Avaliação: JAC T40 é o melhor chinês no Brasil

Pensado para o gosto do consumidor brasileiro, o JAC T40 foi concebido para ser um hatch, mas agrada como SUV e tem um preço bastante atraente

Esqueça aqueles carros chineses mal-acabados, ruins de guiar e com mau cheiro dos primeiros tempos de importação. A indústria chinesa aprendeu rapidamente, como era esperado, e uma das provas é o novíssimo JAC T40, que acaba de chegar ao Brasil. Portanto, para quem busca com um carro bonito, muito bem equipado e com ótima relação custo/benefício, o T40 deve ser considerado, no mínimo, para um test drive. O T40 é um SUV/crossover compacto que utiliza motor 1.5 flex com comando de válvulas variável (VVT) e câmbio manual de cinco marchas. No início de 2018 chegará a versão topo de linha, com a mesma transmissão CVT usada no JAC T5.

O motor tem 125/127 cv (gasolina/etanol), o que dá uma boa relação peso/potência de
9,1 kg/cv. É um pouco melhor que seu concorrente direto da Honda, o WR-V, que tem 9,7 kg/cv. Mas números não querem dizer tudo. Em nosso test drive de 260 km com o JAC T40, o carro andou muito bem na cidade, mas sofreu um pouco na estrada, especialmente nas retomadas de velocidade, pois estava com quatro pessoas a bordo. A 120 km/h, em quinta marcha, o motor girava a 3.200 rpm. É isso que o carro se propõe, pois oferece espaço traseiro muito bom e um generoso porta-malas de 450 litros.

Também generosa é a lista de equipamentos. Por R$ 58.990, traz ar, piloto automático, câmera de ré, direção elétrica, central multimídia com tela de 8” e botões redundantes, dois isofix, luz de neblina que acende automaticamente no lado que vira o volante, controle de tração/estabilidade, assistente de partida em rampa, volante multifuncional de couro e até uma inédita câmera frontal, que permite ao motorista gravar sua viagem. Ainda este ano chega a versão de entrada, por R$ 56.990, sem a central multimídia e a câmera frontal.

Rodando, o T40 mostrou uma suspensão muito bem equilibrada. O carro é firme nas curvas, graças também aos pneus bem largos (205 mm). Porém, em linha reta, quando ganha velocidade, a direção fica “boba”. Esse é um ajuste que a JAC Motors precisa fazer urgentemente, pois as respostas ao volante são lentas e é preciso ficar o tempo todo corrigindo a trajetória do carro. Já a posição de dirigir é excelente. O único opcional é o teto na cor preta ou cinza (a película especial da 3M custa R$ 1.990). Aliás, muito da beleza do carro está na insistência do presidente da JAC Motors do Brasil, Sergio Habib, em fazer um carro largo durante a fase de desenvolvimento.

Dessa forma, ele ficou imponente. Na verdade, o carro foi concebido para ser um hatch, mas a mudança radical do mercado brasileiro acabou transformando-o num SUV. Melhor para a JAC. Para se tornar um SUV, o carro ganhou uma frente alta e imponente e aumentou a distância do balanço traseiro, para ter um porta-malas grande. O carro foi desenhado na Itália por um ex-estilista da Alfa Romeo. O resultado foi tão bom que o T40 parece um SUV europeu.

Com um carro bom, bonito e barato, a JAC Motors finalmente pode voltar a crescer no mercado brasileiro. Devido à restrição de cotas para importação, este ano serão vendidas somente 300 unidades/mês, mas para 2018 a expectativa é vender de 8.000 a 10.000 unidades. É bom que seus concorrentes diretos – como o Honda WR-V e aventureiros como Hyundai HB20X, Citroën Aircross e Renault Sandero Stepway – fiquem espertos, pois o T40 não precisa ter vergonha nenhuma de se apresentar como um bom carro chinês, uma nova realidade.


Ficha técnica:

JAC T40 1.5 VVT 16V JetFlex

Preço básico: R$ 58.990
Carro avaliado: R$ 58.990
Motor: 4 cilindros em linha 1.5, 16V, comando de válvulas variável
Cilindrada: 1499 cm3
Combustível: flex
Potência: 125 cv a 6.000 rpm (g) e 127 cv a 6.000 rpm (e)
Torque: 15,5 kgfm a 4.000 rpm (g) e 15,7 kgfm a 4.000 rpm (e)
Câmbio: manual, cinco marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t) Tração: dianteira
Dimensões: 4,135 m (c), 1,750 m (l), 1,568 m (a)
Entre-eixos: 2,490 m
Pneus: 205/55 R16
Porta-malas: 450 litros
Tanque: 42 litros
Peso: 1.155 kg
0-100 km/h: 9s8 (e)
Velocidade máxima: 191 km/h (e)
Consumo cidade: 8,5 km/l (g) e 7,7 km/l (e)
Consumo estrada: 12,5 km/l (g) e 11,4 km/l (e)
Emissão de CO2: 124 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

blog comments powered by Disqus