Avaliação: Honda Civic Touring custa caro, mas é dos melhores da categoria

Quem procura por um sedã médio não pode deixar de considerar o Civic Touring 2020. Não vende o mesmo que o Corolla, mas é uma das melhores opções do mercado. Se não a melhor

Honda Civic Touring
Honda Civic Touring (Divulgação)

O Honda Civic Touring é um daqueles carros nos quais dificilmente queremos largar o volante. Tudo bem que, vendido por R$ 134.900, ele custa mais que o Volkswagen Jetta R-Line 250 TSI (R$ 119.990), o novo Toyota Corolla Altis Hybrid Premium (R$ 130.990) e o renovado Chevrolet Cruze Premier (R$ 122.790). Mas este sedã japonês oferece ao motorista uma engenharia irretocável e uma dirigibilidade que merece muitos elogios. 

A linha 2020 estreou com novos cromados nos para-choques e grade frontal, além de rodas aro 17 em cinza. A cabine também mudou, agora oferecendo carregador por indução e saídas de ar traseiras, entre outros mimos. Um ponto alto é a posição dirigir, com bancos em couro, sendo o do motorista com comando elétrico. A coluna de direção é ajustável em altura e profundidade e o sistema multimídia possui tela tátil de 7” com Android Auto/Apple CarPlay, além de áudio de 452 W oferece com 10 alto-falantes, incluindo canal central e subwoofer. 

Construído na mesma base do luxuoso Accord e do SUV CR-V, o Civic mede 4,641 m de comprimento e tem 2,7 m de entre-eixos. Dimensões próximas das dos rivais Jetta (4,702 m e 2,688 m), Corolla (4,630 m e 2,700 m) e Cruze (4,665 m e 2,700 m). Já o porta-malas de 517 litros é superior ao do Jetta (510), do Corolla (470) e do Cruze (440). 

A nova arquitetura possibilitou diminuir o peso da carroceria em 22 quilos comparado ao modelo da nona geração. O peso do Civic Touring é de 1.329 kg, ante 1.291 kg no Civic EXL. Diferentemente do Corolla Hybrid, que combina motor aspirado 1.8 e motor elétrico, o Civic Touring tem um 1.5 turbo de 173 cv a 5.500 rpm, com  22,4 kgfm entre 1.700 e 5.500 rpm.

O Honda Civic Touring tem o mesmo “coração” do Civic Si, mas com diferenças. No cupê, o motor possui taxa de compressão de 10,3:1, contra 10,6:1 no Touring, que tem maiores admissão, corpo de borboleta, intercooler (resfriador de ar) e turbocompressor – a pressão é de 1,1 bar no Touring e de 1,3 no Civic Si.  

Ao volante do Honda Civic Touring, a entrega do desempenho é progressiva e as respostas são rápidas. Com muito força a partir de baixíssimos giros, ele trabalha grande parte do tempo na faixa de 1.500 rpm, privilegiando consumo. 

Na cidade, com o modo Econ ativado, registramos médias de 13 km/l com gasolina (o sedã não é flex; um de seus únicos pontos negativos, dependendo do preço dos combustíveis). Esta função altera o mapa do acelerador e promove uma abertura mais progressiva do corpo de borboleta, além de alterar o funcionamento do ar-condicionado. 

O câmbio automático continuamente variável (CVT) tem conversor de torque para ajudar nas saídas e ainda simula sete marchas. Quem preferir, pode fazer trocas sequenciais pelas aletas atrás do volante. Já o silêncio interno é mérito do para-brisas acústico e da maior quantidade de isolantes sonoros no assoalho comparado aos irmãos 2.0. 

As suspensões são um capítulo à parte pela maneira extremamente eficiente que filtram/absorvem as irregularidades do asfalto. É o mesmo pacote das configurações LX (R$ 97.900), Sport (R$ 104.100), EX (R$ 107.600) e EXL (R$ 112.600): o conjunto dianteiro é MacPherson com buchas hidráulicas, e atrás é do tipo multibraços – e, apenas neste Touring, também com buchas hidráulicas (algo que a concorrência não oferece e garante um conforto de categoria superior).

As rodas aro 17 vestem pneus 215/50 e a direção assistida eletricamente é muito rápida ao esterço (2,2 voltas de batente a batente), graças à relação variável. Como tudo o que anda uma hora precisa parar, os freios dianteiros utilizam discos de 282 mm e atrás de 260 mm. 

O Civic Touring ainda traz duas praticidades no cotidiano. Uma delas é o sistema Lane Watch, monitor de pontos cegos que, ao acionar a seta para direta, projeta na tela da central multimídia a imagem da lateral. Outro recurso muito útil é o brake hold – freio automático ao para que permite tirar o pé do pedal do freio, mesmo em Drive (muito útil no congestionado trânsito de São Paulo). Detalhes positivos naquele que pode não ser o mais barato, mas é um dos melhores sedãs à venda em nosso mercado na sua faixa de preço hoje. Se não o melhor.


FICHA TÉCNICA

Honda Civic Touring
Preço básico: R$ 134.900
Carro avaliado: R$ 134.900
Motor: 4 cilindros em linha 1.5, 16V, duplo comando variável, turbo, injeção direta
Cilindrada: 1498 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 173 cv a 5.500 rpm
Torque: 22,4 kgfm de 1.700 rpm a 5.500 rpm
Câmbio: automático continuamente variável (CVT), sete marchas simuladas
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson (d) e multi-link(t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,637 m (c), 1,798 m (l), 1,433 m (a)
Entre-eixos: 2,700 m
Pneus: 215/50 R17
Porta-malas: 519 litros
Tanque: 56 litros
Peso: 1.326 kg
0-100 km/h: 8s2 (medição MOTOR SHOW)
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo cidade: 11,8 km/l
Consumo estrada: 14,4 km/l
Emissão de CO2: 104 g/km
Com etanol: não é flex
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (Grande)