Avaliação: Honda CR-V 2021 muda visualmente e nos conteúdos, mas faltou ser híbrido

O Honda CR-V 2021 estreou atualizado e debutou o sistema Honda Sensing. No entanto, não foi desta vez que o SUV é vendido no Brasil na opção híbrida

0
1384
Honda CR-V 2021
Foto: Caio Mattos (Divulgação)

Quem vê cara não vê coração? No caso do Honda CR-V 2021 as atualizações ficaram pelo visual remodelado, a introdução do sistema Honda Sensing, enquanto sob o capô manteve-se o propulsor de quatro cilindros 1.5 16V turbinado.

+ Honda Civic lidera ranking dos carros usados mais buscados na internet
+ Comparativos históricos (2013): Honda Civic vs. Chevrolet Cruze e Toyota Corolla
+ Veja quanto custa manter um Honda City até os 80.000 km
+ Confira as dicas do manual do Honda Civic para reduzir o cansaço ao volante


Importado dos Estados Unidos e à venda em nosso mercado unicamente na configuração topo de linha Touring por R$ 264.900 (R$ 274.700 para São Paulo), o utilitário esportivo recebeu pontuais alterações estéticas. E a dianteira do Comfortable Runabout Vehicle (signficado da sigla CR-V) trouxe nova grade do radiador, para-choque revisto e faróis/luzes de neblina de LEDs.

O estilo da lateral passou a exibir um novo friso cromado e as rodas de liga de leve de 18” vestem pneus Hankook Kinergy GT de medidas 235/60 (mesmo tamanho do estepe). Já na traseira vieram lanternas de LED escurecidas, régua da tampa do porta-malas em acabamento Dark Chrome e o para-choque diferente ao do antecessor com as duas saídas de escape redesenhadas.

Na ponta da fita métrica, as dimensões do Honda CR-V 2021 mudaram minimamente oferecendo 4,631 m de comprimento, 1,855 m de largura, 1,689 m de altura e 2,660 m de entre-eixos – no antigo eram de 4,591 m, 1,855 m, 1,667 m e 2,660 m, na ordem, para comparar.

Habitabilidade

A cabine do Honda CR-V 2021 possui destaques nos acabamentos amadeirados ao passo que o console central revisto pode ser regulado em três níveis: padrão (para objetos pequenos), expandido (para acomodar tablets/garrafas maiores) ou capacidade máxima (para levar notebooks ou bolsas).

Outras novidades aparecem nas entradas USB frontais reposicionadas – há mais duas para quem viaja no banco de trás -, no carregador de smartphone por indução e no botão Idle Stop, responsável por ativar/desativar o sistema Start-Stop (desliga automaticamente o motor em breves paradas para diminuir o consumo e a emissão de poluentes).

Ainda estão presentes o quadro de instrumentos digital de 7”, o Head-Up Display (HUD), que projeta em uma tela de acrílico informações úteis ao motorista, como a velocidade/navegador/distância percorrida, além do ar-condicionado de duas zonas, o sensor crepuscular, o freio de estacionamento eletrônico, a partida remota com climatização e o travamento automático das portas quando a distância é superior a dois metros por dois segundos.

Quem viaja no Honda CR-V 2021 é bem recebido por confortáveis bancos sendo os dianteiros ajustáveis eletricamente em oito posições (motorista) mais apoio lombar e memória, enquanto o do carona em quatro. A visibilidade à frente e traseira do Honda CR-V é ajudada pela grande área envidraçada e a sensação de amplitude interna é evidenciada pelo teto solar panorâmico. Os ocupantes de trás encontram um bom espaço para as pernas/joelhos.

O multimídia de 7” possui uma interface amigável de operar oferecendo GPS nativo, conectividade Android Auto/Apple CarPlay e botão de volume físico. O sistema de áudio recebeu um subwoofer (falante de graves) redesenhado e ao todo são nove alto-falantes para transmitir pureza e um bom palco sonoro.

Honda CR-V 2021
Foto: Caio Mattos (Divulgação)

O Honda CR-V 2021 disputa a preferência dos consumidores com Chevrolet Equinox, Volkswagen Tiguan e Peugeot 3008, que chegará ao Brasil atualizado em breve. Portanto, o porta-malas é um dos fatores de compra neste segmento. O do Honda CR-V 2021 acomoda 522 litros, o do Equinox é de 468 litros, enquanto os SUVS da Volkswagen e da Peugeot possuem 520 e 686, respectivamente, para citar.

A tampa do compartimento de bagagens do Honda é motorizada e a abertura/fechamento podem ser realizados ao passar o pé sob o para-choque traseiro.

Foto: Caio Mattos (Divulgação)

Motor turbo

Esqueça do desempenho dos antigos Honda CR-V com a mecânica 2.0 flex de 155 cv (etanol)/150 cv (gasolina), pois o desempenho mudou da água para o vinho após o SUV ter o propulsor de quatro cilindros 1.5 16V com turbo e injeção direta. É o mesmo empregado no Honda Civic Touring, porém, calibrado para entregar 190 cv de potência e 24,5 kgfm disponíveis entre 2.000 e 4.500 rpm – no Civic, aparecem 173 cv e 22,4 kgfm de 1.700 a 5.500 rpm.

Ao volante, o Honda CR-V agrada pela condução silenciosa e a boa dose de força desde os baixos giros movendo sem dificuldades os seus 1.629 kg. Equipado com tração integral durante as arrancadas a força é enviada ao eixo traseiro – ele é desacoplado em velocidades constantes. Esse desempenho é ajudado pelo câmbio continuamente variável (CVT) bem casado, que permite fazer trocas sequenciais pelas borboletas atrás do volante e simula sete velocidades.

Igualmente suave é o trabalho das suspensões MacPherson no eixo dianteiro e multilink atrás. Elas filtram e absorvem muito bem as irregularidades do nosso piso e beneficiam a dinâmica ao transmitir uma baixa inclinação de carroceria nas curvas. A direção assistida eletricamente é rápida ao esterço e de batente a batente são necessárias apenas 2,3 voltas.

Honda CR-V 2021
Foto: Caio Mattos (Divulgação)

+ Nova Honda Africa Twin estreia no Brasil a partir de R$ 70.490
+ Honda Civic 2022 é evolução (e não revolução) em sua 11ª geração
+ Honda terá somente carros elétricos a partir de 2040
+ Honda XRE 300 2022 estreia com novos grafismos

Durante a nossa avaliação realizada em trajetos urbanos/rodoviários o computador de bordo registrou médias superiores a 12 km/l (sem trânsito) com o modo Econ acionado – altera os parâmetros de funcionamento do motor, da transmissão e do ar-condicionado, por exemplo, em prol do melhor consumo.

Contudo, é uma pena que o fabricante não tenha importado para cá a variante híbrida (confira a nossa avaliação). Lá no mercado norte-americano, os preços iniciais variam de US$ 30.560 a US$ 36.350 (aproximadamente R$ 154.095 e R$ 183.291, em conversão direta, sem as taxas e os impostos).

Honda Sensing

Se anteriormente o CR-V devia o Honda Sensing, agora ele ganhou a tecnologia. O sistema reúne controlador de velocidade adaptativo (ACC) com o LSF (Low Speed Follow) para auxiliar o motorista a manter uma distância segura do veículo à frente, enquanto o CMBS (Collision Mitigation Braking System) aciona automaticamente os freios ao detectar uma eminente colisão frontal para mitigar acidentes.

O Honda Sensing ainda traz o LKAS (Lane Keeping Assist System), que detecta as faixas e ajusta a direção com o objetivo de manter o veículo centralizado na via. E o RDM (Road Departure Mitigation System) detecta as saídas involuntárias e atua no volante para retomar a trajetória do SUV. Na prática, o resultado desta sopa de letrinhas é uma condução mais prazerosa/segura e o Honda Sensing trabalha de maneira bastante progressiva.

A lista de itens de segurança do Honda CR-V 2021 ainda é composta pelos seis airbags (frontais, laterais e de cortina), os controles eletrônicos de tração/estabilidade, o sistema Lane Watch, que reduz os pontos cegos ao projetar na tela da central multimídia a imagem da lateral do carro, o monitoramento da pressão dos pneus (TPMS), o alerta de frenagem de emergência (ESS), o isofix para fixação de bancos infantis e o cinto de segurança de três pontos para todos os passageiros.

A expectativa da Honda é de comercializar 500 unidades do Honda CR-V 2021 neste ano. A garantia é de três anos.


FICHA TÉCNICA

HONDA CR-V TOURING 2021
Preço básico: R$ 264.900 (R$ 274.700 para São Paulo) 
Carro avaliado: R$ 264.900 (R$ 274.700 para São Paulo)  

Honda CR-V Touring 2021
Motor: quatro cilindros em linha 1.5, 16V, duplo comando variável, injeção direta, turbo
Cilindrada: 1498 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 190 cv a 5.600 rpm
Torque: 24,5 kgfm de 2.000 a 5.000 rpm
Câmbio: automático cont. variável (CVT), sete marchas simuladas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e multi-link (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco (t)
Tração: integral AWD (desacoplamento automático)
Dimensões: 4,631 m (c), 1,855 m (l), 1,689 m (a)
Entre-eixos: 2,660 m
Pneus: 235/60 R18
Porta-malas: 522 ou 1.084 litros com o rebatimento do banco traseiro 
Tanque: 57 litros
Peso: 1.629 kg
0-100 km/h: 8s8 (est.)
Vel.máxima: 200 km/h (est.)
Consumo cidade: 10,4 km/l
Consumo estrada: 11,9 km/l
Emissão de CO²: 122 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (SUV4x4)