e motor 1.6 THP (Turbo High Pressure) associado à caixa automática de seis marchas.

O câmbio manual inexiste. Esse conjunto agrada pela competência. Ou seja, espere por uma condução silenciosa acompanhada de trocas ágeis e uma boa dose de conforto conferida pelas suspensões bem calibradas – não houve alterações no conjunto. A caixa de direção é eletro-hidráulica ao invés de ter assistência elétrica. Você deve estar se perguntando o motivo da Citroën dar uma repaginada no C4 Lounge, não é mesmo? Pois bem, segundo o fabricante, a aposta para o sedã se destacar em meio aos SUVs está no fator novidade. “Cada carro tem o seu espaço e universo”, conta Fabio Alves, gerente de produto. Se depender do novo visual, o sedã da Citroën tem tudo para conquistar os consumidores desse segmento ao oferecer uma condução prazerosa aliada a um bom nível de conforto.


Ficha técnica:

Citroën C4 Lounge Shine

Preço básico: R$ 69.990
Carro avaliado: R$ 102.790
Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, injeção direta, turbo, intercooler
Cilindrada: 1598 cm³
Combustível: flex
Potência: 166 cv a 6.000 rpm (g) e 173 cv a 6.000 rpm (e)
Torque: 24,5 kgfm a 1.400 rpm (g/e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: eletro-hidráulica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: discos ventilados (d) e discos sólidos (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,621 m (c), 1,789 m (l), 1,505 m (a)
Entre-eixos: 2,710 m
Pneus: 225/45 R17
Porta-malas: 450 litros
Tanque: 60 litros
Peso: 1.790 kg
0-100 km/h: 9s4 (g)e 9s1 (e)
Velocidade máxima: 215 km/h (e)
Consumo cidade: 10,5 km/l (g) e 7,1 km/l (e)
Consumo estrada: 13,2 km/l (g) e 9,0 km/l (e)
Emissão de CO²: 115 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (Grande)

blog comments powered by Disqus