Avaliação: Ford Mustang Mach 1 é um convite à dinâmica

Com 483 cv de potência e mais de 56 kgfm de torque, o Ford Mustang Mach 1 impressiona tanto pelas reações ao volante quanto pela dinâmica para lá de apurada

0
1395
Foto: Marcio Bruno de Oliveira (Divulgação)

Estamos frente a frente com um esportivo norte-americano que merece respeito. Não apenas pelo valor histórico de uma nomenclatura, como também pelo exímio trabalho de engenharia aplicado. Eis o Ford Mustang Mach 1, que desembarcou em nosso mercado pelo valor de R$ 523.850 e passa a ocupar o lugar da antecessora configuração Black Shadow (confira a nossa avaliação). 

+ Ford Escort que foi de Lady Di é vendido pelo preço de um Mustang 0km no Reino Unido
+ Ford Crown Victoria troca V8 por V12 de tanque da 2ª Guerra; veja o vídeo
+ Conheça o Laforza, um SUV com motor de Mustang e chassi de Iveco Daily
+ Ford lança serviço de carros por assinatura com Ranger e Territory


É uma reinterpretação do passado, cujas referências procederam dos modelos clássicos. O visual do Ford Mustang Mach 1 difere das opções GT e Black Shadow tanto pelos elementos estilísticos quanto de aerodinâmica/desempenho. A dianteira exibe a grade desenhada com ângulos mais inclinados junto da colmeia exclusiva e das duas entradas circulares – uma inspiração no Ford Mustang Mach 1 de 1969, com função de direcionar o fluxo de ar permitindo uma melhora de 50% no arrefecimento do motor e de até 75% no resfriamento da transmissão.

Ford Mustang Mach 1 1969 (Foto: Divulgação)

O para-choque frontal ostenta tomadas de ar nas extremidades, enquanto o pronunciado defletor na porção inferior tem o papel de beneficiar a passagem de ar, além de elevar em 25% o downforce e arrefecer os freios da Brembo. Atrás, as lanternas estão conectadas por uma faixa em preto brilhante e o defletor traseiro inferior foi emprestado do Shelby GT 500 para amplificar o downforce ao passo que o spoiler sobre a tampa do porta-malas ostenta dimensões menores que no Ford Mustang Black Shadow.

A pegada do Ford Mustang Mach 1 ainda é evidenciada pelas faixas laterais/capô ao mesmo tempo que as belas rodas de 19” deixam aparentes os freios da prestigiada Brembo dotados de pinças de alumínio de seis pistões de 36 mm, com pastilhas voltadas para o desempenho – no Black Shadow, elas são focadas no conforto.

V8 naturalmente aspirado com 483 cv de potência

A usina de força do Ford Mustang Mach 1 é o motor V8 5.0 Coyote naturalmente aspirado, com melhorias para render 17 cv extras diante do Mustang Black Shadow. Ao todo, estão disponíveis radicais 483 cv a 7.250 rpm e brutais 56,7 kgfm a 4.900 rpm de torque. E tudo isso, entregue sem atrasos e no pé. Afinal, não há turbolag (aquele atraso antes de o “caracol” encher).

Motor V8 5.0 Coyote naturalmente aspirado despeja 483 cv de potência e mais de 56 kgfm de torque (Foto: Divulgação)

Nosso primeiro contato a bordo do Ford Mustang Mach 1 aconteceu no traçado de 3.493 m de extensão e 14 curvas do autódromo Velocitta, no interior de São Paulo. É um carro sensorial e a partida acompanhada de um berro alto. À medida que a rotação do oito cilindros em “V” baixa ecoa no ambiente uma música borbulhante e encorpada. Uma sinfonia mérito do sistema de exaustão vindo do Shelby GT 500 com saídas de 4,5” perfuradas para enaltecer a musicalidade.

A boa posição de dirigir é conquistada rapidamente e você veste o Ford de maneira rápida. À frente dos olhos está o longo capô e realizamos a saída do pit lane no modo de condução Esportivo+. Ele é um dos sete programas e também estão disponíveis o Normal, o Esportivo, o Pista, o Drag, o Neve/Molhado e o customizável My Mode.

A primeira volta serviu para conhecer e pegar certa intimidade com o Ford Mustang Mach 1. Contudo, já sendo possível perceber o quão bem as melhorias de engenharia resultaram. Logo nos primeiros metros, o Ford deixa claro que impõem respeito e não tolera desaforos. Ou seja, caso provocado ele responderá de forma ríspida. Um carro indicado para quem já possui quilômetros de experiência em esportivos de tração traseira. Caso contrário esteja preparado para segurá-lo no braço para evitar sair rodando igual a um pião.

A partir da segunda volta, agora mais íntimo foi possível extrair o seu potencial e constatar do que ele é capaz de entregar. A dianteira aponta com uma precisão cirúrgica sem transmitir rolagem de carroceria tampouco transferências de cargas nas frenagens mais fortes. Travado, o Ford Mustang Mach 1 possui a barra anti-torção do Ford Mustang Bullitt e o equilíbrio proporcionado pelas suspensões adaptativas Magneride com calibração exclusiva, além de também ter as barras estabilizadoras 4% maior na frente/8% na traseira e buchas/braços da suspensão traseira do Shelby GT 500.

Ford Mustang Mach 1
Foto: Marcio Bruno de Oliveira (Divulgação)

A comunicabilidade da caixa de direção impressiona transmitindo confiança contribuindo na capacidade de serpentear nas curvas, seja em velocidades moderadas ou altas. Mesmo com mais de 4,788 m de comprimento (o Chevrolet Camaro SS Coupé possui 4,784 m, para comparar), ao volante o Ford Mustang Mach 1 não parece ter o tamanho que tem pela agilidade. E os pneus Michelin Pilot Sport 4S são (verdadeiros) chicletes pelo jeito que aderem no asfalto.

Saindo do modo Esportivo+ e indo para o Pista as coisas mudam de figura, pois as respostas do motor/transmissão ficam mais intempestivas e as suspensões/caixa de direção assumem um comportamento mais firmes deixando tudo mais acalorado. As mudanças/reduções do câmbio automático de dez marchas são rápidas e ao trocar manualmente na faixa de 7.000 rpm é emitido um estampido pelas saídas de escape. A transmissão responde de prontidão ao cutucar o pedal do acelerador. É marcha em cima de marcha, e de acordo com o fabricante, o Ford Mustang Mach 1 adotou um novo conversor de torque.

Com relação peso-potência de 3,7 kg/cv e peso-torque de 31,4 kgfm/km o Ford Mustang Mach 1 parte da imobilidade aos 100 km/h em breves 4,3 segundos e crava 250 km/h de velocidade máxima. Para comparar, o Ford Mustang Black Shadow oferecia 466 cv a 7.000 rpm e 56,7 kgfm a 4.600 atribuindo 3,8 kg/cv e 31,4 kgfm/kg.

Nas situações de aceleração plena é possível ouvir o ar sendo admitido, aliás, o sistema de indução “Open Box Air” com filtro cônico vem do Ford Mustang Bullitt. Além disso, o Ford Mustang Mach 1 possui o corpo de borboletas maior, o coletor de admissão e o sistema de arrefecimento do motor/radiador do Shelby GT 350.

Interior e comodidades 

Embora bruto o Ford Mustang Mach 1 não esquece de oferecer conveniências aos passageiros. A cabine escurecida apresenta detalhes em Black Piano/metálicos e uma placa numerada acima do porta-luvas. Os bancos são revestidos em couro e soleiras de portas iluminadas. Outros atributos estão no multimídia SYNC 3 de 8″ com conectividade Android Auto/Apple CarPlay e Mirror Link. Já o áudio da renomada Bang & Olufsen é composto por 12 alto-falantes mais subwoofer (falante de graves) para entregar 1.000W de potência sonora.

Segundo a marca do “oval azul”, o Ford Mustang Mach 1 é o primeiro da América do Sul a ter o Ford PassConnect (já disponível na picape média Ranger Black e no utilitário esportivo Territory). Entre as funcionalidades, o aplicativo para smartphone possibilita travar/destravar as portas, dar a partida remotamente com climatização, olhar a localização e ainda receber alertas de acionamento do alarme/funcionamento e ainda autonomia/hodômetro/pressão dos pneus, por exemplo.

Como já falamos, o Ford Mustang Mach 1 é um esportivo sensorial. Seja pela sonoridade desde a partida ou pela primorosa engenharia o momento da partida quanto pela primorosa engenharia executada.


FICHA TÉCNICA

Ford Mustang Mach 1
Preço básico: R$ 523.850 (preço Brasil)
Carro avaliado: R$ 523.850 (preço Brasil)

Ford Mustang Mach 1
Motor: oito cilindros em “V” 5.0, 32V, injeção direta e indireta, duplo comando de válvulas com variação na admissão e no escape
Cilindrada: 5037 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 483 cv a 7.250 rpm
Torque: 56,7 kgfm a 4.900 rpm
Câmbio: automático, dez marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e multi-link (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: traseira
Dimensões: 4,788 m (c), 1,915 m (l), 1,379 m (a)
Entre-eixos: 2,720 m
Pneus: 255/40 R19 (d) e 275/40 R19 (t)
Porta-malas: 382 litros
Tanque: 60 litros
Peso: 1.783 kg
0-100 km/h: 4s3
Vel.máxima: 250 km/h
Consumo cidade: 5,9 km/l
Consumo estrada: 8,9 km/l
Emissão de CO²: 200 g/km*
Nota do Inmetro: E*
Classificação na categoria: E*
*estimado

Mais na Motor Show

+ Novo Renault Duster estreia na Argentina com motor 1.3 turbo e tração 4×4
+ Carro elétrico JAC E-JS1 entra em pré-venda no Brasil com preço de Toyota Corolla flex
+ Conheça as vantagens de calibrar o pneu do caminhão com nitrogênio
+ Porsche Cayenne Turbo GT chega ao Brasil a partir de R$ 1,2 milhão
+ E-Biker 12 é uma bike elétrica para crianças a partir de 2 anos
+ Carro com placa final 4 deve ser licenciado em julho; veja como fazer