Avaliação: Jeep Compass 2019 fica mais completo para se manter na crista da onda

SUV mais vendido do Brasil, Jeep Compass 2019 fica mais completo para manter o posto. Avaliamos a versão topo de linha Limited Flex

O Jeep Compass estreou no final de 2016 e, um ano depois, já era o SUV mais vendido do Brasil – com 50 mil unidades, mais do que vendem os SUVs compactos. Em 2017 e em 2018 ele se manteve na liderança, e mesmo assim, a Jeep não bobeou: na linha 2019 deixou o Compass ainda mais equipado para mantê-lo no alto do pódio.

Andamos na versão Limited, a mais cara com motor flex, que já vem recheada com seis airbags, ar-condicionado dual zone, multimídia com tela de 8,4”, freio de mão elétrico, além de faróis de xenônio e DRLs – e agora ainda ganhou de série rodas aro 19, estacionamento semiautônomo e partida remota.

Mas por que o Compass vende mais até que os SUVs compactos? Além da grande oferta de equipamentos, há fatores menos tangíveis. Um deles é status. Outro, a mistura de porte e design. A sensação de estar em um carro maior e mais alto mexe com o brio das pessoas. O espaço interno também joga a favor do SUV de 4,41 m, com 2,63 m de entre-eixos. Cinco pessoas se acomodam com facilidade, mas o porta-malas poderia ter mais que 410 litros (21 menos que no Hyundai Creta).

Ao volante, o modelo nacional – outra vantagem entre os SUVs médios – também agrada. O rodar é sólido e confortável, apesar das rodas aro 19 com pneus de perfil baixo. Um sacolejo aqui ou outro ali são inevitáveis, porém nada que incomode. A direção elétrica parece anestesiada no primeiro momento, mas é fácil se acostumar com sua leveza.

Mas há que se dar uns descontos para esse Jeep. O motor 2.0 flex até tem potência: 166 cv. Porém, os 20,5 kgfm aparecem na totalidade a altos 4.000 giros. O Compass demora a embalar e o motorista tem que andar com o motor sempre “cheio” para extrair o melhor. Só que isso se reflete no consumo, nota D em sua categoria – veja os números detalhados do Inmetro na ficha técnica.

E o preço? Na linha 2019, que mal estreou e já aumentou, o Limited Flex bate em R$ 146.990. E passa de R$ 160.000 com teto panorâmico (R$ 7.700) e pacote High Tech (R$ 7.700, inclui piloto automático adaptativo, alerta de mudança de faixa, banco elétrico e som Beats). Mesmo assim, nos últimos meses o Compass tem ficado em segundo lugar entre os SUVs. Perde só para o irmão Renegade.


Ficha técnica:

Jeep Compass Limited Flex

Preço básico (LIMITED): R$ 146.990
Carro avaliado: R$ 162.390
Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V, coletor de admissão variável, sistema start-stop
Cilindrada: 1995 cm³
Combustível: flex
Potência: 159 cv (g) e 166 cv (e)a 6.200 rpm
Torque: 19,9 kgfm (g) e 20,5 kgfm (e) a 4.000 rpm
Câmbio: automático, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: multilink (d/t)
Freios: disco ventilado (d) disco (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,416 m (c), 1,819 m (l), 1,639 m (a)
Entre-eixos: 2,636 m
Pneus: 235/45 R19
Porta-malas: 410 litros (1.191 litros com o banco rebatido)
Tanque: 60 litros
Peso: 1.556 kg
0-100 km/h: 10s9 (g)e 10s6 (e)
Velocidade máxima: 188 km/h (g) e 192 km/l (e)
Consumo cidade: 8,8 km/l (g) e 6,1 (e)
Consumo estrada: 10,8 km/l (g) e 7,5 km/l (e)
Emissão de CO²: 141 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: D (Utilitário Esportivo Grande)

blog comments powered by Disqus